"Este grande corpo encerra uma alma frágil"

Sem referir o nome, transcrevo o comovente relato dos sentimentos que levaram, uma pessoa com o grave problema da Compulsão Alimentar, a pedir a ajuda de profissionais. A Compulsão Alimentar é uma área à qual tenho dedicado cada vez mais tempo:

"Um dia olhei para o espelho e senti pena de mim. Não pena por ser gorda ou por não corresponder aos cânones estéticos, mas porque estava a fazer mal a mim mesma... Na realidade, nós obesos, nem gostamos de comer. Aliás, muitas vezes, odiamos empanturrar-nos. Mas é uma forma de preencher um vazio, de nos sentirmos melhor. Acaba por ser uma cura que tem um efeito quase como a droga. Cria uma sensação de bem-estar instantâneo. Depois transforma-se em sentimento de culpa, em depressão... E todos os dias dizemos: «não vou comer ao jantar» ou «ao jantar vou conter-me, vou portar-me bem» e, depois, não é assim.

Quando uma pessoa engorda é como se se cobrisse com um pano, com uma camada de protecção. Este grande corpo encerra uma alma frágil!
O meu corpo fala comigo e diz-me: «não estás bem, tens de fazer alguma coisa». Decidi gostar de mim, cuidar de mim e percebi que sou especial. É isso!"
2 comentários

Postagens mais visitadas