Pular para o conteúdo principal

SALA DE CONSULTA # 11: Como resolver o problema da retenção de líquidos

A retenção de líquidos, um problema que afecta muitas mulheres,  provoca a indesejável sensação de inchaço e ganho de peso. Esta questão é frequente nas minhas consultas sendo as principais queixosas as mulheres e a fase de maior retenção o período pré-menstrual. Em geral têm em comum uma profissão sedentária e o facto de beberem muita água a fim de cumprirem o objectivo, tão divulgado, de ingerirem um litro e meio por dia. Nada mais errado.

Conto-vos a história da Isabel que fazia exactamente isso e que, no final do dia, sentia as pernas inchadas e pesadas. Veio à consulta para perder peso e queixou-se da retenção de líquidos. Disse-me: "Doutora, para a quantidade de água que bebo faço muito pouco chichi". Pois bem, como habitualmente, fiz-lhe o plano alimentar adequado aos seus horários e à sua actividade e proibi-lhe a ingestão de água ao longo do dia. Aconselhei-a, no caso de sentir sede, a beber chá ou outra infusão, sem açúcar, explicando-lhe que existe uma diferença entre beber água e beber chá ou infusão: estes últimos contêm minerais e iões que passaram das folhas ou de outras partes das plantas para a água, o que torna a bebida mais diurética do que a água (a diurese é a produção de urina pelos rins). Depois expliquei-lhe que no próximo mês conseguiria perder entre três e quatro quilos de peso à custa da redução de massa gorda e da redução da água retida nos tecidos, se cumprisse o plano prescrito. 

A maioria das pessoas com problemas de retenção de líquidos resolvem-no quando começam a cumprir o plano alimentar que prescrevo por várias razões: por um lado, aumentam o consumo de sopa, legumes e frutas, alimentos ricos em potássio que favorecem a diurese; por outro lado, deixam de consumir fritos, doces, bebidas alcoólicas, alimentos gordos e ricos em sódio (cereais, bolachas, enlatados, azeitonas, enchidos, etc.),  todos eles alimentos que favorecem a retenção de líquidos.  

A Isabel apareceu um mês depois na consulta com a felicidade estampada no rosto e desejosa de me contar as novidades. Tinha perdido, conforme medi, quatro quilos, dos quais três de massa gorda e um de água. E disse-me: "depois que passei a levar o chá para o trabalho, notei uma grande diferença, vou muito mais vezes à casa de banho. As pernas desincharam e até na barriga noto uma grande diferença." 

A sua infusão preferida é a de gengibre, que ela prepara com lascas de gengibre e água muito quente. Logo já vou passar no supermercado para comprar gengibre pois quero experimentar. Acho curioso o sabor do gengibre na comida, mas nunca bebi a infusão.

NOTA: Os casos aqui contados na rubrica "Sala de Consulta" baseiam-se em casos reais, mas todos os nomes são trocados, assim como alguns pormenores são alterados, para garantir a absoluta privacidade dos doentes.
6 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…