Pular para o conteúdo principal

Q&R # 6: O requeijão é bom ou mau para o colesterol?

Q- "Drª Ana: Como a minha área é totalmente diferente das relacionadas com a saúde física, procuro ter uma informação condensada que seja fidedigna. Foi assim que já há algum tempo (creio que anos mesmo) sigo o seu blog e leio todas as sugestões.

(,,,) Bem, para ir directo ao assunto: uma das minhas estratégia é a de reunir o máximo de informação possível sobre os alimentos. Não é, como sabe, tarefa simples já que há demasiada informação e muitas das vezes contraditória. Um dos alimentos que tenho pesquisado e não tenho encontrado respostas é o requeijão. Raramente como queijo (menos em alturas como o Natal em que compro dos melhores queijos da serra, que os adoro, com vinho), mas compro algumas vezes requeijão (preferencialmente de cabra) ou queijos frescos que misturo com saladas. Mas não faço ideia se o requeijão é um alimento a evitar devido ao colesterol.

R - Optei por responder no blog à questão deste leitor pois ela interessa certamente a outros. O valor do colesterol total já não é hoje tão valorizado. É mais importante saber os valores das fracções do colesterol (HDL e LDL).:

O requeijão é um sub-produto do fabrico do queijo que resulta da coagulação das proteínas do soro (lactoalbumina e lactoglobulina) por acção do calor. Há requeijão obtido a partir do leite de vaca, ovelha, cabra ou da mistura destes. Quando existe tendência para o colesterol elevado, a preocupação deve estar na quantidade e no tipo de gorduras consumidas. De acordo com a Tabela de Composição de Alimentos, 100 g de requeijão (porção recomendada) fornecem cerca de 11 g de gordura, cerca de dois terços constituída por ácidos gordos saturados e um terço constituída por ácidos gordos monoinsaturados. Comer uma porção de requeijão por dia pode ser aceitável, do ponto de vista do colesterol, se houver o cuidado de evitar outras gorduras saturadas. Fazendo as contas à quantidade total de gordura que deve ser consumida num dia, de acordo com um plano alimentar de 2000 quilocalorias, são cerca de 66 g. Destas, a maioria devem ser constituídas por ácidos gordos monoinsaturados presentes, por exemplo, no azeite. Concluindo: na minha opinião, o requeijão pode ser consumido com alguma regularidade sendo preferível a qualquer outro queijo. Deve ter atenção à quantidade, que não deverá ultrapassar a recomendada. Quanto ao queijo da serra, é muito saboroso, mas só o devemos consumir em dias de festa (cinco a seis vezes por ano, no  máximo), devido ao seu elevado teor de gordura saturada e de sal.
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…