Pular para o conteúdo principal

Surto de Infecções pela bactéria Escherichia coli limita-se ao norte da Alemanha

Com o objectivo de tranquilizar os consumidores de vegetais crus, transcrevo notícia recebida através do ALERT Life Sciences Computing, S.A.:

"O comissário da União Europeia para a Saúde, John Dalli, afirmou esta semana que o surto de infecções pela bactéria Escherichia coli enterohemorrágica (E.coli) está limitado geograficamente ao norte da Alemanha e não necessita de medidas de controlo.

O comissário, citado pela imprensa internacional, também advertiu a Alemanha sobre a divulgação de informações não confirmadas sobre o foco, dizendo que este facto “espalha o temor e tem um impacto negativo sobre os produtores agrícolas” europeus. As declarações foram feitas, terça-feira, durante uma sessão do Parlamento europeu, em Estrasburgo, antes de uma reunião de emergência entre os ministros da Agricultura.

No início do surto, as autoridades alemãs responsabilizaram os pepinos importados de Espanha como foco da infecção, mas os testes realizados afastaram essa possibilidade. No último fim-de-semana, as autoridades alemãs conduziram testes numa quinta biológica no Norte da Alemanha (Bienebuttel), suspeitando que os rebentos de soja aí cultivados estivessem na origem de um surto da bactéria E.coli, mas, segundo as mesmas autoridades, os resultados foram negativos.

Um comunicado do ministério da Agricultura alemão, citado pela agência Lusa, revela que serão feitas mais análises, mas adverte que não se pode esperar por “um desfecho rápido na investigação da origem", e que “a curto prazo” não será encontrada uma "explicação para a contaminação”. Os peritos alemães estão a examinar não só os produtos agrícolas da quinta de Bienebuttel como também a água e o sistema de irrigação.

Com a origem ainda por identificar, mais de duas mil pessoas na Alemanha foram afectadas pelo surto de E.coli, 22 das quais morreram. Além das mortes na Alemanha, as autoridades contabilizaram também um óbito na Suécia. Todos os infectados fora da Alemanha têm em comum terem estado recentemente no norte daquele país.

Em Portugal, e de acordo com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, os resultados das análises realizadas a dois doentes portugueses, recém regressados da Alemanha, que indicaram sintomas que poderiam ser de infecção pela bactéria, não indiciaram qualquer relação com o surto a decorrer naquele país, uma vez que as bactérias identificadas não são idênticas."
Fonte
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…