sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O NATAL À MESA

O Natal está à porta! 
No dia 24 de Dezembro, as famílias portuguesas reúnem-se à volta da mesa de jantar para a consoada. Segundo o dicionário Houaiss da língua portuguesa, consoada é uma "leve refeição nocturna, sem carne, que se toma em dia de jejum" ou "ceia familiar da noite de Natal". Poucos saberão que, de acordo com a tradição católica, a véspera de Natal é dia de jejum e só após a “missa do Galo” a família procura “consolo” à mesa. Não há tradição mais portuguesa do que o bacalhau cozido com batatas, ovo e couve penca, regado com o melhor azeite novo, na noite de consoada. É provavelmente o modo mais saudável de ingerir o "fiel amigo". Mas há regiões do país em que o costume é diferente: por exemplo, na região entre Minho e Douro diz-se que “se não houver polvo a consoada não tem o mesmo sabor”.

Vindos de vários cantos do país e mesmo do mundo, os familiares recordam também, na consoada, os sabores da infância e da tradição de algumas iguarias postas numa mesa pródiga de sobremesas que arregalam os olhos: rabanadas, filhoses, fritas de abóbora, velhozes, broinhas, aletria, arroz doce, mexidos, formigos, azevias, sonhos, coscorões,... sem esquecer o bolo-rei, de tradição originária de França, que os adultos gostam de acompanhar com um cálice de vinho do Porto.
No dia seguinte, na mesa de almoço de Natal onde não faltam os frutos secos e cristalizados, já se come carne: peru recheado,  leitão assado,  cabrito ou  galo capão, devidamente guarnecidos com batata assada e salada ou esparregado. A mesa das sobremesas mantém-se, mas recomenda-se acrescentar frutas frescas que desenjoam e ajudam a digestão. O desconforto digestivo pode acontecer nestas ocasiões de maior ingestão alimentar. Um chá ou uma infusão quente tomado após a refeição ajudarão, nesse caso, a melhorar a digestão e a eliminar a sensação de enfartamento.
Os dias de festa devem ser vistos como um parêntesis na rotina que deve ser desfrutado. Contudo, se não quiser ganhar peso, uma vez concluído o período excepcional, convém retomar o mais cedo possível o ritmo das refeições normais.
A partir do dia 26 resista a comer o que sobrou, em especial as sobremesas. Congele os restos porque corre o risco de prolongar demasiado os excessos gastronómicos. Sobretudo resista às guloseimas do Natal e volte à sopa, à fruta, às saladas e aos legumes. Beba mais água e retome a prática da actividade física. A contenção só vai durar uma semana. No dia de Ano Novo a festa está de volta. 

Desejo a todos os que nos visitam, dos quatro cantos do mundo, um FELIZ NATAL e um BOM ANO NOVO!

Ana Carvalhas

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Conheça as novas regras de rotulagem dos alimentos em vigor desde sábado

Rótulos com letra maior, apresentação obrigatória e mais clara de componentes alergénios (como o glúten, lactose, soja, frutos de casca rija), informação sobre a origem das carnes e indicação clara quando o produto já foi descongelado são algumas das novidades que devem constar dos rótulos dos alimentos desde sábado passado, graças à entrada em vigor das novas regras de etiquetagem de alimentos na União Europeia. 
Principais alterações às regras da rotulagem dos alimentos
  • Letra maior
  • Apresentação mais clara e harmonizada de alergénios (por exemplo, soja, frutos de casca rija, glúten, lactose) em alimentos pré-embalados (assinalados através de carateres, estilo ou cor do fundo) na lista dos ingredientes
  • Informações obrigatórias em matéria de alergénios para os alimentos não pré‑embalados, incluindo em restaurantes e cafés
  • Requisito de determinadas informações nutricionais para a maioria dos alimentos transformados pré-embalados (a partir de Dezembro de 2016)
  • Informação obrigatória sobre a origem da carne fresca de suíno, ovino, caprino e aves de capoeira (até aqui esta obrigatoriedade só existe para a carne de bovino)
  • Requisitos de rotulagem idênticos, para a venda à distância, online ou em lojas
  • Listagem de nanomateriais artificiais na lista de ingredientes
  • Informações específicas sobre a origem vegetal dos óleos e gorduras refinados
  • Indicação do ingrediente substituto em «alimentos de imitação»
  • Indicação clara de «carne reconstituída» e «peixe reconstituído»
  • Indicação clara de que o produto foi descongelado.
Fonte
Imagem

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

REFEIÇÃO IDEAL PARA DIABÉTICOS


Celebra-se hoje, 14 de Novembro, o Dia Mundial da Diabetes, uma doença que tem como principais factores de risco o excesso de peso e o sedentarismo. 

O meu contributo para a comemoração deste dia é deixar aqui o exemplo do que deve ser o segundo prato do almoço ou jantar do diabético. Rolo de carne com legumes (cenoura, courgete, beringela e pimento salteados em 1 colher de sopa de azeite e um dente de alho), depois de um prato de sopa de legumes (ver receita aqui). Para terminar, uma peça de fruta  e para acompanhar a refeição uma de três bebidas: água, cerveja (uma mini) ou vinho (20 cl), e nada de refrigerantes!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

FALAFEL: A RECEITA DO CHEF HENRIQUE SÁ PESSOA

Hoje é segunda-feira, dia de não comer carne, nem peixe, "meat free monday", lembram-se? Para o almoço experimentei fazer a receita de falafel do Chef Henrique Sá Pessoa com uma alteração: em vez de fritar, levei os pequenos "hambúrgueres" de grão a assar no forno. E não ficaram nada maus ; ) Experimentem!
Para ver a receita e o modo de confecção no youtube, basta clicar aqui.

domingo, 9 de novembro de 2014

CIENTISTAS IDENTIFICAM BACTÉRIA QUE AJUDA A EMAGRECER


(...) “Até agora, a variação na abundância dos micróbios no tubo digestivo tem sido explicada pela dieta, pelo estilo de vida e pela saúde de cada um”, explicou Ruth Ley, uma das autoras do estudo da Universidade de Cornell, Nova Iorque. “Este é o primeiro estudo que conclui de forma segura que certos tipos de micróbios são hereditários — a sua variação na população é em parte devida à variação genética, e não é simplesmente devida à influência ambiental.” 

Os cientistas conseguiram demonstrar esta variabilidade através de um estudo comparativo entre gémeos humanos verdadeiros e falsos. Enquanto os gémeos verdadeiros são clones naturais (um óvulo fertilizado por um espermatozóide divide-se e separa-se, desenvolvendo-se dois embriões com o mesmo genoma), os gémeos falsos têm um genoma diferente porque surgem quando uma mulher ovula dois ovócitos e cada um é fertilizado por um espermatozóide diferente. Do ponto de vista genético, são dois irmãos normais. Mas ao contrário dos irmãos normais e tal como os gémeos verdadeiros, os gémeos falsos partilham o mesmo ambiente desde o útero. Por isso, é possível investigar a importância da genética na variação da flora intestinal entre gémeos verdadeiros e gémeos falsos. 

A equipa analisou 1081 amostras de fezes de 977 indivíduos inscritos na base de dados Twin UK, do King’s College de Londres. No estudo, integraram 171 pares de gémeos verdadeiros, 245 pares de gémeos falsos e 143 pessoas com irmãos gémeos. Os cientistas recolheram ainda amostras ao longo do tempo de 98 dos 977 indivíduos. A maioria eram mulheres, entre os 23 e os 86 anos. Em relação à obesidade, 433 pessoas tinham o índice de massa corporal (IMC) entre o baixo e o normal, 322 tinham peso a mais, 183 eram obesas e o IMC era desconhecido para 39 indivíduos. 

Os resultados genómicos mostram que a flora intestinal desta população tinha “um perfil de diversidade tipicamente ocidental”, segundo o artigo. A análise encontrou ADN de 9646 tipos diferentes de microorganismos. Destes, 768 estavam presentes em 50% das amostras. Em geral, o microbioma intestinal tinha mais semelhanças na mesma pessoa entre duas análises feitas em momentos diferentes do que entre duas pessoas diferentes. E tinha mais semelhanças entre gémeos do que em duas pessoas sem parentesco familiar entre si. Mas em certas famílias de bactérias — como a Lachnospiraceae, a Ruminococcaceae ou a Christensenellaceae, a que pertence a espécie Christensenella minuta —, a flora intestinal apresentava mais semelhanças entre pares de gémeos verdadeiros do que entre gémeos falsos. “A abundância de membros específicos do microbioma do tubo digestivo é influenciada, em parte, pela constituição genética do hospedeiro”, defendem, por isso, os autores, que não conseguem explicar como acontece esta influência da genética sobre os micróbios. No entanto, quando analisaram a existência da Christensenella minuta tendo em conta o índice de massa corporal das pessoas, descobriram que a bactéria estava mais presente nas pessoas magras ou com peso normal. Por fim, os cientistas resolveram adicionar a bactéria à flora intestinal de ratinhos. O grupo de roedores que recebeu a Christensenella minuta teve reduções “significativas” de peso, segundo os autores. Mas está ainda por explicar este efeito anti-obesidade.

Fonte

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O CORPO DE UMA MULHER, POR PAULO COELHO


“Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.
Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra… está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros – é uma questão de proporções, não de medidas.
As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas… . Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los.
Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras.
A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor.
As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas… Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.
É essa a lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde.
Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher. Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.
As jovens são lindas… mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado. O corpo muda… cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.
Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.
Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ‘em formol’ nem em spa… viveram! O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se!”
A beleza é tudo isto.
Paulo Coelho

CIENTISTA PORTUGUÊS DESCOBRE COMO É QUE O EXERCÍCIO FÍSICO COMBATE A DEPRESSÃO

Jorge Ruas, um investigador do Karolinska Institute na Suécia, é coautor de uma importante investigação que vem demonstrar que o exercício físico ajuda a limpar o organismo de uma substância tóxica responsável por sintomas depressivos.

Há muito que as entidades médicas defendem os benefícios do exercício físico no combate à depressão causada pelo stress, contudo, não se compreendia de que forma ocorria esta protecção. A investigação liderada pelo farmacologista Jorge Ruas vem mostrar o mecanismo por detrás deste fenómeno. O estudo foi publicado esta semana na revista Cell.

A equipa do Karolinska Institutet (Suécia) revelou que o exercício físico induz uma alteração nos músculos esqueléticos (aqueles que estão junto ao esqueleto) que ajuda a eliminar uma toxina que o sangue acumula nos momentos de stress e que prejudica o funcionamento do cérebro.

Em comunicado de imprensa, o investigador e a sua colega de investigação, a neurocientista Maria Lindskog, explicam que a proteína PGC-1a1, presente nos músculos esqueléticos, aumenta quando se pratica exercício físico.


No início da investigação, Jorge Ruas e Maria Lindskog acreditavam que estes músculos com proteína reforçada produziriam alguma substância que ajudava a combater a depressão. Mas após a investigação em ratinhos descobriram precisamente o contrário: a proteína PGC-1a1 ajuda a eliminar uma substância tóxica que o stress faz acumular no sangue.

Os investigadores usaram dois grupos de ratinhos: uns com a proteína dos músculos reforçada e outros com músculos “normais”. Os dois grupos foram expostos a situações de stress (ruído, flashes de luzes, e inversão do ciclo de sono).

Depois de cinco semanas de exposição a momentos de stress ligeiro, a equipa verificou que os ratinhos com menos PGC-1a1 tinham desenvolvido comportamentos depressivos, enquanto os outros ratinhos não mostravam estes sintomas.

Enzimas KAT eliminam substância tóxica
Os investigadores verificaram que os ratinhos com altos níveis de PGC-1a1 também tinham níveis mais elevados de enzimas KAT - capazes de converter uma substância que se forma durante os momentos de stress, a quinurenina, transformando-a num ácido que não passa do sangue para o cérebro.

Os peritos ainda não sabem ao certo como actua a quinurenina no cérebro, mas a substância está ligada a estados depressivos e a outros distúrbios mentais.

“Este trabalho poderá abrir um novo caminho farmacológico no tratamento da depressão, sendo que o alvo terapêutico poderá passar a ser o músculo-esquelético em vez do cérebro. Este músculo parece ter um efeito de desintoxicação que, quando activado, pode proteger o cérebro, diz Jorge Ruas no comunicado.

A depressão é uma das doenças psiquiátricas mais comuns. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, este distúrbio afecta cerca de 350 milhões de pessoas em todo o mundo.

Fonte
http://boasnoticias.pt/noticias_Portugu%C3%AAs-descobre-enzima-que-combate-depress%C3%A3o_21046.html?page=0

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

PÃO DE AVEIA

Este pão de aveia que se faz rapidamente em casa é bom para o pequeno-almoço, mas é especialmente recomendado para o lanche, para a "hora do lobo". Contém menos carboidratos do que o pão tradicional e tem proteínas na sua constituição o que o torna mais saciante fazendo engordar menos. Este que está na imagem foi feito por mim ontem à tarde e tem o aspecto de um bolo delicioso. Fica muito bom com queijo fresco magro, requeijão ou fiambre de perú magro. Experimentem!

Pão de Aveia
3 ovos
6 colheres de sopa de farelo de aveia
5 colheres de sopa de leite em pó magro
3 colheres de sopa de iogurte natural magro
2 colheres de leite (pode ser meio gordo ou magro, o que houver em casa)
1 colher de sobremesa de fermento para bolos
1 pitada de sal (opcional)

Bater bem os ovos. Juntar o leite líquido e o iogurte natural. Bater mais um pouco e juntar a aveia e o leite em pó. Por fim adiciona-se o fermento e o sal e mistura-se rapidamente. Coloca-se numa forma de silicone (não é preciso untar) e vai ao forno aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos. Está pronto!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

CASTANHAS: QUENTES, BOAS E NUTRITIVAS

O cheiro das castanhas assadas na rua anuncia a chegada do Outono. Judia, Longal, Martaínha, Aveleira, Boaventura, Colarinha e Bária são nomes de algumas das variedades de castanha produzidas em Portugal entre Bragança, Vila Real, Viseu, Guarda e Portalegre. A castanha, de nome científico Castanea sativa, é um fruto do Outono com uma composição nutricional muito próxima da dos cereais. Foi a base da alimentação dos portugueses até ao século XVIII, quando o milho e as batatas entraram definitivamente na gastronomia europeia. A diferença entre as castanhas e os outros frutos gordos e amiláceos, também outonais, como nozes, avelãs e amêndoas, é que as castanhas são menos gordas e, por isso, menos calóricas.

Do ponto de vista nutricional, a castanha é um alimento energético, rico e completo, uma vez que contém água, amido (chega a ter duas vezes mais amido do que a batata!) e outros carboidratos como glicose, frutose, sacarose e fibras, na sua maioria insolúveis, gordura polinsaturada, proteína (não contêm glúten), vitaminas A, C e do complexo B e minerais como potássio, fósforo, cálcio, magnésio, cobre, ferro e manganés.

As castanhas são habitualmente consumidas assadas, cozidas ou piladas, mas existem muitas outras utilizações culinárias. Podem servir de acompanhamento ao peixe ou à carne, usam-se como base de sopas e até são utilizadas para confeccionar doces.

Sabem sempre bem, mas não há bela sem senão. Como referi, as castanhas são muito energéticas, sendo seis castanhas equivalentes a um pão. E quem é que consegue ficar só pela meia dúzia? O melhor é, no dia de assar castanhas, comer "só" sopa e castanhas. Assim poderá apreciá-las um pouco mais à vontade.

FALAFEL, o hamburguer vegetariano

O falafel, uma receita de origem árabe, é uma boa ideia para o almoço ou jantar da "segunda sem carne" ("meat free monday"). Trata-se de uma espécie de hamburguer de grão-de-bico, temperado com ervas aromáticas, sal, alho e especiarias e servido com molho de iogurte e legumes. Como tenho referido, a adesão ao movimento "Segunda sem carne" tem sido para mim um bom desafio à pesquisa de receitas vegetarianas equilibradas. Fiz uma rápida pesquisa no youtube e seleccionei uma receita original do Restaurante Shakshir em Amã, na Jordânia. O rolo de falafel servido no final do vídeo parece delicioso. Vou experimentar!


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

STEPHEN HAWKING E OS PASTÉIS DE BELÉM


Desceu há dias em Lisboa do navio cruzeiro Independence of the Seas, no Cais de Alcântara, Stephen Hawking, um dos mais consagrados físicos da actualidade. Era o princípio de uma curta visita por Belém e pela baixa lisboeta.

Entre a visita à Torre de Belém, à réplica do avião de Gago Coutinho e Sacadura Cabral que fez a primeira travessia aérea do Atlântico e o Mosteiro dos Jerónimos, Hawking provou os icónicos pastéis de Belém. O cientista que já não comia um bolo há mais de trinta anos, por ter limitações dietéticas, depois de comer o pastel de Belém, formou uma das poucas frases que disse todo o dia: "O que ando a perder há 33 anos."



quinta-feira, 23 de outubro de 2014

COMER FRUTAS E LEGUMES TODOS OS DIAS TORNA-NOS MAIS FELIZES

Comer dez porções de fruta e legumes todos os dias ajuda a melhorar a saúde física e mental e aumenta o sentimento de felicidade, segundo um estudo divulgado hoje pela Universidade de Queensland.
O cientista Redzo Mujcic disse à estação local ABC que o seu estudo comparou as escolhas feitas por cerca de 12 mil pessoas no consumo de frutas e verduras com os níveis de satisfação, stress, vitalidade e outros indicadores da saúde mental.
“Comer umas cinco frutas e legumes (por dia) faz-te mais feliz”, comentou Mujcic ao referir-se aos pontos analisados.
Além disso indicou que os efeitos positivos de uma maior quantidade de frutas e legumes são mais fortes nas mulheres, embora se desconheçam as razões para essa maior influência.
Mujdic considerou que se a saúde mental está realmente ligada à ingestão e frutas e legumes, os responsáveis pelo desenvolvimento das políticas governamentais deveriam promover um maior consumo destes alimentos.
Fonte: Lusa
Imagem: http://fiquedeboa.com.br

terça-feira, 21 de outubro de 2014

MULHERES COMEÇAM A ENGORDAR DEPOIS DOS 40

Dez anos antes da menopausa, por volta dos 40 anos, as hormonas reprodutivas femininas, progesterona e estrogénios, começam a sofrer uma variação e um decréscimo que ocorrem de forma discreta, que é imperceptível para a maioria das mulheres. De facto, o desequilíbrio na produção das hormonas femininas pelos ovários vai-se acentuando ao longo deste período de dez anos e os sintomas, semelhantes aos da famosa tensão pré-menstrual (TPM), também se vão acentuando e prolongando podendo, já próximo da menopausa, durar até quinze dias antes da menstruação.

Durante esta fase de pré-menopausa ocorre um conjunto de sinais e sintomas característicos da redução da progesterona, dos quais destaco a diminuição do metabolismo e o aumento da retenção de líquidos, por contribuírem para o acréscimo de peso e de gordura abdominal de que se queixam muitas mulheres. 

A partir dos 40 anos as necessidades calóricas começam a diminuir pelo que facilmente se percebe que os cuidados com a alimentação devem ser redobrados.

É inevitável reduzir a ingestão dos alimentos mais energéticos, como o açúcar, doces, bolos, pão, bolachas, massa, arroz branco e batata e substituí-los pelos que fornecem carboidratos mais complexos como cereais integrais, leguminosas, legumes e frutos oleaginosos (nozes, avelãs, amêndoas, etc.).

O peixe, a carne ou os ovos devem ser mantidos nas duas principais refeições, mas é importante começar a dar mais atenção aos peixes gordos por serem boas fontes de vitamina D e de gordura polinsaturada, ajudando a prevenir a osteoporose, as doenças cardiovasculares e a depressão.

Para manter os ossos fortes, devem ser ingeridas duas porções de lacticínios pouco gordos e pouco doces. Chamo a atenção para os iogurtes adoçados, que têm quantidades elevadíssimas de açúcar. A melhor opção são os iogurtes naturais, aos quais se pode adicionar um pouco de açúcar, ou queijinho fresco de 80 g que substitui o iogurte ao lanche. Aconselho a leitura dos rótulos.

Poucas gorduras e pouco sal.

Fruta e água, três peças e um litro e meio por dia, respectivamente.

Lembro que basta um excesso diário de 200 calorias para conquistar um aumento de 10 kg no peso ao final de um ano.

Mulheres que desejam manter o seu peso depois dos 40 anos, além de comer menos, precisam de queimar calorias por meio da actividade física. Praticar pelo menos 30 minutos diariamente garante um bom tónus muscular e ossos fortes, contrariando o processo de envelhecimento.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

FOTOGRAFIAS DO DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

Aqui estão algumas das fotografias tiradas hoje nas actividades da nossa comemoração do Dia Mundial da Alimentação. As crianças de Escolas de Coimbra, Figueira da Foz e Cantanhede amassaram o pão, provaram e gostaram de cenoura, couve roxa, pepino, pimento, tomate e alface, assistiram à leitura do conto "a sopa verde", plantaram e semearam respectivamente alface e couve, e feijão e milho, arranjaram a alface para o almoço, fizeram a salada de fruta colorida para a sobremesa e pintaram os heróis da Nutriventures. Foi uma actividade muito pedagógica de promoção de comportamentos alimentares saudáveis que envolveu as crianças na confecção dos alimentos que eles devem comer todos os dias. As crianças estiveram felizes e para nós foi um dia cheio. Obrigada a todos os que participaram! 

Uma criança saudável é uma criança feliz!












CRIANÇAS ATIVAS NO DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

Comunicado de imprensa da ARS do Centro sobre as nossas actividades do Dia Mundial da Alimentação:

Cerca de 80 crianças de escolas de Coimbra, Figueira da Foz, Cantanhede e do Jardim de Infância dos Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra (SASUC) vão estar envolvidas amanhã, Dia Mundial da Alimentação, num programa alusivo organizado pelo Núcleo de Nutrição do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Baixo Mondego e pelos SASUC.
As atividades iniciam-se às 09h45 e decorrerão na cantina do bufete vegetariano dos SASUC.


P R O G R A M A

10h00 –Workshop Comportamentos Alimentares Saudáveis, com as nutricionistas Ana Carvalhas, Elsa Feliciano e Susana Montenegro do ACES;
Leitura do conto "A sopa verde";
Realização de atividades práticas com o objetivo de promover comportamentos alimentares saudáveis.

- Programa “5 ao Dia” com Marina Montezuma, da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Isabel Ribeiro, do Mercado Abastecedor de Coimbra, e Rita Agante, da Escola Superior Agrária de Coimbra
Elaboração da salada de fruta para o almoço;
Diálogo sobre a importância do consumo de 5 porções de frutas e vegetais todos os dias;
Sementeira de uma leguminosa e conversa sobre o papel da agricultura no mundo que nos rodeia.

- Workshop Minichefs com Chef Luís Lavrador, dos SASUC
Textura, cheiro e sabor das ervas aromáticas e sua utilização na
alimentação;
Elaboração de saladas coloridas para o almoço;
Confeção do pão.

12h30 – Almoço saudável (SASUC);

Sob o lema “Alimentar o Mundo, cuidar da Terra”, o Dia Mundial da Alimentação chama este ano a atenção para a importância do papel da agricultura familiar no combate à fome e à pobreza, proporcionado segurança alimentar e nutricional, melhorar a subsistência, a gestão dos recursos naturais, proteção do meio ambiente e alcançar o desenvolvimento sustentável, em particular nas zonas rurais.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

DA JESSICA ATHAYDE PARA MULHERES REAIS


A bonita actriz Jessica Athayde, depois de ter desfilado nas passereles da Moda Lisboa, foi, ao que parece, criticada por estar gorda. Eis a carta que escreve a todas as mulheres publicada no seu blog Jessy James:

"As palavras que vos escrevo poderiam não ser escritas. Era mais fácil “não dar importância assunto” e “deixar morrer a coisa”. Era mais fácil…. mas não é o que vou fazer porque as palavras que vos escrevo não são só sobre mim: são sobre as mulheres e a forma como são permanentemente olhadas, julgadas e atacadas. São sobre uma ditadura de imagem imposta, uma tendência redutora de nos verem e de nós próprias olharmos umas para as outras. Isto tem de ser denunciado. Este bulliyng permanente tem de acabar e pretendo ser uma voz activa neste caminho que tem de ser percorrido por todas nós.

Sou actriz. Não sou modelo. Optei há muito por um estilo de vida saudável, com escolhas que faço todos os dias em relação à minha alimentação e prática de exercício físico.
Faço-o porque quero viver muito. Quero viver bem. Quero ser saudável e feliz como tantas outras mulheres.

Desfilei na Moda Lisboa como convidada. Desfilei com o corpo que tenho que é o meu e no qual me sinto muito bem.
Qual não foi a minha perplexidade quando observo que, a propósito de uma fotografia menos feliz, sou alvo de críticas, comentários desagradáveis e uma série de mimos, próprios deste mundo das redes sociais, em que ainda nos estamos a habituar a viver.
Estes comentários foram feitos na maioria por mulheres. Mulheres, vou repetir.
Mulheres que são filhas, mulheres que são mães, mulheres que ainda não perceberam que cada vez que cedem à tentação de atacar outra mulher com base nas suas características físicas, estão a enfraquecer a condição feminina, em vez de lhe dar força.
Estão a cultivar as inseguranças, as desordens alimentares, a escravidão da imagem.

Sou uma mulher segura, pelo menos trabalho nesse sentido. Se este incidente fosse só sobre mim, posso garantir-vos que pouca importância lhe daria.
Mas questiono-me sobre a quantidade de mulheres menos seguras, de todas as idades, mais ou menos felizes, magras, gordas, altas, baixas sofrem este tipo de perseguição no seu dia-a-dia. Mulheres que ao contrário de mim, não têm uma voz que se faça ouvir… Para alguma coisa tem de servir o facto de ser figura pública. Que seja então para dar voz a um grito que sei ser de muitas que me estão a ler neste momento: CHEGA!


Cada mulher é um mundo muito para além do corpo que a recebe. Apoiem -se. Defendam -se. Não permitam olhares redutores sobre aquilo que somos.
A dignidade da condição feminina passa também pelas mulheres perceberem que têm se unir nessa procura e nessa luta.

Queremos um mundo com mulheres felizes, inteligentes, pró-activas, inovadoras, solidárias e que façam a diferença.

Temos de estar juntas nesse objectivo.
Há pouco tempo perguntaram-me numa entrevista quem é que eu admirava, foi fácil responder. Emma watson, 22 anos, penso eu.
Emma Watson (actriz como eu) no seu primeiro discurso como Embaixadora das Nações Unidas para a Boa Vontade, inspirou o mundo lançando a campanha ONU #HeForShe, que fala sobre a liberdade e a igualdade entre os sexos.
Fala sobre a importância dos homens apoiarem as mulheres neste caminho.

Eu acrescento e peço em Portugal que abracemos também o #SheForShe

Ela por ela. Cada uma de nós pela mulher ao nosso lado. Seja no autocarro ou numa fotografia no ecrã do computador.
Beijinhos
Jessy"


domingo, 12 de outubro de 2014

HÁ ESCOLAS FANTÁSTICAS

Na passada quinta-feira fui ao final da tarde fazer uma comunicação intitulada "comer bem é mais barato" para toda a comunidade escolar, pais, alunos, professores e funcionários, da Escola Básica 2, 3 de Taveiro. No final tinha este jantar saudável à minha espera.


Envolver as crianças e os jovens na confecção da refeição parece-me uma excelente estratégia para mudar comportamentos e hábitos pouco saudáveis. Parabéns à direcção da Escola e aos professores pela iniciativa. Há Escolas fantásticas! 


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O AÇÚCAR ACUMULA-SE

Os hábitos dos jovens são difíceis de mudar. As crianças consomem em média 260 latas de refrigerante por ano. O açúcar "acumula-se".

SOPA DE COURGETE COM ABÓBORA

Esta é a sopa de courgete com abóbora, partilhada por uma leitora do blog no facebook, inspirada na receita do Chef Henrique Sá Pessoa que publiquei aqui.


quinta-feira, 9 de outubro de 2014

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Apresentação do livro Gerir a Diabetes – Uma Corrida de Fundo

Apresentação do livro Gerir a Diabetes - Uma Corrida de Fundo
Dia 9 de Outubro, às 18h30, na FNAC do Centro Comercial Colombo



Campeão olímpico Carlos Lopes relata o seu dia-a-dia com a Diabetes

O livro Gerir a Diabetes – Uma corrida de Fundo, da autoria da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), de Luís Gardete Correia e de Carlos Lopes será apresentado no dia 9 de Outubro, às 18h30, na FNAC do Centro Comercial Colombo. Editado pela Gradiva, reúne, simultaneamente, informação especializada e acessível sobre a Diabetes e o testemunho de Carlos Lopes, ex-atleta e campeão olímpico, hoje com a doença que afecta mais de um milhão de portugueses.

Gerir a Diabetes – Uma corrida de fundo abre com a partilha de algumas perspectivas e facetas da vida do campeão olímpico da Maratona em Los Angeles, Carlos Lopes, a quem foi diagnosticada Diabetes depois de terminar a carreira. Como descobriu que tinha Diabetes e quais as causas? Qual o impacto da notícia e que alterações a doença provocou na sua vida? Como lidou com a sua gestão diária? Estas são algumas questões que despertam a curiosidade para uma leitura atenta desta obra.

Numa edição da Gradiva, e com prefácio do Director-Geral da Saúde, Francisco George, este livro apresenta-se como um contributo para a compreensão da Diabetes e a prevenção das suas possíveis complicações, aberto a toda a comunidade, mas orientado para contribuir para melhorar a vida de pessoas que, como Carlos Lopes, lidam com a doença diariamente.

Na segunda parte do livro, estão reunidas um conjunto de informações fundamentais para a gestão da Diabetes, por Luís Gardete Correia, médico endocrinologista com uma vasta carreira dedicada ao acompanhamento destes doentes, e presidente da APDP, que dá também aqui um contributo de prestígio. Além de ser a associação de doentes mais antiga do mundo, é considerada um modelo mundial nos cuidados integrados às pessoas com Diabetes.

«Apesar da investigação que se realiza nesta área e dos medicamentos inovadores que a ciência vai fazendo surgir para melhorar a qualidade de vida da pessoa com Diabetes e proporcionar uma esperança média de vida igual à das pessoas que não têm Diabetes, esta obra relembra que a atitude preventiva é fundamental: tanto na adopção de hábitos de vida saudável, para prevenir o aparecimento da Diabetes Tipo 2, como na detecção precoce de possíveis complicações da Diabetes Tipo 1», explica Luis Gardete Correia.

O lançamento de Gerir a Diabetes – Uma Corrida de Fundo decorrerá no próximo dia 9 de Outubro, pelas 18h30, na FNAC Colombo, no C. C. Colombo, em Lisboa, e contará com apresentação do Director-Geral da Saúde, Francisco George, e do professor Manuel Sérgio. Estará também presente, em representação do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, o seu adjunto Paulo Marcolino.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Nutri Ventures disponibiliza materiais de combate à obesidade infantil

A obesidade infantil é a doença nutricional em idade pediátrica mais prevalecente no mundo actual. Da etiologia da obesidade fazem parte vários fatores, mas o comportamento alimentar desadequado e a falta de exercício físico são os mais influentes na magnitude da expressão clínica da doença. Está nas nossas mãos, profissionais de saúde, pais, professores e educadores, encontrar as melhores armas para combater a obesidade infantil.

Acabo de vir do site da Nutri Ventures , a primeira marca de entretenimento infantil do mundo a promover exclusivamente a alimentação saudável, que disponibiliza materiais exclusivos e gratuitos que, de uma forma inovadora e muito divertida, pretendem ajudar-nos a introduzir junto das crianças a alimentação e estilos de vida saudáveis. Por exemplo as vídeo-aulas são uma forma inovadora de apresentar conteúdos pedagógicos às crianças. São constituídas por um pequeno filme de 10 minutos que foca os aspetos nutricionais de cada Reino, por uma ou mais fichas de atividades relacionadas com o Reino em questão, pela planificação da atividade, dirigida ao profissional, e pelas soluções da ficha.

Torne a educação alimentar das suas crianças mais divertida. Visite o site da Nutri Ventures e faça download dos materiais.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

CERVEJA COM MODERAÇÃO FAZ BEM


Cientistas europeus destacaram, no VII Congresso Europeu sobre Cerveja e Saúde, realizado esta semana em Bruxelas, os benefícios do consumo moderado de cerveja e rejeitaram o mito da “barriga de cerveja”.
“O consumo moderado de cerveja como parte de uma dieta saudável, como a mediterrânica, ajuda a prevenir o enfarte do miocárdio e os acidentes vasculares cerebrais”, afirmou Ramón Estruch, do Hospital Clínic de Barcelona.
Cientistas de vários centros de investigação, entre os quais o Centro de Investigação Cardiovascular (CSIC-ICCC) da Catalunha, a Universidade de Barcelona e o Hospital Clínic de Barcelona, realçaram os possíveis benefícios da cerveja, com ou sem álcool, na saúde cardiovascular, obesidade, nutrição e prevenção do envelhecimento celular.
Linda Badimón, diretora do CSIC-ICCC, destacou que a ingestão moderada de cerveja, dois copos (40cl) para homens e um copo (20cl), para mulheres pode “favorecer a função cardíaca global“.
Rosa Lamuela, investigadora da Universidade de Barcelona, adiantou que os polifenóis, compostos encontrados maioritariamente em alimentos vegetais, podem reduzir o risco de problemas cardiovasculares e cancro, devido às suas propriedades antioxidantes.
“Na cerveja encontramos até 50 tipos de polifenóis com efeitos benéficos sobre a pressão arterial, colesterol e resistência à insulina”, afirmou Rosa Lamuela no congresso que reuniu cerca de 160 especialistas internacionais em medicina, nutrição e dietética, provenientes de 24 países.
A médica de saúde pública do Reino Unido, Kathryn O’Sullivan, desmentiu a crença da “barriga de cerveja”, por “não possuir nenhum fundamento científico” e acrescentou que o consumo excessivo de qualquer tipo de álcool pode levar ao aumento de peso, mas não o consumo moderado.
CERVEJA E DESPORTO
A utilização da cerveja para rehidratar após o exercício físico intenso tem sido muito controversa, mas houve participantes no congresso que defenderam que a cerveja, ao contrário de outras bebidas alcoólicas, possui pouco álcool, muita água (95%) e potássio, o que a torna apta para a reidratação após exercício físico.

Fonte
http://zap.aeiou.pt/

terça-feira, 30 de setembro de 2014

No Dia Mundial do Coração um caso de sucesso

Na imagem uma das sessões de exercício físico do PEG orientada pelo Miguel Costa

A Julieta tem 52 anos e foi referenciada para a consulta de nutrição, pela médica de família, em Fevereiro passado uma vez que apresentava obesidade de grau I, hipertensão e colesterol elevado. Tomava medicação para ajudar a controlar estas duas patologias. Propus-lhe a participação no Programa de Emagrecimento em Grupo (PEG) iniciado em Janeiro de 2014, tendo a Julieta aceitado de imediato. 

O PEG é um projecto destinado a adultos com excesso de peso e obesidade que tem como objectivo a perda de, pelo menos, 5% do peso através de mudanças comportamentais visando a alimentação equilibrada e a prática regular de exercício físico. Ao longo do programa os utentes participam em sessões de educação para a saúde com nutricionistas, médicos e psicólogos, workshops de confecção saudável dos alimentos com chefes de cozinha e praticam actividade física ao ar livre orientada pelo nosso Personal Trainer Miguel Costa.

Iniciou o programa com o peso de 75,6 kg, o que para  a sua altura de 1,56 m era demasiado (IMC=31,1 kg^m2). Sentia-se pesada e cansava-se com facilidade a subir uma ladeira ou apenas meia dúzia de degraus.Passaram sete meses e a Julieta apresenta 65 kg, o que significa uma perda de 13,2% do peso inicial. Os benefícios na sua saúde estão à vista de quem a conhece. No que se refere à gordura localizada no tronco passou de 17,3 kg para 8,9 kg, o que faz toda a diferença. De facto, a tensão arterial da Julieta voltou aos valores normais ao mesmo tempo que o colesterol baixou. A sua médica de família retirou-lhe  a medicação e deu-lhe os parabéns!

Este é, sem dúvida, um exemplo a seguir. O percurso que a Julieta estava condenada a seguir é o mesmo de  milhares e milhares de mulheres a partir dos 40 anos. Com o excesso de peso, vem a hipertensão, o colesterol elevado, a diabetes, as patologias cardíacas e uma série de medicamentos para tratar tudo isto.

A lição que tiramos do caso de sucesso da Julieta e de todas as mulheres que estão a participar no PEG é que os melhores medicamentos, ao alcance de todos nós, são a alimentação equilibrada e o exercício físico. Mas é preciso dispormo-nos a mudar de vida apostando na prevenção. A menopausa e a idade não servem de desculpa. Pensem nisto!   


quarta-feira, 24 de setembro de 2014

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES E NUTRICIONAIS PARA DOENTES COM CANCRO


Felizmente que o cancro é cada vez mais uma doença crónica e os doentes vivem muitos anos devendo ter cuidados redobrados com a alimentação.

Os doentes com cancro devem, dentro do possível, fazer uma alimentação saudável e equilibrada, praticar exercício físico e manter as rotinas diárias. Quanto à alimentação, esta pode ser um problema na fase do tratamento intensivo devido aos efeitos secundários, como a falta de apetite, náuseas, vómitos ou feridas na boca. Deixo aqui algumas recomendações alimentares e nutricionais e alguns exemplos de refeições nutritivas, boas opções para esta fase mais difícil.

Nota: Estas recomendações não substituem uma consulta individual com um nutricionista especializado em nutrição oncológica.

Recomendações alimentares e nutricionais para doentes com cancro:

No momento em que a doença é diagnosticada, os doentes podem apresentar perda de peso e uma desnutrição considerada moderada ou severa. Uma intervenção nutricional precoce e individualizada revela-se essencial para controlar a perda de peso, melhorar a resposta aos tratamentos, diminuir as complicações e melhorar a qualidade de vida. Os doentes apresentam muitas vezes alterações nos valores de glicemia e este dado tem que ser tomado em consideração na elaboração do plano alimentar.

Recomendações:

- Vigiar a glicemia
- Ter em conta as preferências alimentares do doente;
- Os alimentos escolhidos devem assegurar um aporte energético e proteico adequado;
- A dieta deve ser fraccionada em refeições de pequeno volume e muito nutritivas aproveitando os momentos de maior apetite do doente;
- Devem ser fornecidos frutas e legumes crus, cozidos ou assados;
- Se o doente estiver em tratamento com quimioterapia, deve fazer refeições de confecção simples (evitando cheiros intensos), atractivas e do seu agrado;
- Para prevenir náuseas e vómitos, recomenda-se ingerir alimentos frios com o objectivo de diminuir o sabor e aroma;
- Evitar a exposição a odores de comida penetrante ou desagradáveis, bem como aqueles alimentos que por si só podem produzir náuseas como é o caso dos fritos ou alimentos excessivamente condimentados;
- Nos períodos de náuseas evitar os pratos preferidos do doente para que não desenvolvam aversão a alimentos que serão úteis para o nutrir em fases assintomáticas;
- Evitar beber líquidos às refeições. Beber fora da refeição e em pequenas quantidades. As bebidas com gás (carbonatadas) podem ser úteis para diminuir distensão gástrica;
- Enriquecer nutricionalmente pratos como purés ou sopas utilizando a clara de ovo, queijo ralado, manteiga, nata, tapioca ou molhos tipo bechamel;


Exemplos de refeições nutritivas

- Sopa de legumes variados à qual se pode adicionar a carne, peixe ou ovo, se o doente apresentar falta de apetite. Adicionar uma mão de leguminosas (feijão, grão ou ervilhas) e aumentar a quantidade de azeite.
No caso do doente ter repulsa pela carne ou alimentos proteicos deve considerar-se a hipótese de adicionar à sopa um suplemento modular. Neste caso, pedir o conselho de um nutricionista.

- Acompanhar a refeição com pão ou broa;

- Açorda ou farinha de pau de peixe, carne ou ovo escalfado;

- Batidos de fruta com leite ou iogurte e cerelac ou bolacha maria (no caso de não haver alterações no valor da glicemia);

- Leite creme, arroz doce ou aletria (no caso de não haver alterações no valor da glicemia);

- Papas lacteas (Cerelac), Nestum ou no caso de haver alterações no valor da glicemia (hiperglicémia) pode optar-se por Nestum de arroz ou papas de aveia;

- Frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, amedoins, avelãs, cajús, etc.) podem fazer parte das saladas, por exemplo, ou ingeridos em qualquer refeição;

- A gelatina é normalmente bem tolerada;

- Sumos de fruta, sumos 100% e néctares;


Sites consultados

http://oncologiaynutricion.com/archivos/soporte_nutricional/sn_print_E.pdf (29.10.13)

http://www.inca.gov.br/inca/arquivos/publicacoes/consenso_nutricao_internet.pdf (29.10.13)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

ESTUDO SUGERE QUE ADOÇANTES ARTIFICIAIS CONTRIBUIRAM PARA EPIDEMIA MUNDIAL DA OBESIDADE

Notícia do jornal Público por Ana Gerschenfeld:
Milhões de pessoas no mundo deixaram de pôr açúcar no café e passaram a consumir, por razões de saúde, aspartame, sacarina ou outros adoçantes artificiais. A indústria alimentar utiliza-os para reduzir as calorias dos seus produtos. Porém, eles nem sempre são eficazes para perder peso – um enigma ainda por resolver. E apesar de um sem fim de estudos terem sido realizados desde a sua introdução na nossa dieta há mais de um século, os seus eventuais benefícios ou perigos continuam por avaliar.


Agora, uma equipa de investigadores em Israel descobriu um efeito tangível dos adoçantes sobre a nossa fisiologia. Mais precisamente, que o consumo de adoçantes é capaz, tanto no ratinho como no ser humano, de provocar desequilíbrios da flora intestinal – os milhões de milhões de bactérias que vivem no nosso intestino e nos ajudam a digerir os alimentos. E que, por sua vez, esses desequilíbrios podem fazer aumentar perigosamente os níveis de açúcar no sangue – ou seja, precisamente o que se pretendia evitar ao substituir o açúcar natural por adoçantes. Apesar de serem muito preliminares, os seus resultados, que foram publicados esta quarta-feira na revista Nature, levam estes autores a concluir que “a utilização em massa destes aditivos alimentares deve ser reavaliada” e que "os adoçantes poderão ter contribuído directamente para exacerbar precisamente a epidemia [de obesidade] que se destinavam a combater".
Para continuar a ler clique aqui.


Razão tenho eu quando digo nas consultas que não quero que troquem açúcar por adoçante. Ensino a reduzir gradualmente o açúcar que colocam habitualmente nas bebidas, pois o objectivo é educar o paladar para menos doce. 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

CORANTES COMESTÍVEIS A PARTIR DE FRUTAS E LEGUMES

Sempre que tenho uma festa de aniversário cá em casa, socorro-me dos vídeos do youtube Dulce Delight da brasileira Raiza Costa, que ensina a fazer bolos e sobremesas deliciosos e com um aspeto super atrativo. Partilho este vídeo sobre corantes comestíveis naturais em que ela nos ensina a extrair a cor das frutas e legumes. Deixem-se seduzir pela Raiza Costa em Dulce Delight, mas aviso, o canal dela pode fazer engordar. Assistam e percebam porquê ;)


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

É URGENTE REDUZIR O SAL DA ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS


Um relatório recentemente publicado pelo Center for Disease Control and Prevention , refere que 9 em cada 10 crianças nos Estados Unidos comem mais sódio do que o recomendado. A maioria deste sódio está nos alimentos processados.

Sabemos que o perigo de uma dieta rica em sódio é que este faz aumentar a pressão arterial e a prova disso é que, como podemos ler no relatório, 1 em cada 6 crianças americanas com idades entre os 8 e os 17 anos têm pressão arterial elevada.

A pressão arterial elevada é um importante factor de risco para doença cardíaca e derrame.

A redução de sódio na dieta das crianças de hoje pode ajudar a prevenir as doenças cardíacas de amanhã especialmente para aqueles que também têm sobrepeso.

O gosto pelo sal é estabelecido, muito cedo, através da alimentação. Os pais e encarregados de educação têm aqui um papel essencial podendo ajudar a diminuir o sódio influenciando a forma como os alimentos são produzidos, vendidos, preparados e servidos.

É fundamental previlegiar refeições mais ricas em legumes e fruta, confeccionadas em casa e servir lanches preparados com alimentos simples como leite ou iogurte, pão e fruta.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

SOPA SEM BATATA PASSO A PASSO / SOUP STEP-BY-STEP

INGREDIENTES: para 2 a 3 litros de sopa:


CONFECÇÃO:
Descascam-se e preparam-se os legumes. Coloca-se um pouco de azeite no fundo da panela e adiciona-se os alhos esmagados, a cebola e o alho francês partidos grosseiramente. Por-se a ferver o azeite até a cebola ficar transparente e adiciona-se um bom copo de água. Juntam-se as cenouras, a courgete e o sal e acrescenta-se água até meio da panela. Deixa-se cozer cerca de meia hora. 

Depois de verificarmos se a cenoura está  bem cozida, passa-se tudo com a varinha até ficar um puré fino. Acerta-se a água e adicionam-se os espinafres. 

Mais cinco minutos de cozedura
( os espinafres cozem rápido) e...
A sopa está pronta! 



terça-feira, 9 de setembro de 2014

PROPRIEDADES MEDICINAIS DA SOPA

O que é a sopa?
A sopa é um alimento milenar que consiste num caldo à base de legumes que se come habitualmente no início das principais refeições. É um alimento de baixo custo, de confecção simples e de digestão fácil. Do ponto de vista nutricional é um alimento inigualável! 

Que nutrientes contém a sopa?
A sopa é composta maioritariamente por nutrientes reguladores como a água, fibras, vitaminas, minerais e numerosos fitoquímicos, alguns com acção antioxidante, que fazem dela um verdadeiro harmonizador metabólico. O nosso organismo funciona melhor quando comemos sopa!

Para além dos micronutrientes reguladores, a sopa contém hidratos de carbono complexos, gordura (a melhor é o azeite com alto teor de ácidos gordos monoinsaturados) e terá quantidades consideráveis de proteína vegetal se se incluírem leguminosas como feijão, grão, ervilhas, lentilhas ou favas ou proteína animal se se introduzir pescado ou carne.

Propriedades medicinais da sopa e longevidade
Os nutrientes reguladores contidos na sopa promovem o bom funcionamento do intestino, a diurese, a saciedade e a perda de peso. Podemos dizer que as características nutricionais únicas e inigualáveis da sopa ajudam a prevenir, por exemplo, as doenças cardiovasculares e o cancro só para referir as duas doenças que mais vítimas fazem em todo no mundo. De facto, comer sopa todos os dias no inicio das duas principais refeições ajuda a melhorar os valores do colesterol e triglicerídeos e os doentes diabéticos controlam melhor a sua glicémia. Por outro lado, comer sopa diariamente permite restringir calorias sem sacrifício e está provado que a restrição calórica aumenta a longevidade por diminuir os radicais livres, os marcadores inflamatórios e os danos oxidativos do DNA o que proporciona um envelhecimento celular mais lento.  

Quem come sopa, come saúde
Um prato (200 mL) de sopa de legumes fornece cerca de 80 a 120 kcal sendo um alimento com baixa densidade energética, isto é, um grande volume de alimento com poucas calorias. Comer sopa todos os dias promove o emagrecimento, a saúde e a longevidade. É caso para dizer: quem come sopa, come saúde! 

Como fazer uma deliciosa sopa sem batata, no próximo post. Não perca! 

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

MANTEIGA OU MARGARINA?

O que devo comer manteiga ou margarina? Esta dúvida assalta certamente a maioria dos consumidores na hora de comprar um produto para barrar o pão. A variedade de margarinas e manteigas que existem actualmente no mercado e a publicidade dos respectivos fabricantes deixa confuso o comum dos mortais. O factor que mais influencia a escolha é, certamente, a preocupação de não aumentar ou, se possível, reduzir o colesterol. Vamos então aos factos:

A margarina foi inventada em 1869 por um químico francês, Hipollyte Mergé-Mouriès, que fez uma mistura à base de sebo, leite e úbere de vaca. Por ser uma gordura mais económica do que a manteiga depressa se tornou popular em toda a Europa. Mas o sebo das vacas europeias logo se tornou insuficiente para a expansão da indústria e, em 1907, fez-se a primeira experiência de hidrogenação dos óleos que consiste na saturação das duplas ligações dos ácidos gordos insaturados por átomos de hidrogénio, que faz a gordura solidificar. A primeira gordura utilizada neste processo foi o óleo de palma. Surgiram então as primeiras margarinas vegetais. A sua matéria prima são os óleos vegetais, ricos em ácidos gordos polinsaturados (como apregoa a indústria!), mas que se tornam saturados durante o processo de fabrico, por hidrogenação, formando as chamadas gorduras trans. Estas gorduras trans, ou gorduras hidrogenadas, comportam-se como gorduras saturadas no organismo, tendo efeitos ainda mais prejudiciais do que as gorduras saturadas naturais. 

Outros pontos desfavoráveis às margarinas são o sabor e o enorme conteúdo em aditivos químicos. De facto, durante o seu fabrico são-lhes adicionados emulsionantes, estabilizantes, aromatizantes (pretende-se imitar o sabor da manteiga), espessantes, corantes, conservantes e antioxidantes, entre outras substâncias.

Por seu lado, a manteiga é uma gordura natural de produção milenar que se obtém batendo a nata do leite. Trata-se de um alimento bastante rico em vitamina A. Recentemente surgiu no mercado e tornou-se popular a "manteiga magra". Tem teores mais baixos de gordura do que a manteiga usual, mas, tal como a margarina, está impregnada de aditivos químicos (basta ler o rótulo...) e por isso, a meu ver, tem muito pouco interesse do ponto de vista nutricional e da saúde.

A aura de vilã que a manteiga tem ganho nas últimas décadas deve-se ao facto de ser uma gordura saturada (as gorduras saturadas são sólidas à temperatura ambiente) e por conter colesterol. Por seu lado, a margarina vegetal não contém nenhum colesterol, mas faz subir o colesterol por ser saturada artificialmente. Então a escolha é entre duas gorduras saturadas, uma natural de sabor tradicional e rica em vitamina A - a manteiga- , e a outra artificial,com pior sabor e rica em aditivos químicos - a margarina.

A manteiga consumida com moderação (não mais do que um pacote de 10 gramas por dia) por pessoas saudáveis, adultos ou crianças, é melhor do que a margarina. Ninguém resolve o problema do colesterol elevado ao trocar a manteiga por margarina. Antes pelo contrário. Seria bem melhor se a trocasse, por exemplo, por azeite, mas sempre com muita moderação.

Paracelso, o famoso químico e médico do Renascimento escreveu uma frase muito acertada: "Todas as substâncias são venenos, é tudo uma questão de dose". E é por isso que devemos pensar duas vezes antes de comprar alimentos de consumo diário carregados de aditivos químicos.