SALA DE CONSULTA # 17: Obeso, diabético, hipertenso e ex-fumador

O senhor José Carlos, um homem de 45 anos, veio ontem à consulta de controlo de peso. Iniciou as consultas em Maio passado, por conselho do médico de família, com um quadro de obesidade mórbida (IMC>40 kg^m2) com diabetes e hipertensão associadas. Tomou a decisão de deixar de fumar em 2011 e fe-lo, com grande determinação, de um dia para o outro, mas foi ganhando peso o que agravou a sua obesidade.

A balança que tenho no consultório é um analisador da composição corporal que obriga os utentes a pesarem-se sem sapatos e sem meias. Recordo-me que o senhor José Carlos, quando veio pela primeira vez à consulta, ficou cansado e com respiração ofegante com o simples acto de apertar os sapatos e guardou as meias no bolso porque o esforço de as calçar era, para ele, muito grande.

A partir desse dia de Maio tem cumprido escrupulosamente as indicações alimentares que lhe dei e já perdeu 14 quilos. A actividade física que desenvolve é agricultura e criação de animais as quais se têm revelado mais do que suficientes para ajudar a reduzir o peso. O senhor José Carlos não pára um segundo e já começou a sentir  melhorias no controlo da sua diabetes tendo até, de acordo com a orientação do médico de família, suprimido um dos medicamentos que estava a tomar e a tensão arterial diminuiu. Contou-me que a principal alteração alimentar que fez foi comer  sopa nas duas principais refeições sendo o jantar, na maior parte dos dias da semana, constituído por dois pratos de sopa sempre com feijão ou grão de bico (porque as leguminosas têm proteína, como lhe expliquei) e fruta, como sobremesa. Disse-me ainda que antes de vir à consulta era impensável para ele passar sem comer pelo menos duas costeletas ou quantidade idêntica de outra carne. Agora come mais vezes peixe e até passou a preferi-lo à carne.

O senhor José Carlos está admirado como tem conseguido perder peso sem sentir fome e disse-me que sempre pensou que teria que passar muita fome e isso assustava-o, principalmente porque o seu trabalho é muito exigente fisicamente e tinha receio de sentir fraqueza.
Ele está feliz e eu dou-lhe a maior força para continuar. Levou como objectivo para a próxima consulta vir com um peso com apenas dois dígitos. Baixar a barreira dos 100 kg é uma vitória que faz bem ao ego.

NOTA: Os casos aqui contados na rubrica "Sala de Consulta" baseiam-se em casos reais, mas todos os nomes são trocados, assim como alguns pormenores são alterados, para garantir a absoluta privacidade dos doentes.
2 comentários

Postagens mais visitadas