Pular para o conteúdo principal

Emagrecer é...

Especial Crianças

Em Portugal a prevalência de obesidade infantil é muito preocupante apresentando uma das taxas mais elevadas da Europa.

O excesso de peso nas crianças é resultado, quase sempre, de um desequilíbrio entre ingestão alimentar e os gastos energéticos. As nossas crianças estão mais gordas porque passam demasiado tempo em frente aos ecrãs, não brincam nem correm ao ar livre e deslocam-se de carro para todas as actividades. Consomem comida hipercalórica de baixo peso, pelo que nunca ficam saciadas e trocam refeições definidas, com horas próprias, por comiscar toda a tarde, desde que chegam da escola até à hora do jantar. Quando se sentam à mesa, não têm apetite e surge a dificuldade em comer a sopa, a carne ou o peixe, que são realmente importantes para quem tem que crescer saudável. De tudo isto resulta a ingestão de mais 300 a 500 kcal por dia (às vezes mais), superior às necessidades, o que aliada à inactividade física, resulta primeiro em pré-obesidade e mais tarde em obesidade.

O tratamento da obesidade é muito complicado e com taxas de insucesso elevadas, por isso o melhor é prevenir. Os pais têm aqui um papel fundamental e tudo o que necessitam é estarem bem informados para poderem implementar hábitos saudáveis para toda a família: começar o dia com um bom pequeno-almoço à base de leite, pão e fruta; iniciar o almoço e o jantar sempre com um prato de sopa; beber água às refeições (os sumos devem ser completamente abolidos lá de casa); alternar carne e peixe todos os dias; preferir fruta para sobremesa; fazer os lanches da manhã e da tarde com alimentos práticos, mas saudáveis como leite ou iogurte líquido, fruta, pão ou bolachas sem creme tipo "maria" (no máximo seis bolachas, que é o que equivale a um pão) e praticar desporto ou fazer actividade física diariamente porque é a melhor forma de queimar as calorias em excesso.

As crianças em idade escolar, que aliás são as de maior risco, estão na fase em que o processo de aprendizagem é extraordinariamente activo, o que deve ser aproveitado por professores e educadores no sentido de lhes serem ministrados ensinamentos que possam influenciar o seu comportamento alimentar, no presente e no futuro. De facto, são os melhores veículos de informação para os pais e para todos os familiares que mais de perto convivem com elas.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…