ISABEL DO CARMO E O ARROZ DOCE


Li uma interessante entrevista concedida ao jornal I pela médica Isabel do Carmo, directora do Serviço de Endocrinologia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, que acabou de se reformar depois de 48 anos de serviço.

"P- Numa vida pública dedicada à nutrição e ao combate da obesidade, como é com pecados alimentares?

R- Agora que vim de férias, penso seriamente em fazer um horário mais racional.

P- Mas há alguma coisa a que não resista?

Os doces... Dizer isto publicamente é uma responsabilidade, pois passo o dia a dizer às pessoas para não os comerem. Mas isso também me dá uma maior compreensão da luta contra a natureza que têm de travar, ao passo que pessoas magrinhas e jovens não percebem isso. Eu percebo, até porque, do ponto de vista pessoal, tem sido a minha luta.

P- Tem algum doce preferido? Bombocas?

R- (risos) Não. Arroz doce. Que não é muito mau. É calórico como todos, mas não é dos piores."

Tal como a Dr.ª Isabel do Carmo, tenho muitas pessoas na consulta que não resistem aos doces. Eu felizmente não lhes passo grande cartão, mas faço arroz doce quando há festas cá em casa, pois há quem goste (e dizem-me até que fica muito bom!). Quanto ás minhas fraquezas alimentares... talvez também as venha a confessar quando me reformar.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas