sábado, 31 de dezembro de 2011

BOM ANO 2012!

Desejando a todos os que seguem e lêem o blogue no mundo inteiro um excelente ANO 2012, termino o ano com uma nota de humor citando o famoso estilista  brasileiro Sergio K, nos seus pedidos para 2011:

"Querido Deus, tudo o que peço para 2011 é uma gorda conta bancária e um corpo magro! Favor não misturar as coisas, como fez no ano passado!"

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O bacalhau da minha consoada

Segundo o dicionário Houaiss da língua portuguesa, consoada é uma "leve refeição nocturna, sem carne, que se toma em dia de jejum" ou "ceia familiar da noite de Natal". 

Não há tradição mais portuguesa que o bacalhau cozido com couve regado com bom azeite, na noite de consoada. É porventura o modo mais saudável de comer o "fiel amigo". Na minha família não há sequer alternativa por estes dias. Desde que me conheço que o bacalhau cozido está sempre presente na consoada. Somos 33 mais um (como diria o Paulo Futre) à mesa, entre avós, filhos, genros, noras, netos e o bacalhau que chega à mesa aferventado (como dizia a minha avó), socorrendo-se a minha mãe, para isso, de panos que o embrulham nas travessas. A sopa da consoada lá de casa também é de bacalhau. É uma sopa de sabor único, uma sopa que só se faz no Natal. A receita da minha avó é tradição na Beira Alta e leva batata, cebola, couve, hortelã, azeite e bacalhau cozido e desfiado. Uma delícia que sabe mesmo a Natal!

Desejo a todos os seguidores e visitantes um Santo e Feliz Natal!
Ana Carvalhas 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

AN EGG A DAY? IT´S OK!

Durante anos aconselhou-se a moderação no consumo de ovos devido ao seu alto teor de colesterol e ao risco de doenças cardiovasculares. Hoje sabe-se que comer colesterol não significa aumentar o colesterol sanguíneo (colesterolémia).  Este é o resultado de uma interacção complexa de nutrientes.

As gorduras saturadas da dieta, por exemplo, aumentam mais o colesterol total do que a ingestão de qualquer alimento que o contenha. Também o excesso de consumo de hidratos de carbono (açúcares e alimentos feitos com farinhas refinadas) influencia, e muito, o aumento da colesterolémia.

Daí que a American Heart Association tenha mudado a sua recomendação. Antes limitava o consumo de ovos a três por semana, agora passou a ser um ovo por dia.

An egg a day? It´s ok!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Comer com moderação ajuda o cérebro a manter-se jovem

Cientistas da Universidade Católica do Sagrado Coração de Roma descobriram que uma molécula chamada CREB1 activa-se no cérebro de ratos submetidos a uma dieta baixa em calorias. Esta molécula, por sua vez, estimula genes relacionados com a longevidade e com o bom funcionamento cerebral. O estudo foi publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences. 

"Pela primeira vez identificamos um importante mediador dos efeitos da dieta sobre o cérebro", afirmou Giovambattista Pani, do Instituto Geral de Patologia, um dos coordenadores do estudo. Segundo o cientista, a descoberta "tem importantes implicações para o desenvolvimento de futuros tratamentos para manter o cérebro jovem, prevenir a sua degeneração e o processo de envelhecimento".

"Esperamos encontrar um modo de activar a CREB1 com novos remédios, de modo que se possa manter jovem o cérebro sem necessidade de uma dieta restrita", comentou Pani. Diversos modelos experimentais já demonstraram que uma dieta baixa em calorias, na qual os animais ingerem até 70% dos alimentos que consomem normalmente, melhora a capacidade cognitiva e aumenta a expectativa de vida. Porém, desconhecia-se até agora  o mecanismo molecular concreto responsável por este efeito positivo.

Fonte
Veja abril.com.br

PROVE PORTUGAL / TASTE PORTUGAL

Dedico este filme a todos os amigos deste blogue espalhados pelo mundo fazendo votos que tenham um excelente ano e que nos visitem em 2012. Venham provar o melhor peixe e a melhor gastronomia. 

Prove Portugal!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A NUTRICIONISTA NA COZINHA #5

LASANHA DE ATUM
Este é um dos pratos favoritos dos mais novos cá de casa. É de confecção relativamente fácil e é um prato económico. Para rentabilizar o seu tempo e o trabalho faça duas doses, uma para servir e a outra para congelar, utilizando-a num daqueles dias em que chega a casa em cima da hora da refeição, cansada e sem imaginação sobre o que cozinhar para a família. Dá sempre jeito ter uma refeição pronta no congelador...

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
 
1 cebola
3 tomates maduros
1 courgette
1 pacote de 250g de espinafres congelados
4 colheres de sopa de azeite virgem extra
sal q.b.
sumo de meio limão
meio copo de vinho (de preferência branco)
1 raminho de salsa
1 pacote de molho Béchamel "Parmalat"
1 pacote de lasanha fresca "Fattoria" ou outra similar
3 latas de atum em óleo "Bom Petisco" ou similar
Queijo Parmigiano Reggiano ralado

Pique a cebola para uma frigideira, adicione o azeite e deixe refogar ligeiramente até a cebola ficar transparente. Pele e parta os tomates em cubos pequenos e deite-os no refogado.Adicione um pouco de sal e deixe-os cozer ligeiramente. Adicione a courgette cortada em fatias finas e deixe cozer tudo cerca de cinco minutos. Escorra as três latas de atum e misture no refogado. Tempere com o sumo de limão, a salsa picada e o vinho branco. Deixe cozinhar durante cerca de dez minutos. Corrija o sal e, se gostar do sabor picante, pode adicionar uma malagueta ou um pouco de pimenta moída.
Desligue o disco certificando-se de que o atum tem molho suficiente. Este vai ser preciso para cozer a massa no forno. De seguida faremos as camadas do atum com a lasanha do seguinte modo:
No fundo da assadeira coloca-se um pouco do molho de atum e por cima a primeira camada de lasanha fresca que deve ser ajustada ao fundo (como a lasanha é fresca as folhas podem cortar-se, se necessário, com uma tesoura de cozinha). Cobre-se a lasanha com o atum e espalham-se umas folhas de espinafre ao longo desta camada.    
  Em seguida coloca-se o molho bechamel (como na imagem):
Repete-se o processo, uma camada de lasanha, outra de atum, espinafres e bechamel e assim sucessivamente até termos cerca de três a quatro camadas de lasanha. 
 
Na última camada de bechamel adiciona-se queijo italiano, "Parmigiano Reggiano" ralado que lhe dará um saboroso toque.  Vai ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de vinte e cinco minutos e... Está pronto! Pode servir.
 
 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Novidades sobre os aditivos alimentares permitidos e proibidos na União Europeia

A Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) realizou uma reavaliação total dos aditivos alimentares como corantes, espessantes, conservantes, antioxidantes, etc., utilizados nos géneros alimentícios à venda nos países da União Europeia. As "novas entradas" e as "novas proibições" estão disponíveis em detalhe no Jornal Oficial da União Europeia.

Por exemplo, de futuro, serão proibidos aditivos em alimentos como:
  • Produtos alimentares não transformados;
  • Mel;
  • Óleos e gorduras de origem animal ou vegetal, não emulsionados;
  • Manteiga;
  • Leite pasteurizado e leite esterilizado (incluindo UHT);
  • Natas pasteurizadas ou não (excluindo natas de teor reduzido de gordura);
  • Produtos lácteos fermentados não aromatizados e não tratados termicamente após a fermentação;
  • leitelho não aromatizado (excluindo leitelho esterilizado);
  • água mineral natural, água mineral ou qualquer água engarrafada;
  • café (salvo o café aromatizado) e extractos de café;
  • chá em folhas não aromatizado;
  • açúcares;
  • massas secas, excluindo massas sem glúten e / ou massa para dietas baixas em proteína.
São, no total, 32 os produtos alimentares onde não é permitida a presença de qualquer corante alimentar: alimentos não processados, leite, óleos e gorduras, pão, farinha, frutas e legumes, doces e geléias extras, frutos do mar, carnes, cacau , café torrado, chá, chá de ervas, sal, vinho, vinagre de vinho, produtos para bebés e crianças, mel e malte.
 
O regulamento da UE n.1130/2011 permite o uso de um novo adoçante, o E960 (glicosídeo steviol, extraído das folhas da planta stevia) em algumas categorias de alimentos. No entanto, ainda não é autorizado o uso do corante Vermelho 2G (E 128) pela EFSA (o E 128 Red 2G é metabolizado em anilina, composto cancerígeno para o qual não é possível excluir o mecanismo genotóxico). 

Fonte

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Nutricionista recomenda maçã de Moimenta da Beira

O filme de baixo passou no Porto Canal:



A nutricionista de Coimbra que recomendou a maçã de Moimenta da Beira fui eu! E com muito boas razões, que podem ser lidas neste post que intitulei "Comer bem em tempo de crise".

Emagrecer é... ter maçãs sempre à mão!

Um minuto de exercício por dia da diabetes nos alivia

Um minuto de exercício físico por dia, três vezes por semana, pode prevenir a diabetes tipo 2. É o que indica um estudo publicado no European Journal of Applied Physiology. Após seis semanas de atividade física altamente intensa, houve uma melhora de 28% na acção da insulina (hormona que atua no metabolismo dos açúcares).

Exercícios regulares ajudam a manter baixos os níveis de açúcar no sangue. “Os nossos músculos têm reservatórios de açúcar, que são usados durante os exercícios”, diz Niels Vollaard, coordenador do estudo. Segundo ele, para repor esse estoque depois dos exercícios, o músculo retira açúcar do sangue. Mas, em pessoas sedentárias, há uma menor necessidade muscular dessa reposição. “Isso pode levar a uma baixa sensibilidade à insulina, alto índices de açúcar no sangue e, eventualmente, à diabetes tipo 2”, diz.
 
Estudos anteriores já tinham demonstrado que exercícios intensos e de velocidade melhoravam a sensibilidade à insulina. “Queríamos descobrir, no entanto, se esse exercício poderia ser feito de maneira mais fácil e curta”, diz Vollaard. Assim, durante as etapas do estudo a resistência das bicicletas poderia ser facilmente aumentada pelos voluntários, fazendo com que eles se exercitassem em intensidades maiores. Com o aquecimento e arrefecimento necessários. O tempo de cada sessão durou 10 minutos.
“Estes treinos de velocidade intensa consomem tanto glicogénio em 20 segundos como exercícios moderados de uma hora”, diz o especialista. “Isto é completamente novo. Ninguém tinha descoberto um programa tão fácil e curto com tamanho benefício.”

O programa de exercícios, no entanto, não serve para emagrecimento, já que é muito curto para queimar as calorias suficientes.

Fonte: www.veja.abril.com.br

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Seis medidas para reduzir o fígado gordo

A causa e os mecanismos do fígado gordo não alcoólico não são ainda bem conhecidos, mas os factores aos quais se associa podem ser: nutricionais (obesidade, desnutrição), endócrinos (diabetes, dislipidemias) ou tóxicos (alguns medicamentos). Deixo aqui seis regras fáceis de cumprir para fazer face a uma doença que não pára de aumentar no mundo ocidental:
  1. Modere o consumo de alimentos ricos em hidratos de carbono simples, como o açúcar (cuidado com as colas, os ice-teas e "sumos" que afinal não o são!) e todos os alimentos feitos com farinhas como cereais de pequeno-almoço, bolos, bolachas e doces. Eles são os vilões do fígado gordo não alcoólico.
  2. Reduza as gorduras saturadas (não só as naturais como a margarina animal, mas também as artificiais como as margarinas vegetais que são hidrogenadas). Para isto é preciso acabar com o consumo de fritos, carnes vermelhas, bolachas, bolos e algumas refeições pré-confeccionadas (esteja atento aos rótulos).
  3. Aposte tudo na sopa. É um alimento inigualável quer no que se refere ao conteúdo em fibras, quer em nutrientes antioxidantes que combatem os radicais livres preservando a saúde das células. A sopa é a maior aliada de um fígado em forma!
  4. Cozinhe e tempere com as duas gorduras mais saudáveis pelo seu conteúdo em ácidos gordos monoinsaturados: primeiro o azeite e em segundo a banha de porco.
  5. Cuidado com o álcool. Se está preocupado com o seu fígado, elimine totalmente o seu consumo ou então beba-o com muita moderação.
  6. Reduza o peso: Se cumprir as cinco regras anteriores, já está a "trabalhar" para baixar o seu peso. Faça exercício físico.    

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

e-book: “Receitas para crianças com Paralisia Cerebral”,

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):

No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência, no passado dia 3 de Dezembro, a APN lançou a segunda edição do e-book “Receitas para crianças com Paralisia Cerebral”, elaborado com o auxílio das colegas Ana Araújo e Maria Antónia Campos.

O trabalho do nutricionista junto desta população com necessidades tão particulares é crucial. No e-book encontramos receitas como batido de "força", pudim de ameixa, pizza de ananás e cogumelos ou aletria suave.  Estas receitas ajudam a resolver situações que ocorrem frequentemente nas crianças com paralisia cerebral como desnutrição, obstipação, obesidade, refluxo gastro-esofágico ou disfagia (dificuldade de deglutição).

Faça o download deste e-book no sítio da APN, aqui: http://www.apn.org.pt/xFiles/scContentDeployer_pt/docs/doc457.pdf

A CRISE - Como nos estamos a adaptar aos tempos difíceis

"A CRISE - Como nos estamos a adaptar aos tempos difíceis" é um artigo de Ana Taborda e de Ana Pimentel publicado no anuário da Fundação Francisco Manuel dos Santos, "XXI, Ter Opinião", do qual transcrevo duas frases relacionados com modificações de hábitos de consumo alimentar pelos portugueses impostas pela crise:

"Os portugueses estão a ir menos vezes às compras e a gastar menos dinheiro. Para isso, usam essencialmente duas estratégias: compram produtos mais baratos e optam cada vez mais pelas marcas próprias das grandes cadeias de distribuição.(...)

(...) Vendem-se mais refeições congeladas, mais conservas, mais ovos, mais salsichas e mais fiambre; vende-se menos leite, menos iogurtes, menos vinho e muito menos cerveja."
Convido os leitores a lerem o artigo completo em: http://www.ffms.pt/evento/205/a-crise.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

ANTES E DEPOIS # 3

Mais uma paciente minha que gentilmente enviou duas fotografias suas, uma tirada em janeiro deste ano, com 81 kg e 1,68 m ("às portas" da obesidade com IMC = 29 kg/m^2), e a outra tirada em novembro, com 65,5 kg (normoponderal com  IMC = 23 kg/m^2).

A Patrícia é uma rapariga muito determinada que conseguiu perder 15,5 kg de peso em cerca de dez meses à custa do plano alimentar que lhe prescrevi e de exercício físico que faz num ginásio. Diz ter-se tornado uma especialista em sopas verdes. Parabéns, Patrícia e obrigada pela partilha!


Esta é uma boa motivação para todos os leitores e leitoras do blogue que querem emagrecer.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Iogurte enriquecido com vitamina D melhora os níveis de colesterol

O consumo regular de iogurte enriquecido com vitamina D melhora os níveis de colesterol e os marcadores de disfunção endotelial, precursores da doença cardíaca, nos pacientes com diabetes, dá conta um estudo publicado no “BMC Medicine”.

Os indivíduos diabéticos têm um maior risco de sofrer de doenças cardíacas. Por outro lado, a quantidade de vitamina D afecta o revestimento interno dos vasos sanguíneos (células endoteliais), podendo conduzir a aterosclerose e à doença cardiovascular.

Investigadores da Universidade de Teerão, no Irão, analisaram o efeito da vitamina D no índice glicémico, nível de colesterol e biomarcadores endoteliais. Os pacientes consumiram, duas vezes por dia, um iogurte líquido ou a mesma bebida enriquecida com vitamina D durante 12 semanas.
 
O estudo apurou que os pacientes que tinham consumido iogurte com vitamina D apresentavam níveis mais baixos de colesterol total e de  LDL e níveis aumentados de colesterol HDL. Todas as melhorias nos níveis de colesterol parecem ser devidas à redução da resistência à insulina, refere, em comunicado enviado à imprensa, Tirang R Neyestani, um dos autores do estudo.
 
Fonte
ALERT Life Sciences Computing, S.A.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pessoas obesas comem menos vezes, mas comem mais calorias

De acordo com um estudo publicado na edição de novembro do Journal of the American Dietetic Association, pessoas adultas com sobrepeso alimentam-se com menos frequência do que as que estão com peso normal. Apesar de realizarem menos refeições, elas consomem mais calorias e são menos activas do que quem não tem quilos extras.

Estar longos períodos de tempo sem comer, além de passar uma mensagem errada ao corpo, que acumula mais as calorias ingeridas, faz com que as pessoas compensem comendo maior quantidade em apenas uma refeição. Este estudo mostra como esse comportamento errado está a engordar a população.

O estudo acompanhou 250 pessoas, obesos e não obesos, durante um ano. Em média, os indivíduos com peso normal comeram três refeições e mais de dois lanches por dia, enquanto o grupo com excesso de peso fazia três refeições e um lanche durante o dia.

O grupo que mantinha o peso consumia 1800 calorias por dia, em comparação com os voluntários com sobrepeso e obesidade, que consumiam mais de 2000 calorias diárias.

Para Jessica Bachman, autora do estudo e professora do Departamento de Nutrição e Dietética da Universidade de Marywood, na Pensilvânia, Estados Unidos, os lanches durante o dia podem ajudar a prevenir o ganho de peso ao diminuir a intensidade da fome. "Se você esperar dez horas até a próxima refeição, acaba por consumir muito mais comida", explica.

O estudo também mostrou que aqueles que conseguiam manter o peso eram fisicamente mais activos, queimando 3000 calorias por semana com exercícios e outras actividades. O grupo de pessoas com sobrepeso e obesidade queimava apenas 800 calorias por semana com essas actividades.

Fonte: reuters.com

Mel combate bactéria resistente a antibiótico

Segundo o Daily Mail, cientistas da Universidade de Waikato, na Nova Zelândia, descobriram que o mel puro pode exterminar o estafilococos aureus resistente à meticilina.  Para ler a notícia clique aqui.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Curso Teórico-prático de Análises Microbiológicas de Alimentos e Produtos Alimentares

Informação recebida do Biocant, Cantanhede:

O curso pretende fornecer conhecimentos teóricos e práticos sobre controlo microbiológico de alimentos e produtos alimentares.

Objectivos:
• Interpretar os resultados microbiológicos e avaliar a respectiva relevância na saúde pública.
• Implementar e executar métodos microbiológicos de controlo de qualidade de alimentos e produtos alimentares em conformidade com as Normas e Legislação em vigor.
• Compreender os princípios básicos das reacções características e bioquímicas dos meios utilizados nas análises.
• Implementar e executar o controlo de qualidade interno das análises.

Destinatários:
• Profissionais envolvidos no controlo de qualidade microbiológico de alimentos e produtos alimentares na área da Restauração, Distribuição Alimentar, Hotelaria e outras.
• Alunos, Técnicos de Análises, e Professores ou Investigadores da área da Microbiologia de Alimentos e Produtos Alimentares.

Duração:
21 horas (11h30 componente teórica e 9h30 componente prática)

Data:
14 a 16 de Dezembro de 2011

Local da Formação:
Biocant (Cantanhede)

Preço e ficha de inscrição  aqui.

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis:
  • "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente.
  • Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo.
  • Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude!
  • Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos.
  • Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita).
  • Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo.
  • Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melhor. "

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Mondego, por Daniel Pinheiro

Apesar de não estar no âmbito do blogue, não resisti à tentação de partilhar este magnífico documentário sobre a vida selvagem do rio Mondego, da autoria de Daniel Pinheiro, jovem documentarista português que concluiu recentemente o mestrado na Universidade de Sanford, no Reino Unido, com a apresentação deste trabalho (clique na imagem para ver em ecran total).

"Mondego" by Daniel Pinheiro from Daniel Pinheiro on Vimeo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Limonada natural previne pedra nos rins


Para evitar a formação de pedra no rim, especialmente se já sofreu deste problema de saúde, é aconselhável reduzir as quantidades de sal, cálcio e proteínas da alimentação e beber sumo de limão. De acordo com um estudo realizado na Universidade da California, nos Estados Unidos, beber diariamente quatro limões dissolvidos em dois litros de água é benéfico para todos, mas principalmente para aqueles que tenham sofrido de pedra nos rins.

Roger L. Sur, responsável pela investigação e director do UC San Diego Comprehensive Kidney Stone Center, afirma que mais do que qualquer outra fruta cítrica, o limão tem uma grande concentração de citrato, um inibidor natural da formação da pedra nos rins. Quanto a outros sumos, o cientista refere não surtirem o mesmo efeito, visto não possuírem tanto citrato. As “versões comerciais” não têm o mesmo interesse porque podem conter suplementos de cálcio e oxalato, dois dos principais componentes da pedra que se forma nos rins.

Paralelamente à ingestão de sumo de limão, o cientista aconselha uma dieta pobre em sal, dado que este mineral estimula a eliminação de cálcio pela urina.

Segundo o cientista, o melhor é prevenir. Uma pessoa que já tenha tido uma pedra no rim tem 50% de probabilidade de vir a desenvolver outra pedra dentro de cinco a dez anos. Com as dietas alimentares que prescreve aos pacientes, Roger L. Sur diz esperar conseguir reduzir ou até eliminar os casos de pedra nos rins.

Fonte
ALERT Life Sciences Computing, S.A.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

e-Book: Mitos Sobre a Diabetes

Ontem, dia 14 de Novembro comemorou-se o Dia Mundial da Diabetes.

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):
"Segundo o “Estudo da Prevalência da Diabetes em Portugal”, realizado em 2009, estima-se que 11,7% dos portugueses têm Diabetes, o que corresponde a quase um milhão de pessoas entre os 20 e os 79 anos. Além disso, estima-se uma prevalência de 23,2% de pré-Diabetes, o que faz um total de 34,9% de portugueses com Diabetes ou pré-Diabetes. Tendo em conta que prevalecem ainda diversos mitos sobre a alimentação e práticas mais adequadas para o controlo da Diabetes, no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Diabetes, a Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN), lança um e-book com a desmistificação de alguns dos mitos mais frequentes".
Faça o download do e-book Mitos Sobre a Diabetes no sítio da APN: aqui.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OBESIDADE: Novo fármaco poderá ajudar a perder 10% do peso num mês

Investigadores do Anderson Cancer Center, nos Estados Unidos, testaram com êxito um novo fármaco contra a obesidade: o adipotide. Em apenas quatro semanas de tratamento com adipotide, macacos obesos perderam 11% do peso corporal e diminuiram 27% da sua gordura abdominal.

Ao contrário de outros fármacos com a mesma finalidade, que cortam o apetite, aumentam o metabolismo ou impedem a absorção de gorduras da alimentação, o adipotide imita o mecanismo de acção de alguns dos tratamentos contra o cancro que cortam o fornecimento de sangue e oxigénio às células gordas. O fármaco une-se a uma proteína localizada na superfície dos vasos sanguíneos da gordura induzindo a morte celular. Depois disso, as células adiposas são reabsorvidas pelo organismo.

O tratamento revelou ainda que os macacos melhoraram sua resistência à insulina, sugerindo que o adipotide pode prevenir a diabetes tipo 2. Foram registrados alguns efeitos nocivos nos rins, mas os médicos garantem que os males podem ser evitados com a redução da dose administrada.

Fonte da  imagem

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Quantas calorias devo ingerir por dia?

As calorias que precisamos de ingerir por dia dependem de uma série de factores nos quais se  incluem a altura, o peso, a idade, o sexo, o exercício físico e também algumas condições fisiológicas especiais, como doença, gravidez, etc. Mas, para estimar de um modo fácil e rápido tomamos apenas em conta dois factores de consumo energético: Taxa Metabólica Basal (TMB) e a actividade física.

O que é o TMB?
A TMB é o número total de calorias necessárias para manter o nosso corpo a funcionar em repouso, excluindo, portanto, todas as actividades físicas. Precisamos de energia para manter o coração a bombear o sangue, para os movimentos respiratórios, para a digestão dos alimentos, renovação celular, manutenção da temperatura corporal e para todos os processos metabólicos e reacções químicas do corpo.

Como calcular as necessidades de calorias diárias?
O método mais usado para calcular as calorias que gastamos diariamente é multiplicar a TMB por um factor de actividade física. Mas primeiro vamos determinar a TMB através da fórmula de Harris-Benedict, que é diferente para mulheres e homens:

Mulheres
TMB = 655 + (9,6 x Peso em kg) + (1,8 x Estatura em cm) - (4,7 x Idade)

Homens
TMB = 66 + (13,7 x Peso em kg) + (5 x Estatura em cm) - (6,8 x Idade)
Agora que já sabe a sua TMB pode calcular as calorias necessárias para um dia multiplicando a TMB pelo seu factor de actividade física a partir dos valores abaixo:

Factor de Actividade Física:
  • Sedentário (trabalho sentado com pouco ou nenhum exercício) = TMB x 1,2
  • Levemente activa (exercício moderado / desporto 1 a 3 dias por semana) = TMB x 1,375
  • Moderadamente activa (exercício moderado / desporto 3 a 5 dias por semana) = TMB x 1,55
  • Muito activa (exercício intenso /desporto 6 a 7 dias por semana) = TMB x 1,725
  • Extremamente activa (exercício intenso diário / trabalho desportivo ou treinos bidiários para maratonas, corrida de velocidade, etc.) = TMB x 1,9

Nove erros clássicos na hora de emagrecer

Saltar refeições, exagerar nas actividades físicas ou não procurar a ajuda de um profissional são três dos "nove erros clássicos na hora de emagrecer" publicados num artigo da jornalista Vivian Carrer Elias na edição online da revista brasileira Veja, aqui. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cuidados Alimentares para Doentes Insuficientes Renais

A Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN) alerta os doentes com insuficiência renal crónica para a necessidade de terem cuidado com a alimentação, para não correrem riscos de desnutrição.

“A escolha da dieta por parte do médico é sempre feita de uma forma individualizada, pois uma boa alimentação é fundamental para reduzir as complicações no doente renal e melhorar a sua qualidade de vida”, refere, em comunicado enviado à imprensa, Fernando Nolasco, presidente da SPN.

Para os doentes com insuficiência renal crónica a dieta é parte fundamental do plano de tratamento, além da terapia farmacológica e dos tratamentos convencionais (diálise, hemodiálise e transplante renal).

Na insuficiência renal crónica, o fósforo contribui para as alterações ósseas observadas nestes doentes, pois não é eliminado de forma apropriada, acumulando-se quantidades excessivas. Por outro lado, os rins são responsáveis por activar a vitamina D essencial para que o organismo possa absorver o cálcio dos alimentos. Quando os rins deixam de funcionar, esta vitamina não é activada e o cálcio não é absorvido. Por isso é importante reduzir a ingestão de fósforo e aumentar a ingestão de cálcio e vitamina D na sua forma activa. O fósforo e o cálcio estão presentes sobretudo no leite e seus derivados. Por esta razão existem medicamentos que actuam corrigindo os defeitos existentes.

A perda da funcionalidade dos rins faz também com que o potássio se acumule no sangue. “Quando os níveis ficam muito altos, o doente tende a sentir debilidade muscular, tremores e fadiga e pode correr risco de vida”, alerta o nefrologista. O potássio está presente sobretudo na fruta, frutos secos e legumes. Por se tratar de um mineral solúvel em água, grande parte do potássio contido nos alimentos pode ser eliminado através de técnicas culinárias tais como a imersão (pôr os legumes de molho umas horas antes de cozinha-los) ou dupla cozedura (eliminar a água da primeira cozedura e voltar a cozer) .

Na insuficiência renal a eliminação de sódio e água através da urina é reduzida. Como consequência da retenção de sódio, os doentes têm uma grande sensação de sede e a retenção de água pode dar origem ao aparecimento de edemas e subida da tensão arterial. Se esta condição não for controlada pode conduzir a situações de insuficiência cardíaca. Sal, queijo e marisco são os principais alimentos ricos em sódio.

Fonte
Alert-online.com

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Cientistas franceses conseguiram reverter envelhecimento celular


Cientistas franceses conseguiram recuperar a juventude de células de dadores centenários, ao reprogramá-las ao estágio de células-tronco*, demonstrando assim que o processo de envelhecimento é reversível.
Ler notícia completa aqui.

*Células-tronco-Também chamadas de células-mãe, podem transformar-se em qualquer um dos tipos de células do corpo humano e dar origens a outros tecidos, como ossos, nervos, músculos e sangue.

Workshop APN

Informação recebida da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN):
(clique na imagem para a aumentar)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

COMER BEM E BARATO

Artigo meu publicado hoje no "Guia Gastronómico 2011 - 2012" distribuido com o jornal Diário de Coimbra:

A 16 de Outubro comemora-se o Dia Mundial da Alimentação. Neste ano o dia é dedicado ao tema Preços da Alimentação - Da Crise à Estabilidade, tema que vem muito a propósito nos tempos em que vivemos. A crise económica tem levado muitas famílias a cortar nas despesas com alimentação. Este facto que, à primeira vista, constitui um grave problema, pois comer é uma das mais básicas necessidades humanas, pode ser aproveitado de forma inteligente para dar uma volta nos maus hábitos alimentares em nossas casas.
Como nutricionista, deixo um conjunto de regras para poupar na alimentação, sem nunca perder de vista as necessidades de nutrientes essenciais à saúde de todos os membros da família:

- Tome o pequeno-almoço em casa com alimentos tradicionais: leite e pão. Parta o pão aos bocadinhos e coloque-os na sua taça de leite, como nas tradicionais "sopinhas de leite". Esqueça os cereais de pequeno-almoço, que são mais caros e não são saudáveis.

- Leve sempre fruta para o trabalho para comer a meio da manhã ou da tarde e faça os seus filhos levarem também os lanches da manhã e da tarde. Comer no bar da escola fica mais caro e, além disso, encontram-se aí alimentos pouco ou nada recomendáveis

- O almoço e o jantar devem ser iniciados com um prato de sopa de legumes, um alimento muito barato, com poucas calorias, mas que é nutricionalmente inigualável.

- Dispense de vez em quando a carne e o peixe substituindo-os por leguminosas: feijão, grão, lentilhas, ervilhas, favas e soja. Estes alimentos contêm proteínas com um perfil de aminoácidos interessante sendo por isso bons substitutos da carne e do peixe.

- Opte pela confecção de pratos, com menos carne e peixe, como empadões, feijoadas, jardineiras, caldeiradas e arroz ou massada de peixe.

- Use os ovos nas suas refeições duas a três vezes por semana. Não tenha medo do colesterol. Está provado que as gorduras hidrogenadas e outras gorduras saturadas presentes nos mais variados produtos (bolachas, bolos, cereais de pequeno-almoço, molhos, refeições prontas, etc.) é que fazem subir o LDL-colesterol (o mau).

- As frutas e legumes de origem nacional têm boa qualidade e são normalmente mais baratas. Pessoalmente privilegio o que é nosso.

- Os sumos podem ser substituídos por água da torneira. Na conta da água que pagamos está incluído o necessário tratamento e desinfecção. Para quê pagar água engarrafada?

- Por último, recomendo que planeie as suas refeições caseiras preparando um menu semanal. Poupará muito dinheiro porque só vai comprar o que realmente precisa.

A alimentação para a saúde deve ser feita com base em alimentos naturais, que se situam nas zonas periféricas dos supermercados e que são os mais baratos.

Poderá não ser fácil abandonar alguns costumes caros e prejudiciais. Mas vivemos numa época em que as mudanças se tornam inevitáveis. Olhemos a crise como uma oportunidade de mudar o modo como fazemos compras, escolhendo melhor os alimentos, confeccionando-os em casa e levando para o trabalho alimentos naturais.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Workshop de Gastronomia Molecular

Organização: Faculdade de Ciências e Tecnologias da Saúde da Universidade Lusófona
Data: 19 de Novembro
Inscrições: limitadas a 20 participantes
Custo de inscrição: 25€. 

Para além de uma componente teórica, dedicado ao tema “Gastronomia Molecular, uma ciência recente”, haverá lugar igualmente a uma componente prática, contemplando receitas como ovo estrelado doce ou caviar de cereja-groselha.

Coordenação:
Joana Moura - Mestre em Ciências Gastronómicas. Investigadora na área de Gastronomia Molecular e especialista em Food Design; Susana Dias*- Mestre em Engenharia Alimentar - Especialidade de Biotecnologia Microbiana, Investigadora na área de Gastronomia Molecular; Nelson Tavares, Doutor em Ciências da Nutrição, Director da Licenciatura em Ciências da Nutrição da Universidade Lusófona.

Mais informação sobre este evento e ficha de inscrição, podem ser encontradas aqui: http://fcts.ulusofona.pt/index.php/eventos/workshops/details/52-Gastronomia%20Molecular

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

III Ciclo de Cinema e Alimentaçã​o

Informação recebida da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN):

A APN junta-se novamente à Medeia Filmes, para mais um Ciclo de Cinema e Alimentação.
Teatro do Campo Alegre
9, 16, 23 e 30 de Novembro 21h30
3,5€/bilhete

Durante 4 semanas, será possível (re)ver alguns filmes que raramente passam no cinema e debater os temas neles abordados por especialistas dessa área, meditando-se sobre o actual papel da alimentação na sociedade portuguesa.

SINOPSES

9 de Novembro
Ruggles of Red Gap (O estravagante Sr. Ruggles), de Leo McCarey / 1935
Um clássico!Ruggles, mordomo de Lord Burnstead, está a passear em Paris em 1908, junto com o patrão. Lá também se encontram o rude fazendeiro americano Egbert Floud e sua esposa Effie, que tem pretensões de ascender socialmente. Num jogo de póquer, Egbert "ganha" Ruggles e, para horror deste, leva-o para a cidadezinha de Red Gap, no Oeste Selvagem. Effie apresenta-o como um aristocrata inglês e Ruggles acaba por se tornar uma celebridade. Ele torna-se amigo da viúva Judson, graças aos seus conhecimentos culinários, porém levanta as suspeitas de Charles Belknap-Jackson. Com o tempo, Ruggles aprende as delícias da democracia americana, da independência e do empreendedorismo, até abrir um restaurante.

16 de Novembro
Aprés Vous (Faça Favor...), de Pierre Salvadori / 2003
Antoine é chefe de mesa num restaurante em Paris. Ao voltar para casa uma noite, salva Louis do suicídio e faz tudo para que ele volte a gostar de viver. Com um estranho sentimento de culpa por ter salvo a vida deste pobre homem, Antoine faz tudo para melhorar a sua vida. Arranja um trabalho a Louis, e pouco a pouco cresce uma amizade entre eles. Mas apesar dos esforços de Antoine, Louis não consegue deixar a sua obsessão: Blanche, o amor da sua vida e a mulher que o levou ao desespero. Antoine resolve então ir ao encontro dela sem o dizer ao seu novo amigo, mas nada corre como planeado.

23 de Novembro
Mondovino, de Jonathan Nossiter / 2004
Documentário sobre o vinho e tudo o que envolve a produção do mesmo O filme é uma investigação sobre o tema da globalização, tendo como principal personagem a indústria do vinho e a transformação das formas de produção no velho mundo, influenciadas pelo mercado americano.Como representante da mudança, o filme apresenta o enólogo e consultor Michel Rolland, um dos mais requisitados da Europa, que entre gargalhadas, cigarrilhas e telefonemas, aconselha os produtores a micro-oxigenar o vinho, entre outras manipulações, garantindo um paladar homogéneo e pronto a atender o grande mercado.


30 de Novembro
Io Sono L'Amore (Eu sou o Amor), de Luca Guadagnino / 2009
Emma, a matriarca de uma abastada família milanesa, vive num mundo cuidadosamente ordenado onde dominam os seus deveres para com o marido e os filhos. Mas um encontro casual desperta paixões há muito reprimidas, transportando-a para uma viagem que mudará a sua vida.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Legumes de folhas verdes reforçam o sistema imunitário e ajudam a manter a saúde do intestino

Cientistas do Babraham Institute de Cambridge, no Reino Unido, afirmaram que os legumes de folhas verdes da família das crucíferas ajudam a fortalecer o sistema imunológico, pois garantem a presença de células imunes no intestino e na pele, conhecidas como linfócitos intra-epiteliais. Estes linfócitos localizam-se por baixo das células epiteliais (células que revestem o corpo e os orgãos) e funcionam como primeira linha de defesa contra agentes externos. No estudo, ratinhos saudáveis que foram sujeitos a uma alimentação pobre em vegetais, apesar de enriquecida em viatminas e minerais, tiveram uma redução de 70 a 80% destas células de protecção.

Marc Veldhoen e a sua equipa descobriram que o número de linfócitos intra-epiteliais depende dos níveis de uma proteína da superfície celular chamada receptor de hidrocarboneto aromático, que pode ser regulada por nutrientes encontrados em legumes da família das crucíferas, como brócolos, couve de bruxelas, repolho ou couve-flor.

Esta descoberta, publicada na edição on-line da revista Cell, tem implicações para uma melhor compreensão da base das doenças inflamatórias intestinais como a doença inflamatória intestinal (DII) e pode abrir novas oportunidades para a intervenção terapêutica.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"Crianças enfrentam doenças relacionadas à obesidade cada vez mais cedo"

Recomendo a leitura do artigo sobre obesidade infantil, com o título de cima, publicado no dia 12 de outubro passado na revista brasileira Veja: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/criancas-enfrentam-doencas-relacionadas-a-obesidade-cada-vez-mais-cedo

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

A NUTRICIONISTA NA COZINHA #4

A receita de hoje é de peixe e foi inspirada num livro de receitas de cozinha italiana. O peixe é mais saudável do que a carne porque, de um modo geral, a sua digestão é mais fácil e porque a sua gordura é rica em ácidos gordos polinsaturados de cadeia longa. Os mais novos cá de casa reclamam quase todas as vezes que lhes apresento peixe para a refeição porque o peixe precisa de mais "mão de obra." A melhor maneira de dar a volta a esta situação é apresentar-lhes pratos de peixe já sem espinhas. É o caso desta receita de risotto de peixe com camarão que partilho hoje.

RISOTTO de PEIXE, CAMARÃO e LEGUMES (receita para 4 pessoas)

Ingredientes
150 mL de vinho branco
4 postas de raia
200 g de miolo de camarão (pode ser congelado)
4 colheres de sopa de azeite
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
Legumes variados (cenoura baby, cogumelos, alho francês,...)
1 folha de louro
4 chávenas (de café) de arroz para risotto
água a ferver
sal e pimenta

Coza a raia em água temperada com sal e pimenta durante cerca de 8 a 10 minutos. Com uma escumadeira tire a raia, escolha as espinhas. Guarde a água de cozedura.  Aqueça o vinho num pequeno tacho e quando estiver a ferver adicione os camarões e deixe cozer durante dois minutos. Retire os camarões para junto do peixe e reserve.


Num tacho grande aqueça o azeite com a cebola e o alho. Quando a cebola começar a ficar transparente adicione os legumes e uma pitada de sal.  Tape a panela e deixe-os cozer um pouco. Adicione o arroz para risotto lavado, a folha de louro e mexa.
Deite o que sobrou do vinho de cozer os camarões mexendo sempre. Quando o vinho desaparecer adicione gradualmente a água de cozer a raia, uma concha de cada vez, não parando de mexer. Quando este desaparecer utilize água a ferver do mesmo modo, deixando cozer, mexendo durante cerca de 15 minutos até o arroz ficar cremoso. Acerte o sal e a pimenta.
Junte a raia e os camarões e envolva tudo. Desligue o disco e reserve durante dois minutos. 

Enfeite com salsa. O rizotto está pronto a ser servido. Bom apetite!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

CHÁ VERDE: um aliado na luta para emagrecer

De acordo com um estudo recente realizado na Penn State University, nos Estados Unidos, e publicado na revista Obesity, uma molécula contida no chá verde, epigalocatequina-3-galato (EGCG), reduz a capacidade de absorver gorduras e aumenta a sua eliminação. Mas não reduz o apetite. Para chegar a estas conclusões, os investigadores verificaram que os ratos alimentados com uma dieta rica em gordura juntamente com o referido composto presente no chá verde engordavam menos do que o grupo de controlo. Além disso, os ratos alimentados com o composto de chá verde tinham 30% mais grodura nas fezes (o que significa que não foi absorvida).

Lambert, investigador que liderou o estudo, afirma que "os dados obtidos em humanos mostram que os bebedores de chá que consomem uma ou mais chávenas por dia já podem ter resultados sobre o peso."

Esta excelente notícia torna mais consistente a minha recomendação de acompanhar as principais refeições com chá (reveja aqui). Mas não com um chá qualquer. O melhor é o chá verde. Experimentem!

domingo, 16 de outubro de 2011

Mensagem "Dia Mundial da Alimentação 2011"




Dá a volta à tua alimentação e muda o estilo de vida: come pouco, bem, variado e faz exercício físico.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Expo Low Cost 2011

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):

Este fim-de-semana "uma feira, várias marcas, tudo no mesmo espaço, de 14 a 16 de Outubro, no Pavilhão Atlântico (Sala Tejo)". É a Expo Low Cost 2011 sob o lema “Preços Baixos, Grandes Soluções”.
5% da receita total da bilheteira reverterão para a Associação Sol.
Eu vou!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O meu frigorífico #2

Continuando com os iogurtes, os Mimosa aromas são os que consumo habitualmente. Fornecem cerca de 100 calorias, são saborosos (não demasiado ácidos como alguns de outras marcas), económicos ( encontro sempre packs promocionais leve 12 e pague 9) e não são demasiado doces. Dou-lhes medalha de prata.

Lembro que os iogurtes sólidos de aromas fornecem cerca de metade das calorias dos iogurtes líquidos, pelo que são melhor opção para quem não quer ganhar peso. Porque é que julgam que só como iogurtes sólidos de aromas?

O meu frigorífico #1



"O meu frigorífico" é uma rubrica para partilhar os meus alimentos favoritos, quer pelo valor nutricional,  pelo valor calórico, pelo sabor, quer também pelo preço. Tudo conta!
Os iogurtes que vêem na imagem são uma maravilha. Autênticas sobremesas. São muito cremosos, sem terem nata adicionada, e têm uma característica que para mim é muito importante: não são demasiado doces. O de manga, que não está na imagem porque não lhe resisti, é o meu preferido. É com ele que faço os meus iogurtes (ver receita de iogurte na página de receitas deste blog) por conter lactobacilos helveticus responsáveis, quanto a mim, pela cremosidade e textura final do iogurte. Quanto ao preço, são um bocadinho mais caros do que os comuns, mas a qualidade paga-se. Experimentem e... partilhem.   

Álcool: veneno ou medicamento?

A longo prazo, a ingestão excessiva de álcool está associada a várias condições, entre elas o cancro da mama, cancro da boca, doenças cardíacas, derrames, cirrose hepática, problemas de saúde mental, perda de memória e diminuição da fertilidade.
Um estudo publicado no British Medical Journal no ano passado concluiu que o consumo de álcool provoca pelo menos 13 mil casos de cancro por ano na Grã-Bretanha, nove mil em homens e quatro mil em mulheres.
O efeito negativo do álcool para a saúde em geral pode estar associado a um composto conhecido como acetaldeído, produto em que o álcool é transformado após ser digerido pelo organismo. O acetaldeído é tóxico e danifica o DNA das células. O cientista KJ Patel, que trabalha no laboratório de biologia molecular do Medical Research Council, na Grã-Bretanha, tem vindo a estudar os efeitos tóxicos do álcool e afirma: "não há a ocorrência de uma célula cancerosa a não ser que o DNA seja alterado. Quando você bebe, o acetaldeído corrompe o DNA das células e coloca a pessoa no caminho para o cancro".

No entanto, alguns estudos têm demonstrado que, bebido com moderação, o álcool pode proteger o coração e os vasos ao elevar os índices de bom colesterol no organismo e impedir a formação de coágulos sanguíneos.

Como vimos, o álcool pode ser veneno ou medicamento, depende da quantidade. Fica o meu conselho: beba com moderação. Para os homens a recomendação é dois copos de 20 cl por dia e para as mulheres, porque apresentam menor tolerância ao álcool, um copo de 20 cl por dia. Reveja outros posts sobre os benefícios do consumo moderado de vinho tinto, aqui:

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Tomates biológicos são mais ricos em compostos fenólicos (antioxidantes)

O sumo de tomate biológico (ou orgânico, como queiram chamar) contém mais compostos fenólicos do que o sumo feito de tomates de culturas convencionais, de acordo com um novo estudo publicado na revista Food Chemistry. Os polifenóis são uma família de compostos naturais que nos protegem contra as doenças cardiovasculares, degenerativas e contra o cancro. O estudo, financiado pelo Ministério espanhol da Ciência e Inovação, traz novos dados ao debate sobre as vantagens do consumo de produtos com origem em culturas biológicas (orgânicas) em relação aos obtidos a partir das culturas convencionais de grande escala.

Sobre o mesmo assunto, poderá gostar de rever "Alimentos Biológicos Crescem em Todo o Mundo" 

Fonte
http://www.sciencedaily.com/releases/2011/09/110927112036.htm

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Nobel da medicina morreu na passada sexta-feira, mas beneficiou da sua própria descoberta

Ralph M. Steinman (na imagem), um dos cientistas laureados com o Nobel da Medicina nesta segunda-feira, faleceu aos 68 anos vítima de cancro no pâncreas, três dias antes do prémio ser anunciado (Divulgação/Rockefeller University). 
Os cientistas Bruce Beutler, dos Estados Unidos, Jules Hoffmann, de Luxemburgo, e Ralph Steinman, do Canadá, receberam nesta segunda-feira o prémio Nobel de Medicina de 2011, pelos seus trabalhos sobre o sistema imunológico.Segundo comunicado do Comitê Nobel, em Estocolmo, os investigadores foram premiados porque as suas investigações "revolucionaram a compreensão do sistema imunológico, ao descobrir as principais chaves de sua ativação".

Os trabalhos de Steinman e dos outros dois cientistas foram cruciais no desenvolvimento de novas vacinas contra doenças infecciosas, e de novas abordagens na luta contra o cancro, o que inclui as chamadas "vacinas terapêuticas", que estimulam o sistema imunológico a destruir tumores. Vítima de cancro no pâncreas, Steinman sobreviveu mais tempo do que o esperado pelos médicos justamente por causa de sua descoberta.

Em 1973, Steinman descobriu um novo tipo de células, as dendríticas, e começou a investigar seu papel no sistema imunológico. O cientista canadiano demonstrou que estas células possuíam uma capacidade única para ativar os linfócitos T, fundamentais na imunidade adaptativa e no desenvolvimento de uma memória imunológica contra diferentes substâncias
As pesquisas de Steinman apontaram para a importância das células dendríticas como um acessório único e importante no gatilho de várias respostas imunológicas, incluindo situações clínicas como rejeições de enxerto, resistência a tumores, doenças autoimunes, infecções e SIDA. Deste modo, Steinman conseguiu revelar como o sistema imunológico adaptativo é ativado e como se relaciona com a imunidade congénita.

A notícia da morte do cientista apanhou de surpresa os responsáveis pela premiação.  Segundo nota da Universidade de Rockefeller, divulgada pouco após o anúncio do prémio, ele morreu no último dia 30, aos 68 anos. "Ele foi diagnosticado com cancro no pâncreas há quatro anos, e a vida dele prolongou -se graças à aplicação de uma imunoterapia à base de células dendríticas que ele mesmo criou", disse o comunicado. Em nota, a filha de Steinman, Alexis, disse que seu pai ficaria honrado com o prémio. “Estamos sensibilizados de saber que os anos de trabalho duro do nosso pai foram reconhecidos com o Prémio Nobel”, disse Alexis. “Ele dedicou a sua vida ao seu trabalho e à família e estaria verdadeiramente honrado”.
 
Fonte
Veja.abril.com.br

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A Nutricionista na Cozinha #3


A receita de hoje é de legumes. Trata-se de uma forma de cozinhar couve coração que fica bem tanto para acompanhar peixe, como carne. Dá imenso jeito no Inverno, porque não apetecem tanto as saladas e, como sabem, devemos ter verdes diariamente no prato. Este modo de cozinhar a couve deixa-a um pouco crocante, que é meio caminho para agradar aos mais novos. Reveja este assunto aqui .

COUVE CORAÇÃO SALTEADA
Ingredientes
A escolha dos ingredientes é importante. Faço a maioria das minhas compras no Pingo Doce (PD) utilizando muitos produtos de marca branca por serem de boa qualidade e mais baratos

1 couve coração
Azeite (compro habitualmente o Virgem Extra Gourmet Pingo Doce)
três dentes de alho
água
sal (só uso sal marinho e o que gasto neste momento é do Algarve, marca Marnoto)


Preparação
Corta-se a couve como para caldo verde grosseiro. Põe-se o tacho ao lume, para cozer a couve, com cerca de 20 cl (1 copo)de água e uma pitada de sal.
Quando a água entrar em ebulição introduzir a couve no tacho, não precisando de ficar coberta pela água (ver imagem abaixo). Aliás, quanto menos água se utilizar para cozer qualquer legume, menores são as perdas de minerais e vitaminas para a água. Colocar a tampa no tacho e deixar cozer, vigiando o nível da água, cerca de 14 minutos.
Depois de cozida, tira-se do lume e escorre-se a água que se pode guardar num tupperwere no frigorífico e utilizar mais tarde na confecção de outro prato (sopa, arroz, ou risotto, por exemplo). Partem-se os alhos, depois de terem levado um murro, para as bolsas que contêm o seu aroma rebentarem, e colocam-se no azeite que já está ao lume deixando ferver ligeiramente para não queimar.

Os alhos devem ficar a ferver no azeite apenas o tempo suficiente para lhe passarem o seu aroma.
Junta-se a couve cozida e salteia-se durante uns minutos. A couve está pronta para acompanhar uma posta de salmão grelhado temperado com sal, limão e salsa picada. 
Foi o meu jantar de ontem. Experimentem! E já sabem, se tiverem comido um prato de sopa antes, não sentirão falta da batata a acompanhar o salmão.