Pular para o conteúdo principal

EMAGRECIMENTO EM GRUPO AQUI NO BLOGUE


De acordo com o resultado do inquérito que realizei neste blogue no final do ano passado, dietas e formas de emagrecer são assuntos muito procurados por quem nos visita. De facto, estamos mais gordos, nós portugueses como de resto toda a população dos países desenvolvidos ou em vias de desenvolvimento. Ainda há dias saiu uma notícia sobre o aumento da obesidade em países de economia emergente, como a China, Índia e Brasil, salientando o aumento dos custos em saúde que esse facto irá acarretar. Na China, por exemplo, o número de pessoas obesas aumentou de 18 para 100 milhões entre 2005 e 2009, um aumento muito maior do que o do PIB no mesmo período. São números verdadeiramente assustadores.

É fácil perceber por que razão estamos todos, ou quase todos, a engordar. Por um lado, comemos muito e mal e, por outro, não nos mexemos. A indústria alimentar invadiu as nossas despensas e a nossa vida. Há comida por todo o lado. Bebemos demasiados refrigerantes (para mim, o pior dos alimentos"), trocámos o pão (sem açúcar) por cereais de pequeno-almoço (alguns com mais de 40% de açúcar), "bolicaos", panquecas, "manhazitos", bolachas "oreo" (reparei há dias que estas têm como primeiro ingrediente açúcar quando  devia ser farinha). Deito as mãos à cabeça de cada vez que vou às escolas e vejo os lanches que as crianças levam. Poucos são os que têm pão, leite ou fruta. A maioria leva sumos, iogurtes gregos, carregadinhos de nata e açúcar, e todo o tipo de bolos, bolinhos e bolachas. Em que mundo vivem estes pais? Que futuro estão a preparar para os seus filhos? Contudo, não se pode dizer que não há informação. Os pais argumentam em favor das escolhas que fazem para os filhos dizendo:  "dou-lhe porque ele gosta" ou "dou-lhe porque ele pediu". Boa! Se queremos alimentar uma criança com base no que ela mais gosta, então só temos que encher a despensa de gomas, "oreos", "estrelitas", "coca-cola" e batatas fritas. Que rica alimentação! Obviamente que estes alimentos são feitos para as crianças gostarem. A indústria alimentar sabe melhor do que ninguém quais são os ingredientes que mais agradam e, portanto, que mais viciam. Alimentos com carboidratos e gordura agradam ao comum dos mortais. Os carboidratos transformam-se em glicose, dando prazer e criando vício, e a gordura derrete-se na boca.

Com este desabafo, desviei-me do assunto do título: emagrecimento em grupo aqui no blogue. Tenciono colocar um plano alimentar para sedentários, um plano-exemplo, que possa ser seguido pela maioria das pessoas com peso a mais. Talvez haja uma maneira de ir registando o peso a intervalos regulares. Aceito sugestões. Vamos emagrecer juntos?
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…