Cientista portuguesa identificou as dosagens benéficas de antioxidantes presentes na dieta mediterrânica para prevenção de cancros

Uma equipa internacional de investigadores, liderada por uma cientista portuguesa, identificou as dosagens benéficas de alguns compostos antioxidantes presentes na dieta mediterrânica que podem ajudar na prevenção contra o cancro da mama e da pele.
Os compostos antioxidantes estudados estão presentes em produtos como o azeite, vinho tinto, frutos frescos, legumes e cereais, entre outros, revelou à agência Lusa, Maria Paula Marques, da Universidade de Coimbra (UC).

A associação direta entre o consumo da dieta mediterrânica e uma menor incidência de vários tipos de cancro e de doenças cardiovasculares era já conhecida. Contudo, ainda não eram conhecidos os compostos com maior capacidade de eliminação de radicais livres nocivos.

Uma das conclusões importantes a que os investigadores chegaram é que as dosagens desses antioxidantes são determinantes na luta contra os agentes capazes de provocar doenças.  Contudo, a partir de certa concentração podem ser nocivos.

Os compostos antioxidantes consumidos em doses elevadas “podem ser pró-oxidantes, nocivos”, revela a investigadora, alertando para a existência no mercado de vários “aditivos alimentares, de venda livre, e de produtos alimentares enriquecidos, que raramente contêm a indicação da dosagem daqueles compostos”.

“As cápsulas destes compostos contêm dosagens mais elevadas do que as existentes nos  alimentos da dieta mediterrânica e se forem tomadas sem qualquer conselho médico podem ter consequências desastrosas para a saúde”, acrescentou.

Depois de determinarem as dosagens benéficas e as danosas, que podem diferir de composto para composto, os investigadores alertam para a “urgência em serem criadas normas reguladoras da utilização de aditivos alimentares, tal como acontece com para os medicamentos”.

Fonte:
ALERT Life Sciences Computing, S.A
Postar um comentário

Postagens mais visitadas