Álcool: veneno ou medicamento?

A longo prazo, a ingestão excessiva de álcool está associada a várias condições, entre elas o cancro da mama, cancro da boca, doenças cardíacas, derrames, cirrose hepática, problemas de saúde mental, perda de memória e diminuição da fertilidade.
Um estudo publicado no British Medical Journal no ano passado concluiu que o consumo de álcool provoca pelo menos 13 mil casos de cancro por ano na Grã-Bretanha, nove mil em homens e quatro mil em mulheres.
O efeito negativo do álcool para a saúde em geral pode estar associado a um composto conhecido como acetaldeído, produto em que o álcool é transformado após ser digerido pelo organismo. O acetaldeído é tóxico e danifica o DNA das células. O cientista KJ Patel, que trabalha no laboratório de biologia molecular do Medical Research Council, na Grã-Bretanha, tem vindo a estudar os efeitos tóxicos do álcool e afirma: "não há a ocorrência de uma célula cancerosa a não ser que o DNA seja alterado. Quando você bebe, o acetaldeído corrompe o DNA das células e coloca a pessoa no caminho para o cancro".

No entanto, alguns estudos têm demonstrado que, bebido com moderação, o álcool pode proteger o coração e os vasos ao elevar os índices de bom colesterol no organismo e impedir a formação de coágulos sanguíneos.

Como vimos, o álcool pode ser veneno ou medicamento, depende da quantidade. Fica o meu conselho: beba com moderação. Para os homens a recomendação é dois copos de 20 cl por dia e para as mulheres, porque apresentam menor tolerância ao álcool, um copo de 20 cl por dia. Reveja outros posts sobre os benefícios do consumo moderado de vinho tinto, aqui:
1 comentário

Postagens mais visitadas