Pular para o conteúdo principal

III Ciclo de Cinema e Alimentaçã​o

Informação recebida da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN):

A APN junta-se novamente à Medeia Filmes, para mais um Ciclo de Cinema e Alimentação.
Teatro do Campo Alegre
9, 16, 23 e 30 de Novembro 21h30
3,5€/bilhete

Durante 4 semanas, será possível (re)ver alguns filmes que raramente passam no cinema e debater os temas neles abordados por especialistas dessa área, meditando-se sobre o actual papel da alimentação na sociedade portuguesa.

SINOPSES

9 de Novembro
Ruggles of Red Gap (O estravagante Sr. Ruggles), de Leo McCarey / 1935
Um clássico!Ruggles, mordomo de Lord Burnstead, está a passear em Paris em 1908, junto com o patrão. Lá também se encontram o rude fazendeiro americano Egbert Floud e sua esposa Effie, que tem pretensões de ascender socialmente. Num jogo de póquer, Egbert "ganha" Ruggles e, para horror deste, leva-o para a cidadezinha de Red Gap, no Oeste Selvagem. Effie apresenta-o como um aristocrata inglês e Ruggles acaba por se tornar uma celebridade. Ele torna-se amigo da viúva Judson, graças aos seus conhecimentos culinários, porém levanta as suspeitas de Charles Belknap-Jackson. Com o tempo, Ruggles aprende as delícias da democracia americana, da independência e do empreendedorismo, até abrir um restaurante.

16 de Novembro
Aprés Vous (Faça Favor...), de Pierre Salvadori / 2003
Antoine é chefe de mesa num restaurante em Paris. Ao voltar para casa uma noite, salva Louis do suicídio e faz tudo para que ele volte a gostar de viver. Com um estranho sentimento de culpa por ter salvo a vida deste pobre homem, Antoine faz tudo para melhorar a sua vida. Arranja um trabalho a Louis, e pouco a pouco cresce uma amizade entre eles. Mas apesar dos esforços de Antoine, Louis não consegue deixar a sua obsessão: Blanche, o amor da sua vida e a mulher que o levou ao desespero. Antoine resolve então ir ao encontro dela sem o dizer ao seu novo amigo, mas nada corre como planeado.

23 de Novembro
Mondovino, de Jonathan Nossiter / 2004
Documentário sobre o vinho e tudo o que envolve a produção do mesmo O filme é uma investigação sobre o tema da globalização, tendo como principal personagem a indústria do vinho e a transformação das formas de produção no velho mundo, influenciadas pelo mercado americano.Como representante da mudança, o filme apresenta o enólogo e consultor Michel Rolland, um dos mais requisitados da Europa, que entre gargalhadas, cigarrilhas e telefonemas, aconselha os produtores a micro-oxigenar o vinho, entre outras manipulações, garantindo um paladar homogéneo e pronto a atender o grande mercado.


30 de Novembro
Io Sono L'Amore (Eu sou o Amor), de Luca Guadagnino / 2009
Emma, a matriarca de uma abastada família milanesa, vive num mundo cuidadosamente ordenado onde dominam os seus deveres para com o marido e os filhos. Mas um encontro casual desperta paixões há muito reprimidas, transportando-a para uma viagem que mudará a sua vida.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…