GRANDES ENGANOS...


Através do blogue "Canibais e reis" fiquei a saber que o Pingo Doce nos propõe um prato mediterrânico "caçarola de seitan com legumes" que, de facto, não tem nada a ver com a alimentação tradicional dos povos mediterrânicos. Veja o post aqui.

A alimentação mediterrânica ainda hoje é seguida, como padrão, por algumas comunidades da bacia oriental do Mediterrâneo incluindo o Sul da Itália, França, Grécia, Catalunha e Portugal. Os traços comuns que caracterizam as variedades da alimentação mediterrânica podem resumir-se da seguinte forma:

- dia alimentar constituído por 4 a 5 refeições, ajustadas ao esforço físico a desempenhar;
- elevado consumo de pão, alimentos cerealíferos e leguminosas secas;
- produtos hortícolas e frutos em natureza sempre diferentes conforme a época;
- consumo moderado de carne, peixe e ovos;
- vinho traçado com água para acompanhar a refeição;
- consumo elevado de chá e infusões de ervas;
- um bom pequeno-almoço para começar o dia;
- o almoço 'maior' do que o jantar;
- refeições tranquilizantes e apaziguadoras;
- culinária simples e de pouco tempo de lume;
- azeite para temperar e, para cozinhar, também a banha;
- consumo modesto de lacticínios, mais frequente sob a forma de queijo e iogurte;
- durante todo o ano consumo de alhos, cebolas, frutos secos, azeitonas e sementes;
- dias de festa bem diferentes dos dias comuns, com muita variedade e fartura.

Este modelo alimentar nutricionalmente rico, completo e equilibrado contribuiu, desde há milénios, para propiciar uma velhice sadia. É essencial não trocar tais conceitos praticados desde sempre entre nós por novos padrões e estilos de vida importados de países com pouca ou nenhuma tradição de alimentação saudável.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas