Sala de Consulta #24: Sou diabética e agora?

A Margarida soube há um ano que sofria de diabetes, doença de que o seu pai e a sua avó padeceram. Nenhum sintoma a fez suspeitar que estava diabética, mas uma análise de rotina revelaram um valor de glicémia anormalmente elevado.


Apresentava peso normal para a sua estatura, embora possuindo um ligeiro excesso de gordura na região abdominal. Professora de profissão, não fazia, na altura, qualquer actividade física e dizia que o seu principal "pecado" era o pão e não os doces. Quando saía do trabalho passava sempre pela padaria e quando chegava a casa comia "dois ou três pães quentinhos com manteiga acompanhados de uma caneca de leite com café e açúcar."

Ficou surpreendida quando o médico a informou que era diabética. E agora? O médico tranquilizou-a. Receitou-lhe antidiabéticos orais e recomendou-lhe cuidados alimentares e prática de actividade física. Teria que avaliar as glicémias uma hora e meia após cada uma das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço e jantar) com o objectivo de conhecer melhor a sua doença e, caso necessário, reajustar a medicação.

Mal chegou a casa, instalou-se frente ao computador para recolher toda a informação que lhe permitisse conhecer melhor a sua doença. Descobriu o meu blogue. No dia seguinte ligou-me e marcou uma consulta.

A primeira coisa que expliquei é que a diabetes bem controlada não a impede de ter uma vida normal, prevenindo ou atrasando as chamadas complicações da diabetes como a cegueira, problemas renais e amputações.


(Não perca, no próximo post, as regras alimentares que comuniquei à Margarida, que também são válidas para outros diabéticos).
Postar um comentário

Postagens mais visitadas