BRÓCOLOS: o modo como se preparam e consomem faz toda a diferença no seu potencial efeito anti-cancro

Um estudo recente realizado na Universidade de Ilinois, nos Estados Unidos, e publicado em Janeiro passado na revista Nutrition and Cancer, revelou que o modo como preparamos e consumimos os brócolos influencia, aumentando ou diminuindo, o seu potencial anti-cancro. Preparar uma mistura de brócolos com rebentos de brócolos, por exemplo, aumenta duas vezes o seu potencial efeito anti-cancro.

Sabe-se que o composto presente nos brócolos e nos rebentos de brócolos que previne e ajuda a tratar o cancro é o sulforafano. Sabe-se também que o sulforafano actua sobre as células-tronco cancerosas (células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a células semelhantes às progenitoras) destruindo-as, facto que impede o crescimento de tumores. A novidade está numa enzima, a mirosinase, cuja presença é indispensável para a formação do sulforafano. Esta enzima, mais abundante nos rebentos de brócolos, é destruída quando estes são demasiado cozidos.

Segundo Elizabeth Jeffery, investigadora responsável pelo estudo, "os brócolos preparados correctamente são agentes extremamente potentes contra o cancro e três a cinco porções por semana são suficientes para o desejado efeito protector". No entanto, "o tempo de confecção dos brócolos e/ou dos rebentos de brócolos não deve exceder os quatro minutos, o tempo ideal para proteger a enzima e todos os nutrientes do legume".

Quanto a mim, os rebentos de brócolos devem comer-se muito bem crus, em saladas. Pena que não se comercializem por cá :(
Postar um comentário

Postagens mais visitadas