"DNA lixo": O futuro da Medicina


Cientistas de todo o mundo que constituem o consórcio ENCODE (sigla em inglês para “enciclopédia de elementos do DNA”) chegaram à conclusão que o genoma humano contém, pelo menos, quatro milhões de interruptores de genes que residem em fragmentos de DNA até agora considerados como "lixo". Estes interruptores controlam o comportamento de células, órgãos e tecidos. A descoberta, considerada um grande avanço médico e científico, tem enormes implicações na saúde humana, pois muitas doenças complexas, como o cancro, a diabetes, a depressão, etc., parecem ser causadas por pequenas mudanças em centenas destes interruptores genéticos.


Os cientistas têm-se concentrado até aqui na parcela mínima do DNA, os genes que codificam e regulam a produção de proteínas dentro das células, e que corresponde a cerca de 1% do gnoma humano.

  Esta descoberta é o resultado de um projecto que envolveu 440 cientistas de 32 laboratórios em todo o mundo e terá aplicações imediatas para entender de que modo alterações das partes não-genéticas do DNA contribuem para várias doenças humanas. Irá também certamente ajudar a explicar como o ambiente pode afetar o risco de doença.No caso de gémeos idênticos, por exemplo, como é que pequenas mudanças relacionadas com o ambiente podem alterar os interruptores dos genes de modo a que um tenha uma determinada doença e o outro não.
Fonte
Postar um comentário

Postagens mais visitadas