TOXINAS E ALIMENTOS BIOLÓGICOS


A última revista "Focus", num artigo transcrito da sua homóloga alemã, levanta a questão dos toxinas e outras substâncias prejudiciais à saúde nos alimentos convencionais ou biológicos. Alarmes foram levantados no início do ano pela existência de toxinas em ovos e frangos alemães. Em princípio os ovos biológicos deviam ser mais saudáveis do que os de aviário, pelo que passaram a ser mais procurados. Mas são-no de facto? Vejamos o essencial da notícia:
"Os ovos de galinha criadas em liberdade tinham mais toxinas do que as de cativeiro, segundo as análises [da agência europeia de segurança alimentar EPSA]. "normalmente os valores estão abaixo dos limites permitidos, confirma a EPSA, "mas perto de 10 por cento dos ovos biológicos ultrapassam-nos"."
O estudo é de alguns anos atrás, embora a notícia não o diga. Mas, a acreditar nele, a agricultura biológica não usa pesticidas mas usa, em muitos casos, substâncias que são tanto ou mais prejudiciais:
"Segundo os regulamentos europeus da agricultura biológica, as pragas de insectos, ervas daninhas e fungos são combatidas com toda uma palete de pesticidas "naturais", como essências de plantas, óleos minerais, bactérias e sais minerais. Em pomares e vinhas utiliza-se muito soluções de cobre e enxofre. Albrecht-Wilhelm Klein, antigo director do gabinete de pesticidas do Ministério do Ambiente alemão, afirma que "o cobre é um veneno e não corresponde ao espírito ecológico". A utilização do cobre na agricultura biológica é um "gigantesco problema", pois é tóxico para animais e seres humanos."
De facto, os alimentos biológicos, bem mais caros, são publicitados como sendo melhores. Fico com uma dúvida: será mesmo como diz a notícia ou estamos perante uma troca de acusações entre dois grupos concorrentes?


Postar um comentário

Postagens mais visitadas