O que há em comum entre a compulsão alimentar e a toxicodependência ?

Segundo um estudo da responsabilidade de Ashley N. Gearhardt e publicado nos Archives of General Psychiatry as pessoas que têm um comportamento alimentar compulsivo apresentam uma actividade cerebral semelhante à dos toxicodependentes, incluindo uma elevada activação do circuito de recompensa em resposta ao estímulo da comida.

O estudo analisou 48 adolescentes saudáveis do sexo feminino, que variavam entre magras e obesas, a quem foram fornecidos alimentos muito saborosos (batido de chocolate) e uma solução de controlo sem sabor. Os investigadores da Universidade de Yale, nos EUA, analisaram a relação entre os sintomas de comportamento alimentar compulsivo, diagnosticados através da Yale Alimentar Addiction Scale (YFAS), e a actividade cerebral, medida através de ressonância magnética funcional, em resposta à alimentação.

O estudo revelou que as pontuações obtidas através da YFAS se correlacionavam com uma maior activação de determinadas áreas do cérebro, incluindo o córtex cingulado anterior, córtex orbitofrontal medial e amígdala, em resposta à entrega antecipada dos alimentos. As participantes com pontuações mais elevadas apresentaram maior activação no córtex pré-frontal dorso-lateral e caudado em antecipação a alimentos saborosos e menor activação no córtex orbitofrontal lateral durante a ingestão dos mesmos alimentos. Tal como os autores do estudo previam, as pontuações mais elevadas estavam associadas com regiões do cérebro envolvidas na motivação para comer. O córtex cingulado anterior e o córtex orbitofrontal medial têm sido associados à motivação para o consumo de drogas em toxicodependentes.

Em comunicado enviado à imprensa, os autores do estudo concluem que “estes resultados apoiam a teoria de que o comportamento alimentar compulsivo pode ser impulsionado, em parte, por uma antecipação aumentada das propriedades de recompensa da comida. De forma semelhante, os indivíduos viciados são mais propensos a serem fisiologicamente, psicologicamente e comportamentalmente mais reactivos a estímulos relacionados com drogas”.

Os investigadores acrescentam ainda que, se determinados alimentos são viciantes, isso poderia explicar, em parte, a dificuldade que as pessoas sentem quando tentam perder peso. Além disso, os autores do estudo chamam a atenção para o facto de a publicidade constante e a disponibilidade de alimentos saborosos e baratos dificultarem a adopção de uma dieta saudável por eles activarem o sistema de recompensa.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas