Pular para o conteúdo principal

Pipocas com telemóvel e outras historias de falsa ciência

Pipocas com telemóvel e outras historias de falsa ciência, Gradiva 2012, é o novo livro da autoria do físico Carlos Fiolhais e do bioquímico David Marçal, dois cientistas que desmontam de forma séria e muito clara algumas informações de falsa ciência que circulam por todo o lado.

O capítulo três, "Falsa ciência no supermercado: uma vida melhor e com mais descontos", alerta especificamente para as alegações de saúde contidas nos rótulos de alguns alimentos que, segundo os autores, não têm fundamento científico. Por exemplo, os benefícios para a saúde na publicidade aos iogurtes que têm determinadas bactérias que alegadamente fortalecem o sistema imunitário ou que regulam o trânsito intestinal. Os autores sustentam que não há estudos suficientes que apoiem estas informações, tendo havido mesmo casos de marcas que foram multadas.

Transcrevo um excerto do sub-capitulo intitulado "Iogurtegate":
"Em Dezembro de 2010 a multinacional Danone concordou em pagar uma multa de 21 milhões de dólares no âmbito de um acordo com a Federal Trade Commission (FTC), a entidade norte-americana que regula questões de consumo. Em causa estavam afirmações publicitárias exageradas acerca dos benefícios para a saúde dos produtos Activia e Actimel que, segundo aquele regulador concluiu, não passariam de publicidade enganosa. Os iogurtes multados são aqueles que contêm bactérias especiais com direito a nome no rótulo, com alegados benefícios para a saúde, conhecidas como probióticos. Para além das duas bactérias tradicionais presentes nos iogurtes (Lactobacillus bulgaricus e de Streptococcus thermophilus), o Activia contém Bifidobacterium animalis lactis e o Actimel Lactobacillus casei. No âmbito do referido acordo a Danone reconheceu que não existe qualquer evidência científica de que um iogurte Activia por dia «regula o trânsito intestinal» ou de que a bebida Actimel previne gripes e constipações." 

Neste capítulo podemos ainda saber mais sobre se há ou não fundamento científico na eficácia apregoada pelo marketing da indústria alimentar acerca dos antioxidantes, dos multivitamínicos e dos ómega-3.

Mais pormenores sobre o livro e os seus autores, aqui.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…