O QUE O CORPO PEDE

Hoje, numa feira do livro, comprei, muito barato (3 euros), um livro do médico José Pedro Lima-Reis, Presidente da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade e professor convidado da Faculdade de Ciências da Alimentação e Nutrição da Universidade do Porto (foi meu professor!), com o engraçado título "O estranho caso do testículo desautorizado" (Campo das Letras, 2003).

Com a devida vénia e porque fala sobre "o que o corpo pede" (expressão que também já tenho ouvido nas minhas consultas) transcrevo um passo da crónica "Conversas do corpo falante":

"Mas não, decididamente o meu corpo não me pede por favor que lhe dê cozido à portuguesa, nem me manda sentar para que ele descanse de uma caminhada. Quer dizer, ou eu sou completamente surdo, ou o meu corpo é de um primitivismo atroz e o melhor que sabe é enviar-me sinais de fumo dos píncaros da sua incapacidade vocal ou fazer rufar os tambores da tripalhada para me comunicar, ou que está farto, ou que tem fome, ou que está cheio.

Convenhamos que é muito pouco quando ouço frequentemente dizer quem me consulta que o corpo pede fruta, ou doce, ou pausas para café. Sobressalto-me. Como será o corpo a pedir fruta? Fá-lo de uma maneira incisiva e autoritária, que não admite recusa? Escolherá um tom melífluo e submisso que torna improvável o não atendimento das suas pretensões? Desatará num pranto soluçante e destemperado que obriga a satisfazê-lo para não o ouvir mais ou usará voz metálica, sincopada e desumana que impõe submissão pelo terror que causa?

Os grandes conhecedores desses apelos sonoros que o corpo transmitem são os obesos e quanto mais obesos melhor e mais vezes ouvem os veementes chamamentos das suas estruturas. Os ossos pedem-lhes queijo, o fígado pede-lhes bolo-rei, o estômago marmelada caseira, o cérebro peixe, de preferência azul, o intestino implora quilos de quiwis e o sangue exige-lhes açúcar vestido de qualquer maneira para que não desatinem e desfaleçam em suores perante o pasmo de familiares e amigos."

1 comentário

Postagens mais visitadas