SALA DE CONSULTA # 2: Queda de cabelo após dieta

Acerca da queda de cabelo nas mulheres na semana passada tive duas situações que me leveram a escrever sobre o assunto. A primeira, um comentário de uma leitora do blogue que me pediu esclarecimento acerca da relação entre a alimentação e a queda acentuada de cabelo e a segunda, uma senhora que veio à consulta e que relatou alguma da sua experiência com dietas que tem feito e da queda de cabelo assustadora que sofreu no ano passado depois de ter feito uma dieta muito restritiva, daquelas que circulam na net.

Actualmente, quase 30% das mulheres entre os 20 e os 90 anos sofrem de calvice ou alopecia e a percentagem está a aumentar. Nas mulheres, a alopecia costuma ser difusa, repartida por todo o coro cabeludo, mas também tem uma base hormonal e hereditária. A predisposição genética desperta muitas vezes, por coincidência, em fases de mudança como o parto ou na menopausa em que ocorre queda de cabelo transitória. Mas outros factores como carências nutricionais, o stress, algumas doenças e medicamentos, podem desencadeá-la quando existe uma base genética. De facto, os especialistas verificaram que a maioria das mulheres, entre os 15 e os 30 anos, perderam cabelo após dietas de emagrecimento. A explicação é simples. Dietas muito restritivas com privação de alguns grupos de alimentos provocam carências nutricionais mais ou menos graves, que são compensadas pelo organismo que vai buscar os nutrientes em falta às estruturas que não são vitais, como os cabelos e unhas.

Quando não existe predisposição genética, os transtornos nutricionais ou problemas de saúde como a anemia ferropénica, problemas de tiróide, carência de cálcio, diabetes ou cancro provocam uma queda de cabelo subtil e difusa a que os dermatologistas chamam “eflúvio telegénico”. O stress e outros eventos emocionais negativos também podem ser a causa deste fenómeno. Nestes casos corrigir a causa pode acabar com a queda de cabelo, mas tal como nos homens, uma vez instalada, pode ser irreversível.

Tenham atenção às dietas que prometem perdas de peso rápidas, porque são muito restritivas podendo induzir carências nutricionais graves. Prolongar uma dieta deste género por meses, pode ter consequências desastrosas.

Se pretende perder peso procure a ajuda de um especialista e lembre-se que ninguém consegue perder, de forma consistente,  num mês ou dois os quilos que ganhou numa vida. Emagrecer é perder gordura corporal e isso leva o seu tempo.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas