quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Iogurte enriquecido com vitamina D melhora os níveis de colesterol

O consumo regular de iogurte enriquecido com vitamina D melhora os níveis de colesterol e os marcadores de disfunção endotelial, precursores da doença cardíaca, nos pacientes com diabetes, dá conta um estudo publicado no “BMC Medicine”.

Os indivíduos diabéticos têm um maior risco de sofrer de doenças cardíacas. Por outro lado, a quantidade de vitamina D afecta o revestimento interno dos vasos sanguíneos (células endoteliais), podendo conduzir a aterosclerose e à doença cardiovascular.

Investigadores da Universidade de Teerão, no Irão, analisaram o efeito da vitamina D no índice glicémico, nível de colesterol e biomarcadores endoteliais. Os pacientes consumiram, duas vezes por dia, um iogurte líquido ou a mesma bebida enriquecida com vitamina D durante 12 semanas.
 
O estudo apurou que os pacientes que tinham consumido iogurte com vitamina D apresentavam níveis mais baixos de colesterol total e de  LDL e níveis aumentados de colesterol HDL. Todas as melhorias nos níveis de colesterol parecem ser devidas à redução da resistência à insulina, refere, em comunicado enviado à imprensa, Tirang R Neyestani, um dos autores do estudo.
 
Fonte
ALERT Life Sciences Computing, S.A.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pessoas obesas comem menos vezes, mas comem mais calorias

De acordo com um estudo publicado na edição de novembro do Journal of the American Dietetic Association, pessoas adultas com sobrepeso alimentam-se com menos frequência do que as que estão com peso normal. Apesar de realizarem menos refeições, elas consomem mais calorias e são menos activas do que quem não tem quilos extras.

Estar longos períodos de tempo sem comer, além de passar uma mensagem errada ao corpo, que acumula mais as calorias ingeridas, faz com que as pessoas compensem comendo maior quantidade em apenas uma refeição. Este estudo mostra como esse comportamento errado está a engordar a população.

O estudo acompanhou 250 pessoas, obesos e não obesos, durante um ano. Em média, os indivíduos com peso normal comeram três refeições e mais de dois lanches por dia, enquanto o grupo com excesso de peso fazia três refeições e um lanche durante o dia.

O grupo que mantinha o peso consumia 1800 calorias por dia, em comparação com os voluntários com sobrepeso e obesidade, que consumiam mais de 2000 calorias diárias.

Para Jessica Bachman, autora do estudo e professora do Departamento de Nutrição e Dietética da Universidade de Marywood, na Pensilvânia, Estados Unidos, os lanches durante o dia podem ajudar a prevenir o ganho de peso ao diminuir a intensidade da fome. "Se você esperar dez horas até a próxima refeição, acaba por consumir muito mais comida", explica.

O estudo também mostrou que aqueles que conseguiam manter o peso eram fisicamente mais activos, queimando 3000 calorias por semana com exercícios e outras actividades. O grupo de pessoas com sobrepeso e obesidade queimava apenas 800 calorias por semana com essas actividades.

Fonte: reuters.com

Mel combate bactéria resistente a antibiótico

Segundo o Daily Mail, cientistas da Universidade de Waikato, na Nova Zelândia, descobriram que o mel puro pode exterminar o estafilococos aureus resistente à meticilina.  Para ler a notícia clique aqui.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Curso Teórico-prático de Análises Microbiológicas de Alimentos e Produtos Alimentares

Informação recebida do Biocant, Cantanhede:

O curso pretende fornecer conhecimentos teóricos e práticos sobre controlo microbiológico de alimentos e produtos alimentares.

Objectivos:
• Interpretar os resultados microbiológicos e avaliar a respectiva relevância na saúde pública.
• Implementar e executar métodos microbiológicos de controlo de qualidade de alimentos e produtos alimentares em conformidade com as Normas e Legislação em vigor.
• Compreender os princípios básicos das reacções características e bioquímicas dos meios utilizados nas análises.
• Implementar e executar o controlo de qualidade interno das análises.

Destinatários:
• Profissionais envolvidos no controlo de qualidade microbiológico de alimentos e produtos alimentares na área da Restauração, Distribuição Alimentar, Hotelaria e outras.
• Alunos, Técnicos de Análises, e Professores ou Investigadores da área da Microbiologia de Alimentos e Produtos Alimentares.

Duração:
21 horas (11h30 componente teórica e 9h30 componente prática)

Data:
14 a 16 de Dezembro de 2011

Local da Formação:
Biocant (Cantanhede)

Preço e ficha de inscrição  aqui.

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis:
  • "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente.
  • Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo.
  • Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude!
  • Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos.
  • Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita).
  • Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo.
  • Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melhor. "

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Mondego, por Daniel Pinheiro

Apesar de não estar no âmbito do blogue, não resisti à tentação de partilhar este magnífico documentário sobre a vida selvagem do rio Mondego, da autoria de Daniel Pinheiro, jovem documentarista português que concluiu recentemente o mestrado na Universidade de Sanford, no Reino Unido, com a apresentação deste trabalho (clique na imagem para ver em ecran total).

"Mondego" by Daniel Pinheiro from Daniel Pinheiro on Vimeo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Limonada natural previne pedra nos rins


Para evitar a formação de pedra no rim, especialmente se já sofreu deste problema de saúde, é aconselhável reduzir as quantidades de sal, cálcio e proteínas da alimentação e beber sumo de limão. De acordo com um estudo realizado na Universidade da California, nos Estados Unidos, beber diariamente quatro limões dissolvidos em dois litros de água é benéfico para todos, mas principalmente para aqueles que tenham sofrido de pedra nos rins.

Roger L. Sur, responsável pela investigação e director do UC San Diego Comprehensive Kidney Stone Center, afirma que mais do que qualquer outra fruta cítrica, o limão tem uma grande concentração de citrato, um inibidor natural da formação da pedra nos rins. Quanto a outros sumos, o cientista refere não surtirem o mesmo efeito, visto não possuírem tanto citrato. As “versões comerciais” não têm o mesmo interesse porque podem conter suplementos de cálcio e oxalato, dois dos principais componentes da pedra que se forma nos rins.

Paralelamente à ingestão de sumo de limão, o cientista aconselha uma dieta pobre em sal, dado que este mineral estimula a eliminação de cálcio pela urina.

Segundo o cientista, o melhor é prevenir. Uma pessoa que já tenha tido uma pedra no rim tem 50% de probabilidade de vir a desenvolver outra pedra dentro de cinco a dez anos. Com as dietas alimentares que prescreve aos pacientes, Roger L. Sur diz esperar conseguir reduzir ou até eliminar os casos de pedra nos rins.

Fonte
ALERT Life Sciences Computing, S.A.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

e-Book: Mitos Sobre a Diabetes

Ontem, dia 14 de Novembro comemorou-se o Dia Mundial da Diabetes.

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):
"Segundo o “Estudo da Prevalência da Diabetes em Portugal”, realizado em 2009, estima-se que 11,7% dos portugueses têm Diabetes, o que corresponde a quase um milhão de pessoas entre os 20 e os 79 anos. Além disso, estima-se uma prevalência de 23,2% de pré-Diabetes, o que faz um total de 34,9% de portugueses com Diabetes ou pré-Diabetes. Tendo em conta que prevalecem ainda diversos mitos sobre a alimentação e práticas mais adequadas para o controlo da Diabetes, no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Diabetes, a Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN), lança um e-book com a desmistificação de alguns dos mitos mais frequentes".
Faça o download do e-book Mitos Sobre a Diabetes no sítio da APN: aqui.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OBESIDADE: Novo fármaco poderá ajudar a perder 10% do peso num mês

Investigadores do Anderson Cancer Center, nos Estados Unidos, testaram com êxito um novo fármaco contra a obesidade: o adipotide. Em apenas quatro semanas de tratamento com adipotide, macacos obesos perderam 11% do peso corporal e diminuiram 27% da sua gordura abdominal.

Ao contrário de outros fármacos com a mesma finalidade, que cortam o apetite, aumentam o metabolismo ou impedem a absorção de gorduras da alimentação, o adipotide imita o mecanismo de acção de alguns dos tratamentos contra o cancro que cortam o fornecimento de sangue e oxigénio às células gordas. O fármaco une-se a uma proteína localizada na superfície dos vasos sanguíneos da gordura induzindo a morte celular. Depois disso, as células adiposas são reabsorvidas pelo organismo.

O tratamento revelou ainda que os macacos melhoraram sua resistência à insulina, sugerindo que o adipotide pode prevenir a diabetes tipo 2. Foram registrados alguns efeitos nocivos nos rins, mas os médicos garantem que os males podem ser evitados com a redução da dose administrada.

Fonte da  imagem

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Quantas calorias devo ingerir por dia?

As calorias que precisamos de ingerir por dia dependem de uma série de factores nos quais se  incluem a altura, o peso, a idade, o sexo, o exercício físico e também algumas condições fisiológicas especiais, como doença, gravidez, etc. Mas, para estimar de um modo fácil e rápido tomamos apenas em conta dois factores de consumo energético: Taxa Metabólica Basal (TMB) e a actividade física.

O que é o TMB?
A TMB é o número total de calorias necessárias para manter o nosso corpo a funcionar em repouso, excluindo, portanto, todas as actividades físicas. Precisamos de energia para manter o coração a bombear o sangue, para os movimentos respiratórios, para a digestão dos alimentos, renovação celular, manutenção da temperatura corporal e para todos os processos metabólicos e reacções químicas do corpo.

Como calcular as necessidades de calorias diárias?
O método mais usado para calcular as calorias que gastamos diariamente é multiplicar a TMB por um factor de actividade física. Mas primeiro vamos determinar a TMB através da fórmula de Harris-Benedict, que é diferente para mulheres e homens:

Mulheres
TMB = 655 + (9,6 x Peso em kg) + (1,8 x Estatura em cm) - (4,7 x Idade)

Homens
TMB = 66 + (13,7 x Peso em kg) + (5 x Estatura em cm) - (6,8 x Idade)
Agora que já sabe a sua TMB pode calcular as calorias necessárias para um dia multiplicando a TMB pelo seu factor de actividade física a partir dos valores abaixo:

Factor de Actividade Física:
  • Sedentário (trabalho sentado com pouco ou nenhum exercício) = TMB x 1,2
  • Levemente activa (exercício moderado / desporto 1 a 3 dias por semana) = TMB x 1,375
  • Moderadamente activa (exercício moderado / desporto 3 a 5 dias por semana) = TMB x 1,55
  • Muito activa (exercício intenso /desporto 6 a 7 dias por semana) = TMB x 1,725
  • Extremamente activa (exercício intenso diário / trabalho desportivo ou treinos bidiários para maratonas, corrida de velocidade, etc.) = TMB x 1,9

Nove erros clássicos na hora de emagrecer

Saltar refeições, exagerar nas actividades físicas ou não procurar a ajuda de um profissional são três dos "nove erros clássicos na hora de emagrecer" publicados num artigo da jornalista Vivian Carrer Elias na edição online da revista brasileira Veja, aqui. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cuidados Alimentares para Doentes Insuficientes Renais

A Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN) alerta os doentes com insuficiência renal crónica para a necessidade de terem cuidado com a alimentação, para não correrem riscos de desnutrição.

“A escolha da dieta por parte do médico é sempre feita de uma forma individualizada, pois uma boa alimentação é fundamental para reduzir as complicações no doente renal e melhorar a sua qualidade de vida”, refere, em comunicado enviado à imprensa, Fernando Nolasco, presidente da SPN.

Para os doentes com insuficiência renal crónica a dieta é parte fundamental do plano de tratamento, além da terapia farmacológica e dos tratamentos convencionais (diálise, hemodiálise e transplante renal).

Na insuficiência renal crónica, o fósforo contribui para as alterações ósseas observadas nestes doentes, pois não é eliminado de forma apropriada, acumulando-se quantidades excessivas. Por outro lado, os rins são responsáveis por activar a vitamina D essencial para que o organismo possa absorver o cálcio dos alimentos. Quando os rins deixam de funcionar, esta vitamina não é activada e o cálcio não é absorvido. Por isso é importante reduzir a ingestão de fósforo e aumentar a ingestão de cálcio e vitamina D na sua forma activa. O fósforo e o cálcio estão presentes sobretudo no leite e seus derivados. Por esta razão existem medicamentos que actuam corrigindo os defeitos existentes.

A perda da funcionalidade dos rins faz também com que o potássio se acumule no sangue. “Quando os níveis ficam muito altos, o doente tende a sentir debilidade muscular, tremores e fadiga e pode correr risco de vida”, alerta o nefrologista. O potássio está presente sobretudo na fruta, frutos secos e legumes. Por se tratar de um mineral solúvel em água, grande parte do potássio contido nos alimentos pode ser eliminado através de técnicas culinárias tais como a imersão (pôr os legumes de molho umas horas antes de cozinha-los) ou dupla cozedura (eliminar a água da primeira cozedura e voltar a cozer) .

Na insuficiência renal a eliminação de sódio e água através da urina é reduzida. Como consequência da retenção de sódio, os doentes têm uma grande sensação de sede e a retenção de água pode dar origem ao aparecimento de edemas e subida da tensão arterial. Se esta condição não for controlada pode conduzir a situações de insuficiência cardíaca. Sal, queijo e marisco são os principais alimentos ricos em sódio.

Fonte
Alert-online.com

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Cientistas franceses conseguiram reverter envelhecimento celular


Cientistas franceses conseguiram recuperar a juventude de células de dadores centenários, ao reprogramá-las ao estágio de células-tronco*, demonstrando assim que o processo de envelhecimento é reversível.
Ler notícia completa aqui.

*Células-tronco-Também chamadas de células-mãe, podem transformar-se em qualquer um dos tipos de células do corpo humano e dar origens a outros tecidos, como ossos, nervos, músculos e sangue.

Workshop APN

Informação recebida da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN):
(clique na imagem para a aumentar)