SALA DE CONSULTA #18: Ser gordinho e ser saudável

Os dois homens mais pesados que ja passaram pela minha consulta, o Pedro e o Manuel, ambos com algumas dezenas de quilos acima dos 100 kg, deixaram-me surpreendida porque ao contrário do que seria de esperar estão com baixo risco relativamente ao índice aterogénico. O Índice Aterogénico calcula-se  dividindo o colesterol total pelo HDL-colesterol. O resultado deverá ser, idealmente, inferior a 5 e ambos estão bastante abaixo do valor referido.

Têm uma aparência saudável, não têm diabetes, nem hipertensão e apenas estão descontentes com o cansaço fácil e uma dor ou outra nas articulações dos membros inferiores.

Questionados por mim acerca dos seus hábitos alimentares verifiquei que tinham em comum preferirem o peixe à carne, não consumirem bebidas alcoólicas (apenas socialmente), nem refrigerantes e gostarem e comerem sopa diariamente em ambas as refeições principais. O principal erro, no entanto, que ambos cometiam era no número de refeições: o Pedro comia apenas duas vezes por dia: o almoço e o jantar, e o Manuel, menos mal, fazia três refeições por dia: pequeno-almoço, almoço e jantar.

Cheguei à conclusão que a obesidade destas dois homens devia-se, obviamente, a alguns excessos alimentares, mas principalmente à total inactividade física. Ambos na casa dos 40 anos, tinham praticado muito desporto quando mais jovens e ainda estudantes. O início da vida profissional, aos vinte e poucos anos, com uma paragem quase radical de praticar exercício físico, mas habituados a comer bem para sustentar a exigência do desporto, ditou o início do ganho de peso que os levou à obesidade.

 O tratamento prescrito foi simples e já está a dar resultados: organizamos as suas refeições em cinco por dia, reduzimos a quantidade nas refeições principais e ambos retomaram o exercício físico. Já experimentaram a redução do peso e, apesar de estarem longe da meta e de saberem que ainda terão que me "visitar" durante mais algum tempo, estão entusiasmados. O Pedro dizia-me na última consulta:"-Fazia falta na minha vida o desporto e eu não sabia. Sinto-me outro e com o dobro da energia!

Acredito que estes dois homens, graças aos seus hábitos e gostos alimentares, são, pelo menos do ponto de vista cardiovascular, mais saudáveis do que outros com menos peso. Lembro que o peixe, principalmente os chamados peixes gordos, fornecem ácidos gordos insaturados do tipo ómega-3, como o eicosapentanóico (EPA) e o docosahexanóico (DHA), que conferem protecção cardiovascular. São também boa fonte de vitamina D, que se encontra dissolvida na gordura, fundamental para a saúde dos ossos. Esta vitamina tem vindo, nos últimos anos, a ganhar relevância como factor fundamental na prevenção e tratamento de várias doenças como as cardiovasculares, hipertensão, cancro, diabetes e a obesidade.

Costumo dizer que é mais saudável um gordinho que se alimente correctamente e que faça exercício físico do que um magrinho que, por não engordar, come sem regra e nem se preocupa em fazer qualquer exercício fisico. Todos precisamos de cuidar da alimentação e de nos mexer mais.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas