Pular para o conteúdo principal

Pôr ou não no lixo um alimento fora de validade

Em Portugal, não encontramos nas lojas alimentos com o prazo de validade expirado. Mas em nossas casas acontece por vezes que não consumimos os alimentos dentro do prazo inscrito na embalagem, ficando com pena de pôr no lixo alguns que ainda parecem estar bons.  É importante então sabermos mais sobre a rotulagem alimentar: 

O prazo de validade inscrito nas embalagens é estabelecido pelo produtor e pode ser apresentado de duas formas:
  • Data limite de consumo, que é apenas utilizada para produtos que facilmente se deterioram, sendo a expressão utilizada "Consumir até…" seguida da indicação do dia e do mês;
  • Data de durabilidade mínima, que é aplicada as todos os outros géneros alimentícios através das expressões "Consumir de preferência antes de …" , indicando a data o dia (por exemplo: manteiga, leite UHT, …) ou "Consumir preferencialmente antes do fim de", seguida da indicação do mês e ano, para alimentos com uma duração entre 3 e 18 meses (por exemplo: congelados, arroz, feijão seco, côco ralado, etc.), ou, simplesmente, a indicação do ano para alimentos com uma duração superior a 18 meses (exemplo: enlatados, mel, etc.).
No primeiro caso, o consumo após a data indicada poderá trazer riscos para a saúde porque se trata de alimentos que se deterioram fácil e rapidamente como, por exemplo, peixe fresco, carne picada, salsichas frescas, queijo fresco, leite do dia, bolos com creme, etc. Ao comer estes alimentos fora do prazo corre-se o risco de toxinfecção alimentar. 

No segundo caso, pode haver alteração das características dos alimentos, como, por exemplo, alteração da cor ou da textura, mas tal não acarreta nenhum risco para a saúde.

Lembro que a data colocada na embalagem é definida pelo produtor e este, para não correr riscos que ponham em causa a qualidade do seu produto, coloca uma determinada data sabendo que o produto se manterá em perfeitas condições de consumo durante muito mais tempo sem se deteriorar. Para evitarmos o desperdício de alimentos que estão bons, mas que já estão fora do prazo de validade, aconselho a abrir a embalagem e verificar a cor, o aspecto, a existência de bolores e o cheiro. Segundo dados da FAO (Agência para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas), a quantidade de alimentos desperdiçados na Europa e nos Estados Unidos é de 95 a 115 quilos per capita por ano!

O leitor encontra mais informação sobre Legislação Alimentar, Rotulagem e Nutrição em: http://www.gpp.pt/RegAlimentar/Legis/RN.html

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…