Emagrecer é...

Preferir peixe à carne.

A carne, o peixe, os ovos e o leite são os alimentos que melhor fornecem proteínas de origem animal. Todos eles possuem proteínas de alto valor biológico, isto é, proteínas completas com todos os aminoácidos essenciais na quantidade e proporção ideais para o nosso organismo.

Quando se pretende emagrecer, deve olhar-se para o teor de gordura dos alimentos, uma vez que a gordura inflaciona o valor calórico do que comemos. Neste sentido, e de um modo geral, os peixes constituem melhor alimento do que as carnes porque mesmo os mais gordos são, na sua maioria, menos gordos do que as carnes magras. Por outro lado têm maior teor de água do que a carne, o que é também uma vantagem para emagrecer.

A sardinha, o salmão, a cavala, o arenque, a anchova, o peixe espada e o atum (que, em conserva, é muito mais gordo do que fresco!), são chamados peixes gordos, pois chegam a fornecer mais do dobro das calorias do que o peixe magro. Mas, mesmo assim, o seu teor de gordura é baixo. De facto, estes peixes são permitidos e mesmo aconselhados quando se pretende perder peso. O tipo de ácidos gordos que fornecem são insaturados do tipo ómega-3, como o eicosapentanóico (EPA) e o docosahexanóico (DHA), que conferem protecção cardiovascular. São também fonte de boa fonte de vitamina D, que se encontra dissolvida na gordura, fundamental para a saúde dos ossos. Esta vitamina tem vindo, nos últimos anos, a ganhar relevância como factor fundamental na prevenção e tratamento de várias doenças como as cardiovasculares, hipertensão, cancro, diabetes e a obesidade.

Alguns peixes gordos têm a gordura localizada debaixo da pele, mas, de um modo geral, a gordura encontra-se dispersa entre as fibras musculares. Perderá alguma desta gordura se optar pelas duas melhores formas de os cozinhar: cozido ou grelhado, Mas, volto a insistir, apesar do nome de peixe gordo, este tipo de peixe é menos gordo do que a carne. Não se deixe enganar pelo nome...
1 comentário

Postagens mais visitadas