Pular para o conteúdo principal

LIMÃO: O rei dos frutos terapêuticos

Ontem deram-me um saco de limões e como sei que estes frutos têm inúmeras propriedades terapêuticas resolvi investigar sobre os compostos que o constituem. O limão, Citrus limonum, é uma das frutas mais conhecidas e utilizadas no mundo. Tanto o seu sumo como a casca contêm vários compostos com propriedades que promovem a saúde, sendo até denominado o rei dos frutos terapêuticos. O cirurgião inglês, John Wodall, em 1617, recomenda, no seu livro The Surgeon's Mate, o uso de sumo de limão para a profilaxia e cura do escorbuto, doença muito frequente entre os marinheiros e piratas que passavam longos meses no mar. Soube-se posteriormente que a doença era originada pela falta de ácido ascórbico ou vitamina C, necessária para síntese de colagénio no organismo humano. Nos dias de hoje já ninguém sofre de escorbuto, mas a insuficiência de vitamina C provoca algumas desordens orgânicas, entre elas a astenia (cansaço da Primavera), falta de apetite, doença reumática, tendência para hemorragias da pele e das mucosas, propensão para catarros nas vias respiratórias, problemas digestivos e urinários. Quando tais sintomas aparecem, é altura de comer diariamente limões e laranjas para recuperar a saúde (Ernest Schneider, A Saúde pelos alimentos, Publicadora Atlântico). Estima-se que a necessidade média diária de Vitamina C seja entre 50 a 100 mg e dependem da idade, sexo, prática desportiva, hábitos de consumo de tabaco e álcool, entre outros factores, quantidade que se encontra em 100 a 200 g de sumo de limão ou de laranja.

Mas, os limões não contêm só vitamina C. No seu sumo estão presentes também pectinas, glícidos, ácidos cítrico e málico, vitaminas do complexo B e flavonóides (A.Proença da Cunha, Plantas aromáticas em Portugal caracterização e utilizações, Fundação Calouste Gulbenkian 2007). A acidez do sumo de limão é atribuída ao ácido cítrico, um ácido forte, mas que curiosamente tem um efeito alcalinizante do meio interno. Isto acontece porque durante a digestão do ácido cítrico formam-se, a partir dele, compostos alcalinos como os carbonatos e bicarbonatos de cálcio e potássio. Um dos efeitos notáveis do limão é, por exemplo, o de combater o ácido úrico sendo por isso uma mais valia no combate das diversas patologias reumáticas e artríticas. Nestes casos a recomendação é ingerir um copo de água com sumo de meio limão, todos os dias, pela manhã, fazendo deste modo o desjejum.

Na casca do limão existe caroteno (pro-vitamina A) responsável pela cor amarela e um composto volátil responsável pelo odor característico do fruto, o limoneno. Este é o maior constituinte de muitos óleos essenciais. O chá de casca de limão é digestivo e anti-séptico, por isso mesmo deve ser tomado, no primeiro caso para ajudar nas digestões difíceis e no segundo caso para auxílio no combate às gripes e constipações.



1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…