SALA DE CONSULTA # 26: Quatro casos de sucesso

O meu dia de consultas não podia ter terminado de melhor forma: as últimas quatro pessoas que vi tiveram resultados espectaculares. Duas irmãs, ambas na casa dos quarenta, um rapaz de 15 anos que julgava um caso muito difícil e um miúdo de 7 anos, que também julgava difícil, fizeram com que me sentisse bem. Vou contar a história  de cada um deles, tentando ser breve.

A primeira das duas irmãs foi a Camila. Tem 41 anos, é enfermeira, e estava, em Novembro passado, com excesso de peso de cerca de oito quilos. Tinha nessa altura o colesterol elevado e cansava-se facilmente a subir as escadas de casa. Dei-lhe um plano alimentar adaptado aos turnos do seu trabalho no hospital com recomendações alimentares para baixar o colesterol. Perdeu no primeiro mês quatro quilos, pelo que facilmente convenceu a irmã, Catarina, 44 anos, a marcar uma consulta. Hoje a  Camila está com o peso ideal. Vi a Catarina  pela primeira vez em meados de Janeiro. Agora, na segunda consulta, começou por me dizer que se sentia mais magra, apesar de não  se ter pesado em casa. Disse-me que nunca comeu tanta sopa nem tantos legumes como no último mês e meio. Em resultado, a Catarina perdeu quase quatro quilos, tendo deixado de ser obesa. Expliquei-lhe que todas as suas alterações alimentares devem ser mantidas porque só assim continuará a emagrecer e a ganhar saúde. As duas irmãs estão de parabéns.

O Hugo tem 15 anos. Começou as consultas comigo em Setembro de 2012 e teve pouco sucesso na perda de peso, com altos e baixos, apesar de ter mudado alguns dos seus hábitos alimentares. Um dos seus problemas era o desinteresse pelo desporto. Ao longo das consultas expliquei, a ele e ao pai, a importância da actividade física para obter sucesso mais rápido e consistente na perda de peso. A conversa que tive com os dois em Janeiro sobre este assunto teve efeitos. O pai arregaçou as mangas para, finalmente, ajudar o filho:  passou a tirá-lo do sofá três vezes por semana para caminhar e correr. O Hugo conseguiu perder três quilos de gordura, pelo que  hoje parece outro. Já corre dez minutos seguidos e está entusiasmadíssimo. Gostei de o ver. Parabéns ao pai, que foi a chave do êxito do seu filho..

O Paulinho tem sete anos, é obeso e também tem tido altos e baixos na perda de peso. De facto, na infância e na adolescência são comuns os casos ioiô na perda de peso. A  mãe disse-me logo na primeira consulta que só ali estava por indicação do médico de família porque não queria que que o filho emagrecesse muito. "- Doutora, eu gosto dele assim gordinho!" São poucos os casos em que isto acontece, ou melhor, nunca nenhuma mãe me tinha dito isto. Optei por lhe dizer que não se trata de uma questão de estética, mas  de saúde. E o Paulinho continuou a vir às consultas. A mãe ía fazendo, mais ou menos, o que eu recomendava. Em finais de Janeiro, uma sessão para pais, sobre obesidade infantil, que realizei na escola do Paulinho, fez a mãe mudar de atitude. Ela ouviu tudo o que eu disse com muita atenção. Mostrei fragmentos do filme "Muito além do peso", e reparei que se impressionou com o testemunho de uma menina que ficou diabética e dependente de insulina. Disse-me hoje que inscreveu o filho em aulas de actividade física para crianças, que passou a preparar sobremesas doces apenas ao domingo, dando preferência à gelatina. Reduziu-lhe o chocolate no leite e passou a dar-lhe pão, em vez de bolachas de chocolate, para o lanche escolar. O Paulinho apareceu-me feliz e muito conversador. Antes de sair, estendeu-me a mão e disse-me: "-Dá cá mais cinco!"      

Postar um comentário

Postagens mais visitadas