domingo, 30 de janeiro de 2011

HUMOR NA PASTELARIA

- A parte mais saudável do donut é o buraco. Infelizmente tenos de comer o resto até lá chegar!|

HUMOR NO RESTAURANTE


- Vou pedir peito de frango sem pele grelhado, mas quero que me traga lasanha e pão de alho por engano.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

ESTAR NO QUENTINHO AUMENTA A OBESIDADE?

O artigo "Could increased time spent in a thermal comfort zone contribute to population increases in obesity?" da autoria de F. Johnson e colegas que acaba de sair na revista "Obesity Review" coloca uma questão muito interessante: a permanência durante demasiado tempo em ambientes sobreaquecidos contribuirá para o excesso de peso nos países mais desenvolvidos? sabe-se que o metabolismo humano é diferente conforme o meio ambiente, mas a resposta ainda não é definitiva. Tal como acontece com outras questões da ciêncdia é necessário mais investigação para confirmar ou não a hipótese levantada.

HUMOR: OS CUSTOS DA OBESIDADE


No dia em que o Presidente Barack Obama proferiu o seu discurso sobre o estado da nação americana, este cartoon lembra a explosão dos custos dos cuidados de saúde causada pelo problema da obesidade.

Ter peso a mais pode ser melhor para a saúde

Segundo o estudo publicado no dia 24 de Janeiro de 2011 no Nutrition Journal , estar ligeiramente acima do peso, desde que se faça uma alimentação equilibrada, é melhor para a saúde do que viver em constantes regimes restritivos. As pessoas obesas ou com algum peso a mais que obsessivamente efectuam tentativas para emagrecer, e que por vezes perdem peso de uma forma drástica, acabam por prejudicar mais a sua saúde.

O movimento que tem vindo a ganhar adeptos na comunidade médica, denominado Health At Every Size (HAES), contesta a promoção exagerada de dietas para perder peso e defende uma mudança de foco para o conceito de peso neutro. A abordagem do HAES vai mais no sentido de que as pessoas tenham bons hábitos alimentares e de actividade física para melhorarem os seus indicadores fisiológicos de saúde como, por exemplo, a pressão arterial e os lípidos no sangue (colesterol e triglicerídeos).

Concluindo, a recomendação dos especialistas preza o equilíbrio. O segredo para ter saúde está em viver uma vida de forma equilibrada, incluindo boa alimentação e o exercício físico regular, mesmo que se tenham uns quilitos a mais.

Própolis em Gel Para Tratar Aftas

As propriedades medicinais do própolis, uma mistura de resina e cera feita pelas abelhas para vedar e esterilizar as colmeias, são conhecidas há muitos anos. Mas a sua utilização como medicamento tem sido limitada, pelo facto do própolis ser um composto pegajoso não solúvel em água e com cheiro forte e desagradável. Agora, uma equipa de cientistas do centro de engenharia e ciência farmacêutica da Universidade de Bradford, no Reino Unido, desenvolveram, em colaboração com o Nature's Laboratory, um gel oral de própolis com propriedades anestésicas, anti-microbianas e anti-fúngicas, eficaz no tratamento das aftas. Segundos os investigadores, o gel oral de própolis é seguro para uso até em crianças.

Fonte
alert-online.com

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aspirina Reduz o Número de Mortes Por Cancro


Segundo um estudo publicado no jornal médico britânico The Lancet, a aspirina pode também ser utilizada na prevenção de alguns tipos de cancro. Os cientistas revelam que uma dose diária de 75 miligramas de aspirina pode reduzir em 20 a 30 por cento a possibilidade de se morrer por vários tipos de cancro, como os do esófago, pulmão, estômago ou pâncreas. A investigação realizada na Universidade de Oxford envolveu os dados de 25000 pacientes e tinha como objectivo inicial perceber melhor o impacto da aspirina na prevenção de ataques cardíacos. A análise dos dados permitiu, no entanto, concluir que houve uma redução do risco de cancro total em cerca de 20%. O decréscimo das mortes por cancro do esófago foi de 60%, a taxa de sucesso mais elevada, o risco de cancro nos intestinos registou uma diminuição drástica de 40%, o cancro nos pulmões reduziu em 30% e o cancro da próstata 10%.

Segundo o artigo, os benefícios são visíveis cinco anos após a toma diária de 75 miligramas de aspirina, independentemente do sexo ou de factores de risco como ser ou não fumador.

Mas fica o alerta: a aspirina, como qualquer medicamento, só deve ser tomada mediante uma prescrição do médico.



terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Viriato: um "guerreiro" no combate ao cancro


Notícia recebida da Universidade do Porto:

Chama-se Viriato e é um gene que pode esconder algumas das respostas que faltavam para perceber a forma como se originam determinados tumores. A descoberta pertence a uma equipa de investigadores do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da Universidade do Porto, que atribuiu o nome do histórico guerreiro lusitano ao gene que provaram controlar a proliferação das células e que poderá desempenhar um papel no desenvolvimento do cancro. O trabalho é publicado última edição (15 de Janeiro) da conceituada revista internacional Development.
Ler notícia completa aqui.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

GELADO PARA DOENTES EM QUIMIOTERAPIA

Cientistas Neozelandeses da Universidade de Auckland desenvolveram um gelado de morango com propriedades terapêuticas que ajuda os pacientes oncológicos a recuperar da quimioterapia. Os cientistas acreditam que a lactoferrina, uma proteína do leite contido no gelado, ajuda a aliviar alguns dos problemas associados à terapêutica, incluindo a diarreia e a diminuição dos glóbulos brancos. A fase de testes, com 200 doentes, decorre em oito centros de oncologia na Nova Zelândia e deverá estar concluído dentro de um ano.

Cada vez mais se realça o papel indispensável que a alimentação saudável desempenha no processo de tratamento contra o cancro, mas é a primeira vez que se desenvolve um alimento específico para quem faz quimioterapia.

Fonte
euronews.net

FONTE DA JUVENTUDE?


Uma equipa liderada por um cientista norte-americano com um apelido que soa a português, Ronald DePinho (na figura), professor na Harvard Medical School, publicou em final de Novembro na revista Nature um artigo que dá conta da possibilidade de rejuvenescer ratos por engenharia genética. Genes de ratos que tinham sido geneticamente alterados para envelhecerem mais rapidamente foram activados com sucesso para provocar o efeito contrário: o cérebro desenvolveu-se, a fertilidade voltou, e o pelo mudou de cor, entre outros sinais visíveis de inversão do envelhecimento. Os cientistas produziram nas cobaias a enzima telomerase que efectua reparações nos telómeros, as extremidades dos cromossomas cuja degradação está associada de perto aos fenómenos da velhice.

A translação deste processo para os seres humanos é mais que uma mera possibilidade teórica. Vai demorar, mas a investigação nesse sentido está a ser efectuada. Num recente talk-show televisão, o cientista, que também trabalha em cancro, não escondeu que o objectivo último do seu trabalho é o atraso do envelhecimento do homem: aqui.

Fonte: Telomerase reactivation reverses tissue degeneration in aged telomerase-deficient mice. Jaskelioff M, Muller FL, Paik JH, Thomas E, Jiang S, Adams AC, Sahin E, Kost-Alimova M, Protopopov A, Cadiñanos J, Horner JW, Maratos-Flier E, Depinho RA. Nature. 2010 Nov 28.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Boas Notícias Para os Apreciadores de Cerveja


A cerveja foi elevada ao status do vinho no que diz respeito aos benefícios para a saúde. Um estudo espanhol mostra que tomar uma caneca por dia combate a diabetes, evita ganhar peso e previne a hipertensão.

"Neste estudo, conseguimos banir alguns mitos. Sabemos que a cerveja não é a culpada pela obesidade, porque fornece cerca de 200 calorias por caneca - o mesmo que uma meia de leite", refere Rosa Lamuela, uma das responsáveis pela investigação feita em parceria entre a Universidade de Barcelona, o Hospital Clínico de Barcelona e o Instituto Carlos III de Madrid.

A dose recomendada pelos médicos é de dois copos diários para as mulheres e de três para os homens, com comidas equilibradas e sempre que as pessoas tiverem uma vida normal, praticando algum exercício. A cerveja é uma bebida fermentada, que tem as propriedades nutricionais dos cereais com que é produzida, tal como o vinho das uvas, ou a cidra da maçã, explicou a Rosa Lamuela do departamento de Bromatologia e Nutrição da Universidade de Barcelona.
As pessoas que bebem quantidades «normais» de cerveja apresentam uma menor incidência de diabetes mellitus e hipertensão, e um índice de massa corporal inferior.


Fonte

Revista Veja

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Uma Tez Mais Saudável

O rosto no meio mostra a cor natural de uma mulher. O rosto da esquerda mostra o efeito do bronzeamento solar, enquanto a face do lado direito mostra o efeito de comer mais carotenóides. Os participantes de um estudo realizado na Universidade de Nottingam, em que se concluiu que os carotenóides proporcionam uma tez dourada semelhante à do bronzeado do sol, consideraram a cor da pele proporcionada pelo consumo de alimentos ricos em carotenóides, a mais saudável. Apesar do estudo não trazer nada de novo, serve para lembrar a importância do consumo de alimentos ricos em carotenóides como as cenouras, os tomates e todas as frutas cor-de-laranja.

Fonte da Imagem
Universidade de Nottingham

Referência
Ian D. Stephen, Vinet Coetzee, David I. Perrett. Carotenoid and melanin pigment coloration affect perceived human health. Evolution and Human Behavior, 2010;

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Perda dos Dentes Associada a Perda de Memória nos Idosos

De acordo com um estudo realizado no Japão e publicado em Dezembro último no jornal Behavioral and Brain Functions a perda de dentes nas pessoas idosas pode indiciar um risco aumentado de perda da memória. Segundo Nozomi Okamoto, a responsável pela investigação, a explicação é a seguinte: "a infecção na gengiva, que pode conduzir à perda do dente, liberta substâncias inflamatórias, que aumentam a inflamação cerebral causando a morte neuronal e acelerando a perda de memória". Esta situação pode levar a um círculo vicioso. A perda dessas ligações nervosas no cérebro pode causar perda de mais dentes, contribuindo para a deterioração cognitiva.

Referência
Nozomi Okamoto, Masayuki Morikawa, Kensuke Okamoto, Noboru Habu, Junko Iwamoto, Kimiko Tomioka, Keigo Saeki, Motokazu Yanagi, Nobuko Amano, Norio Kurumatani. Relationship of tooth loss to mild memory impairment and cognitive impairment: findings from the Fujiwara-kyo study.Behavioral and Brain Functions 2010, 6:77 (31 December 2010)

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

E DEPOIS DA FESTA


O sempre interessante suplemento "Salud y bienestar" do jornal espanhol "El Pais" traz no sábado passado um artigo de Elena Sevillano intitulado "Entrenar el intestino". Pela sua relevância e actualidade traduzi a caixa intitulada "Regulacion posfiestas":
"Que levante o braço quem não teve nenhuma dor de estômago por indigestão ou má digestão, durante este Natal. Parabéns para quem levantou! Para o resto das pessoas, ou seja, para a maioria, a nutricionista Marta Olmos recomenda considerar o período das festas como um parêntesis na rotina, que valeu a pena gozar com calma e algum relaxe, embora ciente do que se deve comer e conhecendo quais são os limites. "As dietas mais permissivas em situações especiais como esta são aquelas que funcionam melhor, pois as dietas demasiado restritivas acabam por saturar", lembra. Uma vez concluído o período excepcional, deve-se retomar o mais rapidamente possível "os ritmos e as refeições normais", aconselha. "O desconforto digestivo, dilatações, gases, ocorrem nos períodos de maior ingestão e esses dias de celebrações com grandes refeições poderão de facto ter alterado os hábitos intestinais", afirma.

Para pôr o organismo de volta ao normal, é preciso abandonar as iguarias do Natal. É preciso voltar à fruta, às saladas e aos legumes. À actividade física, à água abundante, à fibra, aos leites fermentados, ao bifidus.

Se o Natal tiver originado obstipação, não há razão para ficar em stress, mas é preciso dedicar tempo suficiente para ir à casa de banho, todos os dias e a horas certas. "Depois de uma desordem total, o simples facto de voltar ao ritmo normal pode ser suficiente." Pelo contrário, "as dietas ditas depurativas são um erro", diz a nutricionista Olmos."

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

RESOLUÇÕES DE ANO NOVO


Revistas semanais como a "Visão" (sobre alimentos biológicos) ou a "Focus" (a propósito do novo livro de Michael Pollan, numa reportagem já publicada pela "Veja" brasileira) voltam nesta semana a trazer para tema de capa questões alimentares. Não admira que o façam porque os leitores se interessam por esse tema e porque, muitos deles adoptaram como resolução de Ano Novo precisamente emagrecer, passando portanto a tomar mais cuidado com aquilo que comem. Encontram-se aí, de facto, assim como nos livros, algumas regras úteis para emagrecer.

Mas, se me é permitida uma sugestão, em vez de "emagrecer", a resolução de Ano Novo deveria ser de um modo mais concreto: "consulte um(a) nutricionista". De facto, só um acompanhamento pessoal especializado pode ajudar a escolher o melhor regime alimentar para cada caso individual. E, além disso, esse acompanhamento tem a vantagem de proporcionar o "coaching", sem o qual as resoluções pessoais têm pequena probabilidade de êxito. As revistas ou livros contêm regras gerais. Mas as pessoas têm idades diferentes, constituições físicas diversas, hábitos alimentares variados e estilos de vida diferenciados. Só um(a) nutricionista tem formação e experiência necessárias para efectuar um diagnóstico e um tratamento específico para cada pessoa. E só um(a) nutricionista pode seguir a evolução dos resultados do regime, adaptando-o para ter o melhor efeito, e reforçando a vontade de quem o segue. É como diz o ditado:"a tenda quer-se com quem a entenda".

Excesso de Espinafres e Alface Pode ser Perigoso Para Crianças Com Menos de Três Anos


O consumo de espinafres e de alface em grandes quantidades pode ser perigoso para crianças até aos três anos, devido ao teor de nitratos, alerta a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA). A presença de quantidades perigosas de nitratos nos chamados vegetais de folha só se verifica quando há ingestão de quantidades superiores a 200 gramas por dia. A perigosidade deve-se ao facto de, no corpo humano, o nitrato ser convertido em nitrito que, em quantidades elevadas, pode conduzir a metahemoglobinémia (doença que origina alterações da hemoglobina em que o transporte de oxigénio fica comprometido).

A EFSA recomenda ainda que as crianças que sofram de infecções gastrointestinais de origem bacteriana não comam espinafres, porque as bactérias aumentam a conversão de nitrato em nitrito. Há ainda duas situações que podem acelerar a conversão do nitrato em nitrito: o armazenamento de vegetais de folha já cozinhados à temperatura ambiente e por longos períodos. E ainda a sua trituração e transformação em puré.

O pediatra Libério Ribeiro ouvido pelo Diário de Notícias afasta, no entanto, a possibilidade grandes riscos, até porque "não é nada comum uma criança ingerir 200 gramas destes legumes por dia". E aconselha: "nas sopas devem ser misturados vários ingredientes".

Alexandra Bento, da Associação Portuguesa de Nutricionistas, também ressalva a necessidade de reforçar a ideia de uma alimentação diversificada: "Se se variar, nunca se corre este risco", afirma. "E comer 200 gramas de legumes é um exagero."

Fonte: http://dn.sapo.pt


Velocidade da Marcha e Longevidade


A velocidade da marcha parece estar ligada à longevidade das pessoas com mais de 65 anos, segundo um recente estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA).

"O número previsível de anos a viver para os homens e as mulheres aumenta com a velocidade da sua marcha", escrevem os autores da comunicação publicada no número do JAMA com data de 5 de janeiro, divulgado pela agência France Press.

A investigação apurou que, a partir de certa idade, a longevidade aumenta com a velocidade alcançada numa caminhada. O trabalho baseou-se em dados recolhidos entre 1985 e 2000, em 34.485 indivíduos, dos quais 80 por cento brancos e 60 por cento mulheres, com uma idade média de 73,5 anos.

Os investigadores verificaram que a velocidade de marcha está ligada à longevidade de todos participantes. Mas é especialmente para pessoas com cerca de 75 anos que a velocidade permite prever melhor a longevidade.

Os autores do estudo, liderado por Stephanie Studenski, da Universidade de Pittsburgh, no estado da Pensilvânia, EUA, concluíram que a velocidade da marcha é tão útil para prever a longevidade como a idade, o sexo, as doenças crónicas, o passado de fumador, o índice de massa corporal ou a tensão arterial.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

BACTÉRIAS E OBESIDADE


Li na última "La Récherche". Aguardam-se para breve os resultados de um estudo francês, com colaboração chinesa, que pretende desvendar um dos grandes mistérios das ciências da nutrição: a relação entre bactérias e obesidade. Pretende-se, num trabalho conjunto de médicos, biólogos e nutricionistas, conhecer o papel que a microbiota intestinal (vulgarmente conhecida por flora intestinal - o ecossistema de bactérias que existe no nosso intestino, formado por um número imenso de bactérias de tipo diferente) desempenha no aumento do peso. O projecto, cujo título joga com as palavras micróbio e obesidade - "MicroObes", tem procurado investigar nos seres humanos algo que já foi pesquisado em ratinhos: Que relação existe entre a eficácia de um regime e a microbiota inicial? E que modificação causa um novo regime nessa microbiota? Poderá vir a responder a uma questão muito interessante: porque é que a mesma ingestão calórica produz resultados muito diferentes em indivíduos aparentemente semelhantes?
O invisível ecossistema do intestino poderá fazer a diferença...

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Alimentação Vegetariana Beneficia Doentes Renais

Um estudo realizado por investigadores da Universidade de Indiana nos EUA sugere que a substituição da carne da alimentação por vegetais e cereais pode ajudar os doentes renais a evitar a acumulação de níveis tóxicos de fósforo no organismo.

As pessoas que sofrem de doença renal não conseguem expelir adequadamente o fósforo proveniente das proteínas alimentares. É indispensável, por isso, controlar a ingestão de fósforo, porque os níveis altos do mineral no organismo são tóxicos e podem levar a doença cardíaca e à morte. Nos alimentos pré-embalados, controlar os teores de fósforo, não é tarefa fácil porque este é um aditivo alimentar comum que não vem nem quantificado nem sequer mencionado nos respectivos rótulos.

Num estudo, orientado por Sharon Moe, os cientistas verificaram que os valores de fósforo no sangue e na urina eram menores na semana em que os pacientes envolvidos na investigação comiam alimentos exclusivamente de origem vegetal quando comparados com os apresentados na semana em que comiam uma dieta que incluía carne. Este facto ocorria mesmo quando as duas dietas apresentavam quantidades equivalentes de proteínas e de fósforo.

Embora ainda não saibam determinar a razão desta diferença, os investigadores acreditam que a fonte proteica (vegetal ou animal) da dieta, apesar de os teores de fósforo serem idênticos, faz toda a diferença e, por isso, recomendam o consumo de cereais em grão como fonte de proteínas para pacientes com doença renal crónica.

Referência:
Sharon M. Moe, Miriam P. Zidehsarai, Mary A. Chambers, Lisa A. Jackman, J. Scott Radcliffe, Laurie L. Trevino, Susan E. Donahue, and John R. Asplin. Vegetarian Compared with Meat Dietary Protein Source and Phosphorus Homeostasis in Chronic Kidney Disease. Clinical Journal of the American Society Nephrology, December 23, 2010.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

CALORIAS INTELIGENTES

Na revista "El País Semanal" de domingo passado pode ler-se um curioso artigo de Karelia Vásquez onde se divulga um facto científico relativamente recente (ver, por exemplo aqui): as calorias não são todas iguais. Não é apenas uma questão de quantidade, mas sim de qualidade. Isto é, numa dieta adequada devem incluir-se alimentos com calorias, que se podem chamar "inteligentes", que ajudam o corpo a ter o peso certo, criando músculo e osso, e há outras, que se podem chamar "vazias", que conduzem a peso desadequado ao proporcionar gordura.

"Como diferenciar a qualidade das calorias entre dois alimentos?", pergunta a autora. E responde logo: "O número de nutrientes e de vitaminas é que marca a diferença". Por vezes é o modo de preparação que faz a diferença. Stacy Sims, nutricionista na Faculdade de Medicina na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, comparou uma dose de batatas assadas no forno com um pacote de quantidade equivalente de batatas fritas de pacote. Têm o mesmo conteúdo energético, mas a batata do forno tem o dobro da fibra e quatro vezes mais vitamina C. Por isso, algumas dietas não atendem apenas ao número de calorias para atender também o número de nutrientes úteis diferentes.

A BAIXA AUTOESTIMA DAS MULHERES


Muitas mulheres sentem-se gordas quando se vêem ao espelho apesar de o seu peso estar próximo do valor ideal. De acordo com um artigo publicado hoje no jornal britânico The Telegraph apenas uma em cada dezassete mulheres com o peso ideal se considera magra e, por isso, bem consigo própria. A responsável por esta investigação, a Dra Caryl Richards, diz que as estatísticas mostram que, para as mulheres, a auto-confiança e o peso estão intimamente relacionados.

Os voluntários foram convidados a olhar para si próprios no espelho e a escolher, a partir de doze adjectivos, quais os que melhor descreviam a forma como se sentiam e como pareciam. Entre as mulheres que tinham o peso ideal para a altura, apenas treze por cento disseram que se sentiam felizes quando viam a sua imagem no espelho e só seis por cento se sentiam magras e elegantes. No caso dos homens apenas seis por cento dos que tinham o peso ideal se descreveu a si próprio como gordo. Os homens culpam mais o álcool pelo tamanho da sua barriga, enquanto as mulheres acham o chocolate o culpado por não estarem em forma.

A propósito da baixa auto-estima das mulheres convido-vos a ler ou a reler um texto, que não perdeu actualidade, escrito em 2007: "Espelho meu..."

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Propriedades Nutritivas e Medicinais da Cenoura


Quantas vezes nos disseram, quando éramos pequeninos, para comermos cenouras porque elas fazem os olhos bonitos? Não se trata de os olhos ficarem mais belos quando comemos cenouras, mas a visão é, sem dúvida, favorecida. A cenoura fornece uma boa quantidade de um nutriente, o caroteno, que ajuda a proteger a visão, principalmente a visão nocturna, e a reduzir o risco de doenças oculares relacionadas com a idade, como a degeneração macular e a catarata.

Propriedades Nutritivas

De acordo com a "Tabela da Composição de Alimentos" do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, 100 g de cenoura fornecem, 4,4 g de carbohidratos, 0,6 g de proteína, 0 g de gordura, 41 mg de cálcio e 0,7 mg de ferro. As cenouras são ainda boas fontes de fibras e vitaminas B1, B2, B6, C, K, biotina. Quanto a minerais e a oligoelementos encontram-se na cenoura, quase sempre na forma dos seus respectivos sais, potássio, magnésio, ferro, cálcio, fósforo, níquel, cobre, iodo e manganês, salientando-se pela sua quantidade os sais de potássio e de fósforo.

Propriedades Medicinais

Como disse, a presença de uma quantidade elevada de caroteno, a provitamina A, na cenoura favorece a saúde ocular. O caroteno transforma-se no fígado em vitamina A. Tanto o caroteno como a vitamina A estão relacionados com a visão nocturna. A retina do olho consome continuamente matérias clorofílicas amarelo-vermelhas para a formação de um pigmento intensamente vermelho, a púrpura retiniana ou rodopsina. Este elemento é decisivamente importante para a capacidade visual do olho, a fim de se adaptar às condições de luminosidade em cada momento. O abundante consumo de cenouras aumenta essa capacidade de adaptação à luz. Pelo contrário, o baixo consumo de cenouras (ou de caroteno) diminui a capacidade de ver no escuro o que se designa habitualmente por "cegueira nocturna" ou "hemeralopia".

Por outro lado, vários estudos têm sugerido que a cenoura pode levar a reduzir o risco de doença cardíaca e de vários tipos de cancro.

A cenoura crua ou o seu sumo têm propriedades anti-sépticas, anti-parasitárias intestinais e revela-se eficaz no controlo da produção do suco gástrico, isto é reduz a acidez gástrica se for excessiva ou aumenta-a se for deficiente. A cenoura cozida ou em creme é utilizada no tratamento da diarreia.

Para terminar não podia deixar de referir a eficácia da cenoura no tratamento da tosse seca ou irritativa. Neste caso prepara-se um xarope numa taça de vidro, que pode ser dado até às crianças mais pequenas, à base de cenoura crua cortada às rodelas que se cobre com açúcar amarelo. Deixa-se umas horas e o xarope está pronto!