LUTA CONTRA A OBESIDADE: Médicos querem proibir os patrocínios da McDonald's e Coca-Cola nos Jogos Olimpicos

A Real Academia das Faculdades de Medicina do Reino Unido, que representa cerca de 200 mil médicos de todas as especialidades do país, pediu a proibição do ptarocínio de  marcas como a McDonald´s e a Coca-Cola de eventos desportivos como os Jogos Olímpicos e do anúncios por personalidades a alimentos não saudáveis dirigidas ao público infantil. A entidade considera necessária a imposição de regras mais "contundentes e duras" na luta contra a escalada da obesidade.

Representantes dos médicos britânicos estiveram reunidos no passado domingo, tendo decidido lançarar uma campanha para enfrentar os crescentes níveis de obesidade no país. A iniciativa focou as suas críticas às empresas de junk food uma vez que estudos recentes estimam que 48% dos homens e 43% das mulheres do Reino Unido serão obesos em 2030 e, para os médicos, tais índices representam um aumento considerável do número de enfartes, doenças cardiovasculares, cancros e, consequentemente, um aumento enorme das despesas com a saúde pública. Entre as críticas da classe médica está o facto de o Governo britânico permitir que a responsabilidade sobre a definição do nível calórico e do tamanho das porções fique a cargo da indústria alimentar.

Entre as reivindicações presentes na campanha está o estabelecimento de uma zona ao redor de escolas onde a promoção de junk food não seja permitida. Para os médicos, os fabricantes de alimentos devem ser obrigados a publicar dados claros sobre calorias, açúcar, sal e gordura. Também sugeriram a imposição de um imposto sobre a gordura, aplicado nalguns países escandinavos de modo a penalizar os consumidores de produtos não saudáveis.

Estas e outras medidas deviam ser tomadas pelos governos dos países, como o nosso, que já estão a braços com o gravíssimo problema do aumento galopante da obesidade infantil e juvenil.


Fonte: isaude.net
Postar um comentário

Postagens mais visitadas