A DIETA DOS MINEIROS CHILENOS


Agora que os 33 mineiros chilenos estão à superfície, muita gente pergunta: como é que eles sobreviveram tantos dias num sítio tão inóspito e regressaram com uma aparência que se não é boa é, pelo menos, razoável?

De facto, passaram fome. Durante os 17 dias em que estiveram isolados do mundo a sua dieta limitou-se a duas colheres de atum por dia, meio copo de leite e um biscoito. Emagreceram necessariamente. Mas, a partir do momento, em que uma perfuradora de pequeno diâmetro (8 cm) chegou ao espaço onde estavam e eles colaram a famosa mensagem: "Estamos bem os 33 no refúgio" (tinham ouvido o barulho da escavadora e tinham preparado mensagens escritas para as colar na ponta da sonda), tudo mudou.

A primeira coisa que lhes deram de fora foi uma dose de 200 mL de um suplemento nutritivo médico à base de leite chamado Supportan. Como estavam desidratados, receberam imediatamente gels líquidos com proteínas e vitaminas e passaram a consumir o dobro da água do que antes, tudo enviado através do estreito tubo. A primeira refeição sólida foi cereais com papa de pêra e maçã. Lentamente (a mudança de regime alimentar não podia ser brusca, para evitar doenças conhecidas!) passaram para um menu normal, com 2300 quilocalorias por dia, em cinco refeições, pequeno-almoço, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. Foi-lhes dito para fazerem exercício de pelo menos uma hora diária, o que era possível pois havia galerias extensas na mina (inclusivamente a "casa de banho" era longe!). Uma equipa da NASA, formada por dois médicos, um psicólogo e um engenheiro tinha chegado entretanto ao local e deu conselhos sobre a dieta, baseado naquilo que se sabe sobre o que é a melhor alimentação dos astronautas. Era importante que as comidas, sempre enviadas da superfície, devidamente aquecidas, tivessem bom aspecto. Um menu típico era constituído por:

- iogurte líquido, torrada e geleia ao pequeno-almoço.
- biscoitos proteicos a meio da manhã
- salmão assado com puré de batata ao almoço com sobremesa de ananás. Bebiam Gatorade.
- pão e arroz doce à tarde
- lombo de porco assado com milho ao jantar com sobremesa de tangerina.

Gostaram do menú, embora se tivessem queixado da falta de bebidas alcoólicas. Tinham de caber na cápsula Fénix, de modo que o controle de peso foi sempre devidamente assegurado. Nas últimas seis horas antes de subir à superfície, mudaram para uma dieta especial de líquidos, recomendada pela NASA, para evitar males cardíacos, enjoos, etc. durante a subida. Foi-lhes dada uma aspirina.

E, palmas!, eles já cá estão em cima connosco! Os nutricionistas ajudaram ao esforço de salvamento.
1 comentário

Postagens mais visitadas