Dieta de baixo índice glicémico é a mais eficaz para a fase de manutenção do peso

De acordo com um estudo publicado na revista JAMA, investigadores americanos constataram que as dietas de baixo índice glicémico são preferíveis à dieta com baixo teor de gorduras para os indivíduos que querem manter o peso, após terem emagrecido.

Neste estudo, a equipa de investigadores, liderada por David Ludwig, decidiu avaliar os efeitos da composição da dieta no gasto energético durante a perda de peso, tendo para tal contado com a participação de 21 adultos que tinham perdido entre 10 a 15% do seu peso. Depois, na fase de manutenção do peso, seguiram uma das três dietas, de forma aleatória, durante quatro semanas. As dietas adotadas foram as seguintes: dieta com baixo teor de gorduras que limita o consumo de gorduras e dá preferência à ingestão de hidratos de carbono (60% das calorias diárias totais); dieta de baixo índice glicémico, essencialmente composta, por cereais pouco processados, vegetais e frutas (40% das calorias diárias são provenientes dos hidratos de carbono); e a dieta com baixo teor de hidratos de carbono (apenas 10% das calorias diárias são provenientes de hidratos de carbono).

Os resultados do estudo sugerem que a dieta de baixo índice glicémico foi a mais eficaz na manutenção do peso. “Observámos que, contrariamente ao dogma nutricional, as calorias não são todas iguais”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos líderes do estudo, David Ludwig.

“Para além dos benefícios reportados neste estudo, acreditamos que a dieta de baixo índice glicémico seja mais fácil de seguir em comparação com a dieta de baixo teor de hidratos de carbono, considerada por muitos limitativa”, concluiu a outra líder do estudo, Cara Ebbeling.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas