Pular para o conteúdo principal

Os dois extremos da obesidade infantil em Portugal


O Algarve e os Açores estão nos dois extremos da obesidade infantil em Portugal com uma incidência, respectivamente, de 19,4% e 42% de crianças com excesso de peso, revelou a investigadora Ana Rito (na imagem), nutricionista do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. Os resultados do primeiro estudo com uma amostra representativa e comparável com a de outros países europeus foram apresentados ontem na Conferência Internacional de Obesidade Infantil (CIOI). Para a especialista, as diferenças encontradas a nível nacional poderão ser explicadas pelo bom funcionamento de algumas actividades de intervenção escolar e sensibilização, destacando o trabalho da Administração Regional de Saúde do Sul.

Portugal surge atrás de Itália com uma das maiores prevalências de excesso de peso em crianças na faixa etária analisada, dos seis aos nove anos, com os indicadores globais bastante acima da média europeia. De acordo com o estudo, em Portugal 32,2% das crianças têm peso a mais e 14,6% enquadram-se já num quadro clínico de obesidade, com o índice de massa corporal acima do percentil 95, explica a investigadora. A nível europeu os resultados preliminares apontam para uma incidência do excesso de peso, em crianças da mesma faixa etária, na ordem dos 24%.

O estudo foi realizado no ano lectivo 2008/2009 e contou com a participação de 3847 crianças do 1.º ciclo do Ensino Básico de 185 escolas, amostra que viria a juntar-se à de outros 13 países europeus que aceitaram o convite da Organização Mundial de Saúde para integrar o primeiro Sistema Europeu de Vigilância Nutricional Infantil. Ana Rito sublinha que a metodologia aplicada nesta primeira ronda da chamada iniciativa COSI veio pela primeira vez permitir que se analisasse todo o país, incluindo as regiões autónomas dos Açores e da Madeira até aqui excluídas dos estudos pontuais. A idade média dos jovens avaliados foi de 7,5 anos, com estaturas médias de 122,4 centímetros nas raparigas e de 124,3 nos rapazes. O peso médio foi neste ano de 26,6 quilos nas raparigas e de 27,3 kg nos rapazes, revela um artigo sobre o estudo publicado na Plataforma Contra a Obesidade da Direcção-Geral de Saúde.

Quanto aos hábitos alimentares, o estudo revela que a maioria toma o pequeno-almoço (95%) e mais de 57% vão de carro para a escola. Ao fim-de-semana estão o dobro do tempo em frente da televisão e do computador mas também brincam mais fora de casa.

Fonte
ionline.pt

Imagem
Visao.pt
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…