Pular para o conteúdo principal

SALA DE CONSULTA # 2: Queda de cabelo após dieta

Acerca da queda de cabelo nas mulheres na semana passada tive duas situações que me leveram a escrever sobre o assunto. A primeira, um comentário de uma leitora do blogue que me pediu esclarecimento acerca da relação entre a alimentação e a queda acentuada de cabelo e a segunda, uma senhora que veio à consulta e que relatou alguma da sua experiência com dietas que tem feito e da queda de cabelo assustadora que sofreu no ano passado depois de ter feito uma dieta muito restritiva, daquelas que circulam na net.

Actualmente, quase 30% das mulheres entre os 20 e os 90 anos sofrem de calvice ou alopecia e a percentagem está a aumentar. Nas mulheres, a alopecia costuma ser difusa, repartida por todo o coro cabeludo, mas também tem uma base hormonal e hereditária. A predisposição genética desperta muitas vezes, por coincidência, em fases de mudança como o parto ou na menopausa em que ocorre queda de cabelo transitória. Mas outros factores como carências nutricionais, o stress, algumas doenças e medicamentos, podem desencadeá-la quando existe uma base genética. De facto, os especialistas verificaram que a maioria das mulheres, entre os 15 e os 30 anos, perderam cabelo após dietas de emagrecimento. A explicação é simples. Dietas muito restritivas com privação de alguns grupos de alimentos provocam carências nutricionais mais ou menos graves, que são compensadas pelo organismo que vai buscar os nutrientes em falta às estruturas que não são vitais, como os cabelos e unhas.

Quando não existe predisposição genética, os transtornos nutricionais ou problemas de saúde como a anemia ferropénica, problemas de tiróide, carência de cálcio, diabetes ou cancro provocam uma queda de cabelo subtil e difusa a que os dermatologistas chamam “eflúvio telegénico”. O stress e outros eventos emocionais negativos também podem ser a causa deste fenómeno. Nestes casos corrigir a causa pode acabar com a queda de cabelo, mas tal como nos homens, uma vez instalada, pode ser irreversível.

Tenham atenção às dietas que prometem perdas de peso rápidas, porque são muito restritivas podendo induzir carências nutricionais graves. Prolongar uma dieta deste género por meses, pode ter consequências desastrosas.

Se pretende perder peso procure a ajuda de um especialista e lembre-se que ninguém consegue perder, de forma consistente,  num mês ou dois os quilos que ganhou numa vida. Emagrecer é perder gordura corporal e isso leva o seu tempo.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…