quarta-feira, 29 de maio de 2013

OMS ADOPTA MEDIDAS PARA TRAVAR A OBESIDADE MUNDIAL

Os Estados membros da Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovaram na noite de segunda-feira, por consenso, uma resolução que visa fazer parar a progressão da obesidade no mundo até 2020.

A resolução estabelece um plano de acção contra as doenças não transmissíveis (cardiovasculares, cancro, respiratórias crónicas e diabetes), através do combate a uma série de factores de risco, entre os quais a obesidade.

«A luta contra a obesidade é uma prioridade, um dos factores mais importantes para combater as doenças não transmissíveis», declarou o director do departamento de Nutrição para a saúde e o desenvolvimento da OMS, Francesco Branca, citado pela agência France Presse.

Reduzir em 30 por cento o consumo médio de sal, aumentar a actividade física em 10 por cento e taxar os produtos maus para a saúde são alguns dos compromissos assumidos pela OMS.

«O custo da inacção excede de longe o custo das medidas», sublinha o plano de acção, que explica que o excesso de peso e a obesidade constituem o quinto factor de risco de morte a nível mundial, sendo responsáveis pela morte de 2,8 milhões de adultos anualmente.

«A aprovação do plano de acção é extremamente importante para lutar contra uma das crises de saúde mais devastadoras do nosso tempo», declarou à AFP John Stewart, um dos responsáveis da organização não-governamental Corporate Accountability International.

O plano de acção apela às empresas para colaborarem e propõe aos Estados uma série de objectivos voluntários.

Sugere-se aos países que eliminem os ácidos gordos industriais nos alimentos, que promovam a rotulagem nutricional dos alimentos, que diminuam o sal e o açúcar nos alimentos e bebidas não alcoólicas ou que reduzam o tamanho das porções.

Recomenda-se ainda aos Estados que aumentem «a acessibilidade financeira e o consumo de frutas e legumes».

A OMS sugere igualmente a utilização «de taxas» para desviar os consumidores de alimentos maus para a saúde, bem como que a publicidade destes seja afastada dos locais onde existem crianças, como as escolas.

As últimas projecções da organização indicam que pelo menos um adulto em três tem peso a mais e que perto de um em cada 10 é obeso, além da existência de mais de 40 milhões de crianças com menos de cinco anos com excesso de peso.

Fonte
diáriodigital.sapo.pt

O MEU ALMOÇO #3


Hoje o meu almoço foi cavala grelhada temperada com sumo de limão e pouco sal, courgete, também grelhada e tomate temperado com azeite e oregãos. Mas antes, um prato de sopa de feijão verde e no final meia dúzia de morangos. Tudo "low calorie" e muito bom!

terça-feira, 28 de maio de 2013

RECEITAS #14: COURGETE GRELHADA

A courgete ou abobrinha é um legume muito recomendado  nos regimes de emagrecimento por ter poucas calorias, uma de tamanho médio fornece 31 kcal,  substituindo facilmente a batata em muitos pratos.

Nutricionalmente é constituída por água, hidratos de carbono algumas proteínas e quantidades vestigiais de gorduras. Oferece uma quantidade considerável de fibras, potássio e folatos (vitamina B9), desde que consumida com a casca. Contém ainda uma pequenas quantidades de vitamina C, vitamina A, ferro e cálcio (informação nutricional baseada na USDA Nutrient Database SR18).

Há mil e uma maneira de preparar as courgetes, mas grelhada é uma das minhas favoritas.

Ingredientes (para duas pessoas):
-1 courgete
-1 colher de sopa de azeite
-1 dente de alho
-sal (opcional)

Lava-se bem a courgete em água corrente e cortam-se a base e o topo. Parte-se a courgete ao alto em lâminas finas e colocam-se no grelhador previamente aquecido. É nesta fase que, se desejarem, se polvilha de sal. Numa taça à parte, mede-se o azeite e pica-se o alho. À medida que as tiras de courgete ficam grelhadas vão-se colocando na taça envolvendo-as com o azeite e alho. E já está! Em menos de 10 minutos temos pronto o acompanhamento da carne ou do peixe que preparámos para o jantar. Bom apetite!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Bagas de Goji devem ser consumidas com moderação

O Observatório de Interações Planta-Medicamento aconselhou hoje os portugueses que estão medicados com varfarina, fenitoína, losartan, fluvastatina, entre outros, a terem "cautela no consumo" de bagas de goji, conhecidas como "bagas antienvelhecimento".

No alerta que faz à população no âmbito da campanha Aprender Saúde entre as Plantas e os Medicamentos, o observatório refere que este produto "não tem estudos devidamente estruturados que comprovem a suposta forte atividade antioxidante em humanos".

Quanto à segurança do consumo destas bagas, apenas foi feita a advertência de que não devem ser consumidas em quantidade superior a 45 gramas por dia.

As bagas de goji são pequenos frutos vermelhos, provenientes da planta Lycium Barbarum, originária na Ásia, China, Europa e Himalaias.

ACÇÃO "ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEL" NO CHOUPAL: COMPROMISSO

Comer saudável, dormir bem e praticar actividade física traduz-se em VIDA SAUDÁVEL: menos doenças, melhor crescimento, melhor qualidade de vida. É na minha idade que os bons hábitos se adquirem. Se eu me esquecer do que me ensinaram hoje, lembrem-me, se faz favor, todos os dias. Obrigado(a)!

ACÇÃO "ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEL" ONTEM NO CHOUPAL

Ontem passei a manhã na Mata Nacional do Choupal com crianças e os seus pais da Escola Básica da Solum numa acção de promoção de estilos de vida saudável. A Cristina Crespo, enfermeira na Unidade de Cuidados de Saúde Primários de Celas, que, em conjunto comigo organizou e coordenou as actividades, é autora do texto que resume o que lá se passou:

"Hoje conversamos sobre Estilos de Vida Saudável no Choupal! Diverti-me muito e aprendi algumas coisas que quero partilhar com a minha turma e com os meus pais/família!
É muito importante fazer atividades ao ar livre, ajuda a descobrir o mundo, a desenvolver o nosso corpo e estimula as defesas naturais do organismo! Dormir bem é essencial. As rotinas devem considerar as necessidades de toda a família. Por exemplo, considerem a hora a que saem e a que habitualmente chegam a casa para encontrarem tempo para brincadeiras, higiene, alimentação e sono.

15 REGRAS QUE APRENDI HOJE:
  1. Reduzir o sal, as gorduras e o açúcar na confeção e tempero dos alimentos;
  2. Usar gorduras com moderação, de preferência o azeite;
  3. Variar o mais possível os alimentos, preferindo os produtos de cada estação do ano;
  4. Fazer TRÊS refeições principais e DOIS lanches (a meio da manhã e a meio da tarde);
  5. Tomar sempre o Pequeno-almoço;
  6. Comer sopa todos os dias,
  7. Ingerir CINCO porções de fruta/legumes/vegetais por dia;
  8. Estimular as refeições em família;
  9. Mastigar bem os alimentos;
  10. Promover uma alimentação saudável na escola – incluir sempre fruta na merenda que trazemos de casa;
  11. Preferir o pão de mistura em vez de carcaças, baguetes, pão de forma, croissants, bolos, bolachas, pão-de-leite ou folhados.
  12. Evitar os doces – comer só nos dias de festa;
  13. Lavar os dentes pelo menos de manhã e à noite;
  14. Beber cerca de 1,5l de água por dia;
  15. Beber leite simples (evitar o chocolate por rotina ou cereais demasiado açucarados);

Estimular a atividade física promove a coordenação motora e o desenvolvimento intelectual. Praticar um desporto ajuda a ter disciplina, desenvolver espirito de equipa e aprender que o mais importante não é perder ou ganhar mas darmos o nosso melhor, aprendermos a respeitar o adversário e ajudarmos a nossa equipa. É muito importante conhecermos as nossas qualidades, todos temos muitas! Aprendermos a gostar de nós e a reconhecer aquilo em que temos de melhorar, sabermos pedir desculpa, sabermos escutar os outros, respeitá-los e não gozarmos com os nossos colegas (não fazer aos outros o que não gostamos que nos façam a nós)!"

sexta-feira, 24 de maio de 2013

CUIDADO COM CHÁ VERDE ENGARRAFADO

O chá verde é uma bebidas mais consumidas do mundo e é, de facto, uma óptima bebida para todos, incluindo as pessoas que querem emagrecer. Compostos antioxidantes presentes nas folhas do chá são benéficos para a saúde (as folhas de chá na figura são de uma plantação no Japão).

Um estudo feito por um laboratório independente nos Estados Unidos chama, porém, a atenção para o facto de algumas marcas de chá engarrafado serem pouco mais do que água açucarada, faltando os referidos compostos. Mais um exemplo da adulteração pela indústria do nome de um produto alimentar saudável!

Ver notícia no New York Times, onde eu gosto de ver as últimas notícias de saúde para me manter actualizada:

http://well.blogs.nytimes.com/2013/05/23/whats-in-your-green-tea/?ref=health

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Mesa para 10 000 000 000

Informação recebida do Pavilhão do Conhecimento - Centro de Ciência Viva:



Como imagina a nossa comida daqui a 100 anos? Com o crescimento da população mundial e a pressão crescente sobre os recursos, como alimentaremos o mundo? Inventaremos novos alimentos? Ou recorreremos a outros menos convencionais como insectos, algas ou carne /in vitro/?

No próximo dia 24 de Maio, sexta-feira, a discussão sobre o futuro da alimentação está na mesa e as suas ideias serão o prato principal do menu do Pavilhão do Conhecimento. "Mesa para 10 000 000 000" é a terceira e última noite do programa FUTURING.

Descubra a origem dos alimentos que consumimos, a quantidade de comida que desperdiçamos e prove alguns dos alimentos que poderão vir a fazer parte dos cardápios do futuro. Entre outros, teremos entradas e sobremesas com gafanhotos, grilos e outros insectos à sua espera.

Assista, às 20.30, à projecção do clip /How to feed the World/ e às palestras sobre desperdício alimentar, biotecnologia e cenários de alimentação para o futuro e de como uma designer portuguesa se lembrou de criar farinha de insectos para tornar estes animais mais apetitosos. Os nossos convidados serão Ricardo Garcia (Jornal Público), Luísa Schmidt (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa), Iva Pires (Projecto PERDA - Projecto de Estudo e Reflexão sobre o Desperdício Alimentar), José Matos (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária) e Susana Soares (Designer do projecto /Insects au Gratin/).

A entrada é livre mas requer inscrição prévia aqui. O evento decorrerá em português e destina-se a um público jovem/adulto.

domingo, 19 de maio de 2013

DESENHOS ANIMADOS PORTUGUESES SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL TRIUNFAM NO MUNDO

A série infantil de desenhos animados Nutri Ventures, criada por uma empresa portuguesa, dedicada à alimentação saudável é a primeira produção portuguesa a entrar em canais Disney (Espanha) e a entrar também em dois canais infantis de desenhos animados nos Estados Unidos, depois de ter passado entre nós  na RTP 2 e no canal Panda, com audiências que superaram todas as expectativas.

Mostro o trailer da adaptação em inglês, que está a ter êxito nos Estados Unidos. A série já foi apresentada a Michelle Obama, que tem defendido a causa da alimentação saudável nas crianças  e jovens, combatendo a obesidade infantil.



sexta-feira, 17 de maio de 2013

OBESIDADE INFANTIL ASSOCIADA A MAIS PROBLEMAS DE SAÚDE DO QUE SE PENSAVA



Sabe-se que as crianças obesas apresentam maior risco de sofrer de hipertensão arterial, diabetes e dislipidemia (triglicerídeos e colesterol elevados). Um estudo recente realizado por investigadores da Universidade da California, Los Angeles (UCLA), publicado na revista Pediatrics, revelou ligações entre a obesidade e diversos indicadores de saúde geral, incluindo mais deficiências, maior tendência para problemas emocionais e comportamentais, maiores taxas de repetência, alta abstenção na escola e outros problemas escolares como défice de atenção, depressão, dificuldade de aprendizagem, atrasos no desenvolvimento, problemas ósseos, articulares e musculares, asma, alergias, dores de cabeça e infecções dos ouvidos.

Referência
Neal Halfon, Kandyce Larson, Wendy Slusser. Associations Between Obesity and Comorbid Mental Health, Developmental, and Physical Health Conditions in a Nationally Representative Sample of US Children Aged 10 to 17. Academic Pediatrics, 2013; 13 (1): 6 DOI: 10.1016/j.acap.2012.10.007

quinta-feira, 16 de maio de 2013

E SE NOS LEVANTARMOS?



É boa ideia levantar-se, mesmo que seja a Coca-Cola a dizê-lo. Mas porque é que não se levantaram há mais tempo?

COCA-COLA CONTRA O EXCESO DE PESO E O SEDENTARISMO

Fico contente de saber que a empresa Coca-cola, com sede em Atlanta nos EUA, que até aqui tem sido acusada de ser parte do problema no que se refere ao excesso de peso e obesidade, agora quer fazer parte da solução:

"Excesso de calorias da Coca-Cola, apontada pelos críticos, leva marca a apostar numa campanha de luta contra a obesidade. A publicidade dirigida a menores de 12 anos vai acabar e a informação sobre a quantidade de calorias ficará mais visível. É a resposta da Coca-Cola, que vê consumidores com sentido crítico mais apurado."

Para ler a notícia clique aqui.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O QUE É NATURAL É BOM?


A notícia sobre os perigos dos produtos naturais suscitou a indignação de um leitor, que me escreveu dizendo que se trata de mais uma campanha "alarmista... que pretende extinguir o mercado dos produtos naturais para só os laboratórios farmacêuticos venderem químicos". Transmiti uma notícia proveniente de uma conceituada Faculdade de Farmácia.  Mas volto a  este assunto, na tentativa de esclarecer que o uso indiscriminado de produtos naturais pode mesmo prejudicar a saúde. Sei de casos concretos em que isso aconteceu. E  não tenho nada a ver com a indústria farmacêutica. 

Em primeiro lugar, o que são produtos naturais? Segundo a definição da Wikipédia, "um produto natural é um composto químico ou substância produzida por um ser vivo - encontrado na Natureza e que geralmente tem atividade biológica ou farmacológica que pode ser usado na descoberta ou concepção de produtos farmacêuticos." A fronteira entre produtos naturais e artificiais é, por vezes, bastante ténue. Não há, em geral, uma distinção clara entre aquilo que a Natureza faz e aquilo que o Homem fabrica. 

Existe uma ideia difusa de que o natural é saudável. Ora pode ser ou pode não ser. Os produtos naturais vêm da Natureza, mas isso não significa que todos eles sejam bons para a saúde.  Nem sempre o que é natural é bom! Com efeito,  a Natureza é capaz de originar tanto o melhor medicamento (estou-me a lembrar  a aspirina, que pode ser tirada da casca do salgueiro) como o maior veneno (estou-me a lembrar, por exemplo, dos cogumelos venenosos). Muitas plantas possuem constituintes com tão elevada actividade farmacológica que é  necessário controlar rigorosamente o seu consumo para evitar intoxicações. Há ainda a notar a diferente susceptibilidade dos indivíduos: a rapidez de metabolização de compostos químicos varia de pessoa para pessoa, pelo que a concentração no sangue da substância activa pode, em certas pessoas, atingir rapidamente concentrações tóxicas..

Há ainda o risco de interacções de compostos naturais com medicamentos que estejam a ser tomados. Por exemplo, algumas plantas provocam interacções com antidiabéticos, anticoagulantes ou anticoncepcionais que podem resultar em crises hipoglicémicas, hemorragias dificilmente controláveis ou gravidezes indesejadas. É por isso que se aconselha a não combinar plantas com medicamentos sem saber a opinião de um médico. 

Por último. Melhor do que recorrer a produtos naturais ou a medicamentos para tratar doenças é preveni-las. E isso consegue-se com uma alimentação  e um estilo de vida saudáveis. 

OBESIDADE INFANTIL: MAIS VALE PREVENIR!

No próximo sábado vou estar, aqui, no Instituto de Educação e Cidadania - A Escola Moderna para falar sobre a obesidade infantil.

terça-feira, 14 de maio de 2013

O MEU ALMOÇO #2

Mais uma refeição "low calorie" que se prepara em dez minutos e que é muito aprazível nestes dias mais quentes. Foi o meu almoço, depois de um creme de courgetes. Aqui vai o modo de preparação e os ingredientes:

INGREDIENTES (para 1 pessoa):
  • Dois tomates;
  • Meia lata de atum;
  • Meia cenoura ralada
  • Meia courgete com casca ralada;
  • Um ovo cozido;
  • Uma folha de endívia;
TEMPERO:
  • Uma colher de sobremesa de azeite;
  • Duas colheres de sobremesa de vinagre.
(este tempero pode ser substituído por uma colher de sobremesa de maionese que se mistura com o atum para rechear os tomates).

Retira-se a polpa dos tomates com a ajuda de uma faca ou de uma colher de sobremesa. Mistura-se a polpa partida em pequenos pedaços com o atum e a maionese e recheiam-se os tomates. Na folha de endívia coloca-se a cenoura e a cougete raladas e o ovo cozido. Tempera-se e já está.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

PRODUTOS NATURAIS PODEM LEVAR À MORTE


O Observatório de Interacções Planta-Medicamento da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra está a lançar uma campanha para sensibilizar a população dos riscos que corre ao consumir medicamentos com produtos naturais, como chás, suplementos ou até alimentos, em combinações que, nalguns casos, podem conduzir à morte.

Ler notícia aqui.

domingo, 12 de maio de 2013

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE DO BEBÉ

Do site esmeralda azul transcrevo a rubrica "Três perguntas a ..." efectuadas ao meu colega e amigo Pedro Moreira:

"O Professor Pedro Moreira é nutricionista e é doutorado em Nutrição Humana. Está envolvido em alguns trabalhos de investigação cujo alvo de estudo são as crianças. Vejamos as suas respostas:

1 - Muito se tem falado da influência do ambiente in útero na saúde futura do bebé, mas parece também influenciar as suas preferências alimentares após o nascimento. O que nos pode dizer sobre isto?

Reconhece-se que os principais pontos de impacto no contínuo de experiências que determinam as nossas preferências alimentares incluem 4 grandes domínios: (1) os flavores (sabores e aromas) que passam da alimentação da mãe para o líquido amniótico; (2) os flavores que passam da alimentação da lactante para o leite materno; (3) os flavores presentes nos primeiros alimentos do desmame; e (4) os flavores proporcionados na alimentação durante o crescimento e vida adulta.


2 - Durante a amamentação, muitas mães receiam consumir determinados alimentos de sabor mais forte, para evitar dar "sabor ao leite". Ou será que a introdução de sabores mais intensos não só não prejudica a amamentação como poderá ainda facilitar a introdução de novos alimentos aquando da diversificação alimentar?


Ainda que estejamos apenas numa fase de especulação e sem evidência convincente sobre estas relações, não deixa de ser curioso que em estudos de coortes em que as crianças são seguidas ao longo da infância, as que apresentam maior duração do aleitamento materno possam ser também as que apresentam maior consumo de produtos hortícolas. A comprovar-se esta associação com os hortícolas, e a de que um sabor conhecido e de que se gosta se possa traduzir em maior consumo desses alimentos, seria necessário repensar as "guidelines” para incorporar essas eventuais evidências. Mas a ciência ainda precisa de vencer algumas etapas e testar estas hipóteses, bem como a do melhor timing ("janela biológica” de oportunidade) para a introdução destes alimentos, nos primeiros tempos de vida.


3 - Tendo em conta a influência da alimentação durante a gravidez na saúde e preferências alimentares do bebé, quais as 3 recomendações que considera mais importantes dar a uma mulher grávida?

Em conclusão, (1) seria desejável oferecer serviços de aconselhamento que incluíssem um componente de educação alimentar e de actividade física ainda antes da concepção, especialmente às mulheres com peso excessivo ou obesidade, para que pudessem chegar ao momento de concepção no melhor estado nutricional e de peso corporal; (2) As mulheres grávidas deveriam poder beneficiar de um aconselhamento alimentar convergente com os objectivos de ganho de peso recomendado, o que poderia trazer benefícios para a gestão do risco obstétrico, diminuição da retenção de peso pós parto, melhoria da saúde futura, promover um peso adequado ao nascer, preparar a alimentação da criança e reduzir o seu risco futuro de obesidade; (3) Depois do parto, o aconselhamento alimentar poderá ser importante para recuperar o peso adequado, adequar a ingestão ao aleitamento materno e preparar a alimentação diversificada da criança
. "

quarta-feira, 8 de maio de 2013

O MEU ALMOÇO #1


A pedido de vários seguidores, vou dar, na rubrica "O meu almoço", sugestões de refeições para quem quer emagrecer. Fiz para o almoço de hoje salmão grelhado com salada de alface e laranja. Para os que pensam que cozinhar peixe dá mais trabalho, fica o exemplo de uma refeição que se prepara em 15 minutos:

Tempera-se o salmão com sumo de limão, pimenta e (pouco) sal (marinho de preferência). Aquece-se o grelhador e coloca-se o salmão com a pele virada para baixo. Enquanto o salmão cozinha, aquece-se a sopa e prepara-se a salada.

O que recomendo nas consultas para emagrecer é o que eu faço também (há que dar o exemplo e manter a linha):
  • Iniciar o almoço e o jantar com um prato de sopa de legumes;
  • O segundo prato é constuído por peixe ou carne ou dois ovos só com salada ou legumes grelhados, cozidos ou salteados e às vezes também incluo as leguminosas;
  • Como fruta à sobremesa, mas às vezes deixo-a para mais tarde;
  • Termino com um café sem açúcar e um quadradinho de chocolate de culinária.

SALMÃO GENETICAMENTE MODIFICADO SERÁ APROVADO ESTE MÊS?

Investigadores do Roslin Institute, da Universidade de Edimburgo (Reino Unido) empreendem uma campanha de encorajamento junto dos governos para estes apoiarem e disseminarem Salmão Geneticamente Modificado. Espera-se que a medida seja aprovada nos EUA até ao final do corrente mês de Maio.

Notícia completa aqui.

terça-feira, 7 de maio de 2013

O QUE EMAGRECE MAIS, DIETA OU EXERCÍCIO?

Todos sabemos que a dupla perfeita para emagrecer é a dieta e o exercício físico. Mas, coloca-se muitas vezes a questão, qual das duas é, isoladamente, mais eficaz? Um estudo da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, concluiu que os que acreditam que para emagrecer precisam de reduzir na alimentação, têm melhores resultados se fizerem dieta e os que acreditam que o excesso de sedentarismo é o responsável pelo aumento do seu peso, têm melhores resultados se apostarem forte no exercício físico. Concluiu-se daqui que o primeiro passo para chegar mais rápido ao peso desejado é conhecer bem o próprio corpo. 

Um outro estudo que fez a análise de 15 trabalhos de investigação, que envolveram 657 pessoas, realizado no Centro Pennington de Pesquisa Biomédica, nos Estados Unidos, e publicada em outubro de 2012 na revista Obesity Reviews, revelou que as pessoas que não alteraram a dieta, mas correram ou caminharam entre três a 64 semanas, apresentaram uma perda de peso inferior ao esperado, apenas 2 a 3 quilos. A explicação pode estar no facto de quem faz exercício compensar as calorias gastas comendo mais. Esta situação verificou-se em dois dos trabalhos analisados.

Um dos autores do estudo explica: "para gastar 500 calorias (meta diária de quem quer perder meio quilo por semana) é preciso fazer uma hora de actividade física intensa, como uma aula de "jump", por exemplo. O esforço pode ir embora em duas fatias de pizza."

O exercício é promovido como método de perda de peso, mas de pouco serve se não for associado a um regime alimentar para controlo da ingestão calórica de modo a assegurar um balanço energético negativo.

Para terminar, lembro que fazer exercício físico traz benefícios para a saúde,independentemente de fazer ou não emagrecer. De facto, diz-se que tem mais saúde um "gordinho" que faça exercício físico do que um "magrinho" sedentário. Esta noção já existia no século V a.C., estando clara em Hipócrates: “Só a alimentação não mantém um homem saudável; tem também de fazer exercício. Pois a alimentação e o exercício… só juntos originam saúde”.

MANUAL DO CAMINHEIRO


A Gradiva acaba de publicar mais um dos seus interessantes livros. O "Manual do Caminheiro" do canadiano Jean-Claude Rodet preenche uma função em Portugal, um país onde começa a ser popular o gosto pelas caminhadas (e aliás onde, desde há muito, são comuns as peregrinações a Fátima).  O subtítulo esclarece ao que vem o livro "Equipar-se, alimentar-se e cuidar de si... naturalmente". Caminhar serve para atingir ou manter a boa forma física assim como serve para uma pessoa se sentir bem no seio da Natureza (isto quando não serve também intuitos religiosos). Mas essa actividade não deve ser feito sem alguns cuidados mínimos, indicados neste livro, que em nada é prejudicado pelo facto de ter sido escrito e publicado originalmente no Canadá pois caminhar exige os mesmos cuidados aqui ou noutro sítio (já agora, louvo aqui a tradução do francês, exemplar da autoria de Maria de Fátima Carmo e Isabel Lopes).

A 1.ª parte do livro trata dos preparativos e do equipamento do caminheiro. A 2.ª parte foi para mim a mais interessante, pois toda ela é dedicada à nutrição do caminheiro: bebidas, alimentação, suplementos).  A 3.ª parte é específica sobre peregrinações. Finalmente, a 4.ª e última parte é sobre questões de saúde de quem caminha, por exemplo problemas nos pés.

Da segunda parte destaco a necessidade de hidratação. O caminheiro tem de beber água. Quanta?

"Alguns nutricionistas desportivos sugerem 1 ml por caloria ingerida, ou seja 3000 ml de líquido por um dia activo ao ar livre, e asseguram mesmo que são necessários 4500 a 6000 ml de água se a actividade for intensa e prolongada, ou se decorre  em condições extremas de calor ou de altitude.

Deve-se consumir regularmente e em pequenos goles (150 a 200 ml a cada 15 a 20 minutos, por exemplo) para optimizar a hidratação do organismo."

O autor diz o pior possível das colas. E eu assino por baixo.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

COMER PEIXE AUMENTA ESPERANÇA DE VIDA


Investigadores da Universidade de Harvard e da Universidade do Estado de Washington revelaram que pessoas com mais de 65 anos que tenham altos níveis de ómega-3 no sangue vivem em média mais 2,2 anos. Os cientistas provaram que o consumo regular de peixe, rico neste ácido gordo, reduz cerca de 35 por cento o risco de mortalidade por doenças cardiovasculares. O estudo foi divulgado na edição digital da revista Annals of Internal Medicine.

Darius Mozaffaris, coautor do estudo afirma que "o consumo de peixes ricos em ácido gordo é considerado há muito tempo uma alimentação saudável, mas havia pouca investigação para avaliar os efeitos benéficos do ómega-3 na saúde de adultos mais velhos".

"Os resultados desta investigação confirmam a importância de níveis adequados de ómega-3 no sangue para a saúde cardiovascular e sugerem que, mais tarde, esses benefícios podem aumentar o número de anos de vida",
adiantou o investigador.

Fonte
http://sicnoticias.sapo.pt/vida/2013/04/02/estudo-revela-que-comer-peixe-aumenta-esperanca-de-vida-dos-mais-idosos

sábado, 4 de maio de 2013

COLOR RUN COIMBRA: HOJE!

.
Color Run e Queima da Fitas fazem hoje de Coimbra a cidade mais colorida do mundo.
Estão inscritas 12 mil pessoas para correr os 5 km mais coloridos do planeta. 
Eu vou!
 

sexta-feira, 3 de maio de 2013

PORTUGAL TEM O MELHOR PEIXE DO MUNDO


Para Luís Baena, chef de cozinha há mais de 30 anos, não há dúvida de que "uma das riquezas de Portugal é a nossa costa, rica na diversidade de espécies fantásticas durante todo o ano e de onde parte o melhor peixe do mundo".

Luís Baena afirma que a fama e excelência do pescado português são características que correm todo o mundo, dando o exemplo de um restaurante em Nova Iorque, considerado o melhor dos Estados Unidos, que importa diariamente peixe português para a confecção dos seus pratos.

Fonte
http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=3190387#_page0

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Q&R #9: Porquê beber água morna em jejum?


Q - Porquê beber água morna em jejum?

R - Começar o dia com um ou dois copos de água morna é uma medida fácil de praticar que traz vantagens à saúde. Durante as horas que passamos a dormir perdemos água quer através da respiração quer através  da transpiração. De facto, este é o motivo porque muitas pessoas acordam com sede e sentem necessidade de beber água logo ao acordar. É como que se o organismo estivesse a "pedir" para repor as perdas  hidratando-o.

Q - Mas por que deve ser água morna ou quente em vez de água fria?

R - Quando acordamos a temperatura corporal é ligeiramente inferior ao normal. Por isso, ingerir água morna ajuda o corpo a estabilizar. Além disso, a água, quando bebida quente, protege as paredes do estômago e prepara-o para receber os primeiros alimentos do dia. De facto, uma bebida quente (água ou infusão) proporciona uma sensação de conforto e repleção que favorece uma melhor digestão. Quem quer emagrecer deve saber que esta medida diminui o apetite. Para as pessoas que sofrem de obstipação, beber água quente é uma medida que favorece a motilidade do intestino e a hidratação do bolo fecal acelerando o trânsito intestinal. Tudo isto são boas razões para criar uma rotina: beber um ou dois copos de água morna logo ao acordar.



DEZ RECOMENDAÇÕES PARA PERDER PESO DE FORMA SAUDÁVEL


Direção Geral de Saúde (DGS) publicou dez recomendações para a perda de peso de forma saudável. Destaco a regra número nove:

A aproximação do verão traz consigo um aumento da preocupação com o peso e com a imagem corporal. Aumenta também a publicidade a métodos e a produtos destinados a perder peso. Muita desta publicidade sugere resultados rápidos e pouco realistas. Infelizmente, a grande maioria destes produtos não conduz a soluções duradouras e pode até provocar carências nutricionais quando incentivam dietas desequilibradas.

Existem alguns princípios básicos a seguir para que a perda de peso seja saudável. As recomendações que fazemos são baseadas nas recomendações da Academy of Nutrition and Dietetics e da Organização Mundial da Saúde:
  1. A perda de peso é um processo que tem implicações na saúde.  As oscilações bruscas de peso associadas a dietas mal sucedidas podem ser perigosas. Só avance se tiver a motivação e a equipa certa para dar o primeiro passo.
     
  2. Confira o seu grau de motivação.  A perda de peso implica modificações sérias no dia-a-dia e a longo prazo. Reflita primeiro se quer modificar a sua alimentação e a sua atividade física, se tem condições para o fazer, nas dificuldades que poderão surgir e como ultrapassá-las.
     
  3. Avance com o apoio de um profissional.  Faça essa discussão prévia com um profissional de saúde especializado devidamente credenciado, por exemplo, pela Ordem dos Nutricionistas ou dos Médicos. Perder peso com sucesso implica um plano individualizado e o seguimento atento e cuidadoso de um especialista durante vários meses.
     
  4. Envolva a sua família e amigos.  O apoio familiar neste processo de perda de peso é vital, uma vez que facilita a aquisição de hábitos de vida saudável e evita recaídas (por exemplo: disponibilizar em casa alimentos saudáveis para todos e organizar caminhadas em família).
     
  5. Faça uma avaliação prévia e detalhada dos seus hábitos alimentares e de atividade física.  Quanto mais se afastar da rotina diária e dos seus gostos e preferências mais difícil será prolongar com sucesso uma "dieta". Deve distribuir as várias refeições ao longo do dia, em horário regular, não se esquecendo do pequeno-almoço e prevendo de forma cuidada situações inesperadas como fins-de-semana ou festas.
     
  6. Desconfie de planos alimentares monótonos ou de substâncias milagrosas.  Dietas da sopa, de frutas ou outras que não integram ou restringem fortemente determinados alimentos, são perigosas a médio prazo pois reduzem a disponibilidade de nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo. Infelizmente, ainda não existe, uma substância ou medicamento capaz de, por si só, fazer perder peso de forma eficaz, duradoura e sem riscos para a saúde.
     
  7. O aumento da atividade física é decisivo.  Se tiver possibilidade de ter apoio ao nível da atividade física a possibilidade de sucesso aumenta. Por vezes, a companhia de outras pessoas com os mesmos objetivos é determinante. Recomenda-se  para a perda de peso, e a acompanhar a dieta, pelo menos 30 a 60 minutos de atividade física moderada, 5 dias por semana.
     
  8. Defina prazos e objetivos realistas com o profissional de saúde. Rejeite metas impossíveis. Para quem tem peso excessivo, uma perda gradual de 5 a 10% do peso inicial (0,5 a 1Kg por semana), já traz benefícios de saúde e é um objetivo realista.
     
  9. Ajude a modificar o espaço que o rodeia.  O ambiente alimentar que nos rodeia é por vezes o maior obstáculo a uma alimentação saudável. Insista para que exista água disponível no seu local de trabalho. Peça pão de mistura no seu café. Se der uma festa para crianças disponibilize fruta de forma atrativa.
     
  10. Prepare-se e não desanime.  Lembre-se que em qualquer processo de mudança de hábitos alimentares o sucesso pode demorar. Vai ter, certamente, várias fases de desânimo e momentos de insucesso em que lhe vai apetecer desistir. Aprenda a lidar com estes momentos. No final deste processo pretende-se que tenha menos peso, mas acima de tudo, que tenha mais saúde e aprenda a gostar do seu corpo.