TESTEMUNHO DE QUEM JÁ PERDEU 40 QUILOS

A Rita (nome fictício) perdeu 40 quilos em 15 meses. É um caso de  sucesso no tratamento da obesidade mórbida que mostra que, quando há motivação, não há necessidade de recorrer a cirurgia. Eis o depoimento dela sobre o seu caso:

"O incêndio na Serra do Caramulo, que consumiu completamente a minha aldeia natal e deixou isolada a população durante uma noite e um dia, fez-me perceber que tinha que mudar. O cansaço e a dificuldade em respirar naquele ambiente tão poluído demonstraram-me que os meus 130 quilos me estavam a “sufocar”.

Claro que dar o primeiro passo nunca é fácil, até porque os hábitos de uma vida – já fui uma criança 'gordinha' – são muito difíceis de mudar. Levei algum tempo a mentalizar-me e, cerca de cinco meses depois do incêndio, em março de 2014, resolvi pedir ajuda e marquei consulta no Centro de Saúde de Eiras. Devo dizer que tive uma motivação adicional – o meu marido tinha deixado de fumar. Assisti à sua luta e pensei que a minha vida, a dele e a da nossa filha, também merecia semelhante esforço da minha parte.

Tinha então 130 quilos e 37 anos.

Hoje, cerca de 39 quilos mais leve, até me custa a acreditar que estou a conseguir. E sublinho estou porque hoje consigo ter noção de que esta nunca será uma batalha terminada. Tenho perfeita consciência de que se não for rigorosa com a alimentação e comigo mesma, a determinação que me tem feito perder sempre peso nestes cerca de 15 meses de pouco adiantará.

Mas, acima de tudo, tenho perfeita noção de que consigo viver perfeitamente sem batatas, arroz, massas e afins. Com a Dr. Ana Carvalhas, mudei de hábitos alimentares. Eliminei praticamente os hidratos de carbono da minha alimentação e como essencialmente carne e peixe, acompanhados de legumes. Limitar o consumo de pão continua a ser o mais difícil mas, como as opções são muitas, habituei-me a comprar pão integral e/ou escuro.

Cozinho da mesma forma que antes, com alguns cuidados que me foram dados nas consultas, e na hora de servir apenas excluo da minha refeição os hidratos de carbono.

Aprendi também que não preciso de ser “escrava” da dieta. Em dias festivos ou eventos sociais esqueço as limitações e sirvo-me do que me apetecer. Sei que o meu organismo não vai aceitar nem metade do que aceitava antes mas, mesmo assim, sei que estou a dar-lhe mais do que devia. No dia seguinte procurarei corrigir os erros cometidos.

Uma das minhas grandes conquistas é essa. Saber que posso desfrutar do prazer da comida sem me sentir culpada. Consegui educar a minha mente e, pela primeira vez – depois de tantas tentativas de dieta em que perdi 10 e ganhei 11 -, consciencializei-me de que não estou de dieta. Esta é a alimentação e o estilo de vida que tenho que manter sempre, pela minha saúde e qualidade de vida.


Hoje sinto-me nova, com mais autoestima e com mais energia. Portanto, só tenho a agradecer - a mim mesma pela determinação, ao meu marido e filha que sempre me estimularam e se mostram orgulhosos do meu esforço e à Dr. Ana que me tem acompanhado sempre e festeja comigo cada um destes quilos perdidos."
Postar um comentário

Postagens mais visitadas