É tempo de castanhas

Estamos no tempo das castanhas, um fruto muito apreciado. Mas não há bela sem senão. Dedico estas linhas, sobre as castanhas, a todos os diabéticos e aos que não querem ganhar peso.
A castanha é a semente no interior do fruto do castanheiro, o ouriço. Este fruto do Outono tem uma composição nutricional muito próxima da dos cereais. Talvez por essa razão a castanha tenha sido a base da alimentação dos transmontanos e beirões antes da batata chegar da América. Trata-se de um fruto amiláceo muito energético (chega a ter duas vezes mais amido do que a batata!), sendo particulamente rico em potássio. As castanhas não têm açúcar, mas têm amido, muito amido. Chegam a ter duas vezes mais amido do que as batatas. Por isso os diabéticos têm que ter evitar comer muitas. Os diabéticos devem saber que, quanto ao teor de hidratos de carbono, seis castanhas equivalem a um pão. Não devem comê-las sem mais. Nem devem cozinhá-las demasiado para que o amido não fique todo disponível para ser assimilado. Por exemplo, as castanhas assadas que se vendem na rua, são mais encruadas e, portanto, têm um índice glicémico mais baixo, isto é, não fazem subir tanto a glicémia, e também não engordam tanto.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas