A minha gripe A


Apanhei gripe A, mas estou de volta! Como profissional de saúde sinto obrigação de escrever algumas linhas sobre a gripe A para esclarecer melhor os leitores sobre esta doença a que, estou convencida, poucos com idade inferior a 50 anos irão escapar. Esta suspeita baseia-se, entre outros factos, nos números do último comunicado do Ministério da Saúde, disponível no Portal da Saúde, que faz o ponto de situação da gripe A em Portugal:

"Na semana de 2 a 8 de Novembro, foram observados nos serviços de saúde 14.111 doentes com sintomas de gripe, independentemente da confirmação laboratorial dos vírus em causa."

A gripe A está a alastrar a um ritmo que se pode dizer assustador. Segundo o referido comunicado, "a actividade gripal centra-se predominantemente em ambiente escolar". Fiquei também convencida disto porque adoeci ao mesmo tempo que o meu filho de onze anos, que me informou que cerca de metade dos colegas da sua turma também estavam doentes. Ficámos os dois uma semana em casa a paracetamol, vitamina C e líquidos mornos (convém ter um termo com uma infusão açucarada na cabeceira da cama!). Li que o Tamiflu abrevia um pouco a evolução da doença, mas tem efeitos colaterais indesejáveis, sendo só prescrito em situações especiais avaliadas pelo médico. Felizmente correu tudo bem e já voltámos às nossas actividades normais.

Mas vamos aos sintomas. São idênticos aos da gripe sazonal mas mais agudos e, em geral, sem congestão nasal. É comum o doente apresentar febre acima dos 38 graus, acompanhada de tosse seca, dor de cabeça (a dor de cabeça constante é difícil de suportar!), dor nos músculos e nas articulações e alguma dificuldade em respirar. Em cerca de um terço dos casos, a doença pode passar despercebida.

Os sintomas podem ter início no período de três a sete dias após o contacto com o vírus influenza A (H1N1). Este vírus contém material genético suíno, de aves e humano. A forma do vírus parece facilitar o contágio e a disseminação do vírus no meio celular.

Se tiver os sintomas referidos siga as recomendações do Ministério da Saúde:

"O Ministério da Saúde reforça a indicação aos cidadãos para que, em caso de sintomas de gripe, contactem de imediato a Linha de Saúde 24 (808 24 24 24) e sigam as indicações que lhes são dadas."

Liguei para a Linha de Saúde 24 e fui muito bem atendida. É certo que tive de esperar seguramente quinze minutos, que foram rapidamente esquecidos pela simpatia de quem me ouviu e esclareceu do outro lado da linha. Depois fui ao Centro de Saúde e fiquei em casa à espera que a doença passasse. Ainda bem que passou.

Imagem: http://www.acores.net/noticias/view-35878.html
3 comentários

Postagens mais visitadas