quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Alho cru tem maior efeito cardioprotector do que cozinhado

Um estudo publicado em Julho passado no Journal of Agricultural and Food Chemistry provou que o alho cru tem maior efeito cardioprotector do que o alho cozinhado. Os autores atribuem esta protecção à presença de um composto sulfurado, o sulfeto de hidrogénio (H2S).

É mais um trabalho que realça as propriedades saudáveis do alho cru. Ler outro artigo relacionado aqui.

Referência:
- Subhendu Mukherjee, Istvan Lekli, Shyamal Goswami, and Dipak K. Das. Freshly Crushed Garlic is a Superior Cardioprotective Agent than Processed Garlic. J. Agric. Food Chem., 2009, 57 (15), pp. 7137–7144

Imagem:
http://www.apartmenttherapy.com/ny/slinks/from-the-kitchn-how-to-mince-garlic-051961

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Vinagre impede acumulação de gordura

Uma equipa de investigadores japoneses, liderada por Tomoo Kondo, provou que o ácido acético, principal constituinte do vinagre, é capaz de activar genes que impedem a acumulação de gordura, tanto subcutânea, como hepática, em ratinhos. Durante seis semanas administraram por via gástrica água com ácido acético a um grupo de ratos e verificaram que estes tinham desenvolvido até dez por cento menos gordura corporal do que o grupo de controlo. Pelos vistos temos uma simples, mas poderosa arma contra o aumento de peso, guardada na nossa dispensa...

Referência:
Tomoo Kondo, Mikiya Kishi, Takashi Fushimi, and Takayuki Kaga Acetic Acid Upregulates the Expression of Genes for Fatty Acid Oxidation Enzymes in Liver To Suppress Body Fat Accumulation. J. Agric. Food Chem., 2009, 57 (13), pp. 5982–5986


Imagem:
http://www.flickr.com/photos/teenytinyturkey/2416945182/

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

AÇÚCAR - O culpado da "globesidade"


O último número da revista brasileira Veja à venda em Portugal traz na capa o açúcar como o grande vilão da obesidade a nível mundial. O dedo é principalmente apontado ao aumento de consumo de refrigerantes. Mas, quanto a mim, os refrigerantes não estão sozinhos. Fazem parceria com bolos, "bolicaos", bolachas, croissants, cereais de pequeno-almoço, e tantos outros fornecedores de hidratos de carbono de assimilação rápida, que invadiram os nossos supermercados nas últimas décadas. Resultado, agora temos obesos iguaizinhos aos que víamos nos filmes americanos.

Transcrevo um excerto do artigo que pode ser lido na íntegra aqui :

Está mais perto o dia em que um pacote de açúcar trará a inscrição: "O Ministério da Saúde adverte: este produto é prejudicial à saúde".
O açúcar, nas suas várias formas, é o grande promotor da obesidade, mas os seus níveis altos no sangue podem ser associados a quase todas as doenças degenerativas, desde o ataque cardíaco ao derrame cerebral e à diabetes. Existem suspeitas científicas sérias de que o açúcar possa até ser uma das causas de alguns tipos de cancro.
Na lista, está o cancro do pâncreas, o mesmo que matou o actor Patrick Swayze aos 57 anos na semana passada. Em Harvard, investigadores acompanharam 89 000 mulheres e 50 000 homens e descobriram que os refrigerantes podem aumentar o risco de cancro do pâncreas em mulheres, só em mulheres. Antes que os homens se sintam premiados pela natureza, outro estudo, que examinou 1.800 doentes, sugere que uma dieta açucarada pode aumentar o risco de cancro do intestino grosso em homens, só em homens.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Uma Maçã Pelo Planeta

Novo post convidado da nutricionista Margarida Vieira:

Começaram os preparativos para a conferência das Nações Unidas sobre alterações climáticas, que decorrerá em Copenhaga entre 7 e 18 de Dezembro. A menos de três meses para o seu início, eis uma boa altura para cada um de nós aproveitar o momento e prestar tributo ao planeta azul (ainda azul) que habitamos, com um gesto simples - optar por comer uma maçã todos os dias e libertarmo-nos dos lanches de pacote.

São vários os prós das maçãs: existem muitas variedades com diversos sabores e cores; apresentam zero gramas de gordura, são super elegantes em calorias e generosas em fibras. Como são frutas da época, estão frescas e não precisam de frigorífico. Não vêm com embalagens ou pacotes atrás. São totalmente biodegradáveis e uma maçã pode dar maçãzinhas se se devolver o caroço à terra.

Até 7 de Dezembro, data do início da cimeira, cada um de nós pode poupar o planeta em muitas embalagens. Coma uma maçã ao lanche, o planeta agradece!

Margarida Vieira

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Emagrecer é...

Não ir às compras "cheio de fome".

Ir ao supermermado com a barriga a dar horas não é nada recomendável para quem pretenda emagrecer. Está provado que, com fome, se compra muito mais por impulso e, portanto, se levam para casa mais alimentos não só supérfluos como até pouco recomendáveis. A ida às compras ao supermercado deve ser feita com algum planeamento, que permitirá evitar compras irreflectidas. Uma lista daquilo que precisa, feita com a antecedência e levada na mão, ajudará a resistir às promoções de produtos perfeitamente desnecessários, tornando o processo das compras mais objectivo e... mais económico.

Planeie o que vai comprar antes de ir ao supermercado e faça-o preferencialmente depois de uma refeição. Vai ver que a sua atitude de compra muda completamente. E isso, do ponto de vista da dieta, pode fazer grande diferença!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Prevenção do Cancro Colo-rectal na Escola


Post convidado da nutricionista Margarida Vieira, colaboradora da Europacolon Portugal, uma associação de luta contra o cancro do intestino, um tipo de cancro que previsivelmente aumentará muito durante a próxima década.

Sabe-se que os hábitos alimentares inadequados na infância e adolescência são factor de risco de obesidade e doenças crónicas, nomeadamente de aterosclerose, diabetes, doenças cardiovasculares e cancro. Como o o cancro é uma doença de desenvolvimento prolongado que está por vezes intimamente relacionada com uma alimentação incorrecta, a criação de hábitos alimentares saudáveis nas referidas idades reveste-se da máxima importância para uma vida adulta livre dessa doença.

A Europacolon Portugal propõe-se ajudar os jovens a adoptar hábitos alimentares saudáveis para prevenir o cancro colo-rectal, através de um projecto inovador nas escolas. Este projecto que teve início em 2008, já contou com duas edições. O seu objectivo principal é motivar os adolescentes a adoptar uma alimentação saudável aliada à prática de actividade física regular, envolvendo a família, que assim se torna parte activo do processo. Deste modo esperamos diminuir os principais factores de risco para as doenças crónicas e contar uma participação activa da população para a prática de estilos de vida saudável.

Para mais informações sobre o projecto e o modo como ele pode ser adaptado à sua comunidade escolar, visite o sítio da Europacolon Portugal.

Margarida Vieira

domingo, 20 de setembro de 2009

O "GURU" ALIMENTAR DOS OBAMA


O escritor norte-americano Michael Pollan, autor dos livros "In Defense of Food: An Eater’s Manifesto" (2008), e "The Omnivore's Dilemma" (2006, vencedor do James Beard Book Award para o melhor livro sobre alimentação, com edição portuguesa da Dom Quixote, 2009), tem inspirado as políticas públicas e domésticas sobre alimentação do Presidente Obama (na Casa Branca a primeira dama plantou uma pequena horta). Publico aqui um breve extracto de uma recente entrevista que ele deu ao "El País Semanal":

"El Pais- Os rótulos vendem hoje um sem-número de propriedades que beneficiam a comida. Como identificar o que há de verdade nelas?

M. Pollan- O melhor é manter ao longe comida empacotada que contenha uma lista com muitos ingredientes. Quanto mais curta for a lista melhor. Um só é o ideal.

El País- O que é que o senhor costuma comer?

M. Pollan- Ao pequeno almoço comi hoje aveia e fruta. Ontem comi ovos mexidos. Comida normal. A grande mudança na minha dieta desde que comecei a escrever sobre alimentação é que como menos carne (só duas vezes por semana) que não é industrial (só de pequenas quintas que conheço, cujos animais são alimentados a erva). E cozinho muito mais. Quando o próprio cozinha alimenta-se melhor porque não põe tanto açúcar, sal ou gorduras hidrogenadas como os alimentos pré-cozinhados. Se uma pessoa puder fazer só uma mudança na vida, que seja esta: cozinhe."

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Conferência "Nutrição e Doenças da Civilização - Os estudos da Universidade de Lund"


O Dr. Staffan Lindeberg, médico e professor da Universidade de Lund, Suécia, vem a Lisboa a convite da Nutriscience para mais uma conferência do ciclo de conferências "Nutrição e Doenças da Civilização". O conferencista é o responsável pelo "Estudo dos Kitava", realizado com os habitantes das ilhas de Kitava e Trobriand, na Papua Nova-Guiné, onde não existe comida de origem agrícola. O Dr Lindeberg provou, através da observação dos hábitos alimentares e de vida destas populações, que se tratava do tipo de alimentação ideal para controlar a diabetes e as doenças cardiovasculares.
Sobre este assunto pode voltar a ler, neste blog, o post intitulado "A Dieta do Paleolítico".

A conferência realiza-se no dia 31 de Outubro (sábado), em local a definir, das 09:30 h às 13:15 h. Ver programa no sítio da Nutriscience aqui.

Fonte:
http://www.canibaisereis.com/
Imagem: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:LA2_Wikipedia_Academy_2008_lecture_by_Staffan_Lindeberg.jpg

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Emagrecer é...

Abolir os fritos da alimentação.

Esta é uma medida fácil de concretizar e que resulta muito bem para o pretendido efeito de perda de peso. Todos sabemos que os alimentos fritos são normalmente hipercalóricos e, por isso, tendem a facilitar o aumento de peso. Mas há mais razões que fazem dos fritos alimentos "non gratos". A gordura utilizada, mesmo que seja azeite ou um óleo rico em ácidos gordos polinsaturados, tende a saturar por exposição prolongada a altas temperaturas e as gorduras saturadas em excesso são as principais responsáveis pelo aumento de colesterol. Por outro lado, durante a fritura é produzida acrilamida, um composto que, em excesso, é potencialmente cancerígeno e neurotóxico e afecta a reprodução. A acrilamida forma-se em resultado de uma reacção química conhecida como reacção de Maillard, em que os aminoácidos reagem com os hidratos de carbono, devido à exposição do alimento a temperaturas superiores a 120 ºC (o que acontece ao fritar, assar, tostar, etc.). No entanto, apesar de, na assadura, haver formação deste composto, é durante a fritura que se forma a maior quantidade de acrilamida. Assim, as batatas fritas, os rissóis, croquetes, panados e outros pastéis são alimentos com níveis elevados do referido composto, pelo que o seu consumo é indesejável. Quando quiser fazê-los, em vez de fritar, experimente colocá-los no forno, pré-aquecido, cerca de quinze minutos de cada lado. Ficam óptimos apesar do aspecto algo pálido com que ficam (o aspecto dourado dos fritos é resultado dos compostos formados na reacção de Maillard). Experimente! Pode estar certo que come os mesmos rissóis ou os mesmos panados com três vezes menos calorias...

Referências:
Tareke E, Rydberg P, Karlsson P, Eriksson S, Törnqvist M. (2002) Analysis of acrylamide, a carcinogen formed in heated foodstuffs. Journal of Agricultural and Food Chemistry 50(17):4998-5006. doi: 10.1021/jf020302f S0021-8561(02)00302-3

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Idosos: exercício rejuvenesce os músculos

Durante toda a vida os músculos são continuamente formados e destruídos num processo que permite a manutenção da musculatura, mas a partir dos 65 anos, aproximadamente, o processo de destruição passa a ser mais rápido do que o de formação. De facto, eles vão reduzindo e a força diminui, o que faz aumentar a probabilidade de quedas e fracturas. Uma nova investigação ajuda-nos a compreender como isto acontece e o que fazer para contrariar o fenómeno.

Uma equipa de cientistas de Nottingham, Inglaterra, já tinha demonstrado que, após uma refeição, os idosos não conseguem produzir um músculo tão rapidamente como os jovens. Agora descobriram que a insulina é a hormona responsável pela supressão da degradação do músculo durante e logo após a refeição. Os mais jovens têm mais insulina que, por isso, chega em maior quantidade aos músculos. O mesmo não acontece com os mais idosos, provavelmente devido à deficiente irrigação da musculatura. Os investigadores explicam que as pessoas com mais de 65 anos são afectadas por um "duplo golpe", isto é, por um lado, têm menor fluxo de sangue nos músculos e, por outro, a resistência à insulina tende a aumentar com a idade. Recomendam, por isso, exercício físico e musculação nestes "jovens" da terceira idade para aumentarem a irrigação dos músculos impedindo a perda de massa muscular.

Referência: Emilie A Wilkes, Anna L Selby, Philip J Atherton, Rekha Patel, Debbie Rankin, Ken Smith, and Michael J Rennie. "Blunting of insulin inhibition of proteolysis in legs of older subjects may contribute to age-related sarcopenia". The American Journal of Clinical Nutrition, 2009.

Fonte de imagem: http://latimesblogs.latimes.com/booster_shots/2009/07/older-hospital-stronger.html

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O exercício dá uma grande ajuda para emagrecer!

Uma seta para baixo (como faz o Público) para a revista Visão desta semana por ter feito capa do artigo da Time de há um mês.
Segui o conselho do Primitivo, comentador habitual deste blog, e li as páginas 74 a 77 deste documento. Transcrevo um parágrafo que, quanto a mim, esclarece todas as dúvidas acerca deste assunto:

"É absurdo afirmar categoricamente que o exercício não conduz à perda de peso. Se a afirmação fosse "o exercício não conduz à perda de peso se não houver um déficit calórico" , então sim, a afirmação estaria correcta. A razão de haver resultados mistos nos estudos sobre os efeitos do exercício físico na perda de peso é de que estes não têm em atenção a garantia de haver déficit de calorias. Se se recomenda uma actividade que permita "queimar" 1000 calorias por semana, e ao mesmo tempo houver uma ingestão calórica de 2000 calorias acima do nível de manutenção, então não se perde peso."

Não se deixe influenciar por este tipo de artigos. Eles podem deitar por terra o seu sonho e todo o esforço que tem feito para emagrecer. Mantenha-se informado e com sentido crítico. Afinal estes artigos são escritos por quem percebe muito pouco destes assuntos...

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Frutos e vegetais nunca são demais


Um estudo realizado por investigadores do Instituto de Bioquímica e Biologia Molecular I da Universidade Heinrich-Heine de Düsseldorf, Alemanha, provou que existe uma relação entre o consumo elevado de legumes e frutas, bons níveis de antioxidantes no plasma e boa "performance" cognitiva em indivíduos saudáveis.

A coordenadora da investigação, Dra Cristina Polidori, actualmente no Departamento de Geriatria do Marienhospital Herne, explica:
"É sabido que existe uma forte associação entre o consumo de frutas e vegetais e as defesas antioxidantes naturais contra os radicais livres. Sabe-se também que os maus hábitos alimentares aumentam o risco de desenvolver disfunção cognitiva com, ou sem, demência. Mas, neste trabalho demonstramos a ligação que existe entre o consumo elevado de várias frutas e legumes, as defesas antioxidantes e o desempenho cognitivo na ausência de doença independentemente da idade. Entre outros hábitos, recomenda-se a ingestão de pelo menos 400 g de legumes e frutas em qualquer idade, mas quanto mais cedo melhor. Isto pode ser suficiente para evitar sofrer de demência na idade avançada".
O trabalho realizado em indivíduos saudáveis com idades compreendidas entre os 45 eos 102 anos, foi feito em colaboração com o Departamento de Farmacologia da Universidade Temple de Filadélfia, Pensilvânia, EUA, o Departamento de Geriatria da Universidade de Peruggia, Itália, e o Departamento de Neurologia do Hospital St. Elisabeth de Colónia, Alemanha.

Referência: Polidori MC, Pratico D, Mangialasche F, Mariani E, Aust O, Anlasik T, Mang N, Pientka L, Stahl W, Sies H, and Nelles G. High fruit and vegetable intake is positively correlated with antioxidant status and cognitive performance in healthy subjects. J Alzheimers Dis,ease 17:4 (August 2009)

Fonte:
Sciencedaily.com


Comer à noite engorda


Um estudo feito por investigadores da Northwestern University mostrou que comer durante a noite pode favorecer o ganho de peso.
Os estudos da regulação do peso corporal têm-se centrado quase exclusivamente na relação entre a ingestão calórica e gasto energético. No entanto, uma série de estudos recentes feitos com animais que relacionam os ciclos circadianos com a regulação fisiológica de energia, permitiram concluir que o momento da ingestão de alimentos pode determinar ganho de peso.

No estudo, dois grupos de ratinhos foram alimentados com uma dieta com alto teor de gordura em períodos diferentes do dia. Os que receberam o alimento durante o período em que deveriam estar a dormir, ganharam mais peso do que os outros alimentados nas horas habituais. Compreender melhor o papel do sistema circadiano no aumento de peso pode ser um passo importante para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas de combate à epidemia da obesidade.

Referência: Deanna M. Arble, Joseph Bass, Aaron D. Laposky, Martha H. Vitaterna and Fred W. Turek. Circadian Timing of Food Intake Contributes to Weight Gain. Obesity, 2009.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Emagrecer é...

Não pôr o pão na mesa.

Diz o velho ditado que "quem não vê não peca". Comer pão a acompanhar o almoço e o jantar é um hábito muito enraizado na nossa tradição. Mas, para a maioria das pessoas, comer pão nas duas principais refeições representa um acréscimo de hidratos de carbono e de calorias que tem como consequência o aumento de peso. De facto, quem, por exemplo, está sentado o dia todo em frente a um computador gasta muito pouca energia e por isso deve ter especial atenção ao que come. Não ponha o pão na mesa para não haver tentações. Se tem uma vida sedentária coma pão só ao pequeno-almoço. A sugestão para o lanche da tarde é leite ou iogurte e fruta.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Curso de Outono na APN


Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):

Curso de Outono na APN - destinado à comunidade em geral

"Precauções Alimentares em Tempo de Gripe"

Data: 26 de Setembro de 2009
Local: Sede da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN)
Organização: APN
N.º de vagas: 20

Mais informações e boletim de inscrição em www.apn.org.pt

PROGRAMA
10h00
Abertura
Gripe: contextualização
Prof. Dra. Carla Lopes
Nutricionista, Serviço de Higiene e Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

10h30
Alimentação em tempo de gripe: cuidados a ter e escolha dos alimentos. Organização das compras/armazenamento em casa
Dra. Cecília Morais
Nutricionista, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto

11h30
Importância da Higiene e Segurança Alimentar
Dra. Tânia Cordeiro
Nutricionista, Associação Portuguesa dos Nutricionistas

12h00
Organização do dia alimentar
Dra. Ana Martins
Nutricionista, Associação Portuguesa dos Nutricionistas

12h30
Encerramento

Associação Portuguesa dos Nutricionistas
Rua João das Regras nº 284 - R/C 3
4000-291 Porto

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O poder da vitamina C na regeneração da pele

Um grupo de investigadores de Portugal (Porto) e do Reino Unido concluiu que as propriedades antioxidantes da vitamina C favorecem uma melhor regeneração da pele, mesmo que haja danos no DNA de algumas células. O estudo pode conduzir a avanços na prevenção e tratamento de quaisquer lesões e também do cancro da pele. Ver notícia completa aqui.

Na imagem o kiwi, fruto campeão de vitamina C.

Fonte: http://noticias.up.pt

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O seu filho será obeso?

Portugal apresenta uma das taxas de obesidade infantil mais altas da Europa, verificando-se maior incidência em crianças do sexo feminino. As conclusões de um estudo, que terminou em 2004, sobre a obesidade infantil em Portugal (faixa etária dos sete aos nove anos) coordenado pela Dra. Cristina Padez, da Universidade de Coimbra, permitiram sistematizar as situações ambientais e familiares de risco. Assim, correm maior risco de ficarem obesas as crianças:


  • Com peso elevado ao nascer (reforço aqui a importância da orientação alimentar das grávidas)


  • Que vivem em meios urbanos


  • Que passam mais horas em frente ao ecrã (televisão, computador, consola)


  • Os filhos únicos
    Os filhos de pais obesos


  • Os filhos de pais com níveis de instrução mais baixos


  • Que dormem menos de oito horas por noite.

    O método mais prático e rápido para saber se o seu filho já tem excesso de peso ou é obeso consiste no cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) que relaciona o peso com a estatura. O IMC calcula-se dividindo o peso (em quilos) pela altura (em metros) ao quadrado.

    Consulte o Boletim de Saúde Do seu filho(a) ou vejaaqui a tabela de IMC da Organização Mundial de Saúde (OMS) para rapazes dos 5 aos 19 anos e aqui para raparigas da mesma faixa etária. Como alternativa a estas tabelas da OMS pode usar as tabelas de percentis que estão no "Boletim de Saúde Infantil e Juvenil" do seu filho.

    CLASSIFICAÇÃO:

    MAGREZA: Abaixo do percentil 5

    IDEAL: Entre os percentis 5 e 85

    SOBREPESO: Entre os percentis 85 e 95

    OBESIDADE: Acima do percentil 95

    O que os faz engordar:
    • As crianças comem pouca fruta, poucas vezes sopa e poucos vegetais
    • Bebem muitos "sumos" e poucos lacticínios
    • Fazem lanches à base de produtos processados pela indústria cheios de gordura, açúcar ou sal (batatas fritas, bolicaos, manhãzitos, bolachas, bolos, croissants, cereais, etc.)
    • Abusam de comidas rápidas
    • Excesso de goluseimas
    • Comem ao longo da tarde sem regra, desde que chegam da escola, e ao jantar recusam-se a comer (sopa, peixe ou carne, etc.)

    De tudo isto resulta a ingestão de mais 300 a 500 kcal por dia, superior às necessidades, o que aliada à inactividade física, resulta primeiro em sobrepeso e mais tarde em obesidade.

    Fonte da imagem: http://www.cdc.gov/growthcharts/
  • quarta-feira, 2 de setembro de 2009

    Emagrecer é...

    Escolher o melhor pão.

    O pão é um alimento, com mais de 6000 anos de história, que resulta do cozimento de uma mistura feita com farinha, água e sal. Do ponto de vista nutricional, é constituído, por ordem decrescente de quantidades, de hidratos de carbono, água, proteínas, fibras, gordura, minerais e vitaminas. Segundo a Tabela de Composição dos Alimentos Portugueses, um pão de trigo corrente (carcaça de 40 g), o mais consumido entre nós, fornece cerca de 100 calorias. E este é o valor calórico de quase todos os tipos de pão (o valor pode variar na ordem das dezenas de calorias, o que na prática não é significativo).

    Contudo, como os alimentos não são só calorias, o pão não é todo igual! De facto, há pão rico, feito com mistura de farinhas pouco peneiradas cheias de micronutrientes (vitaminas, minerais e fibras) e há pão pobre feito com farinha refinada sem nenhum interesse nutricional porque é praticamente só amido. Neste último grupo inclui-se o pão branco e o pão de forma, ambos feitos com farinhas que perderam os seus constituintes mais nutritivos durante as fases de peneiração. Estes pães brancos são de digestão fácil e rápida e, portanto, pouco saciantes. Comem-se duas fatias de pão de forma num ápice e, passado pouco tempo, a fome está de volta. Quem quiser emagrecer deverá optar por um pão de mistura de cereais feito, de preferência, com farinhas verdadeiramente integrais, isto é, farinhas às quais não foram retirados quaisquer constituintes (mas atenção: o mercado está cheio de falsos produtos integrais feitos com farinha refinada e farelo). Para emagrecer, o pão escuro de centeio e a broa de milho são as melhores opções.

    terça-feira, 1 de setembro de 2009

    "Gordos"



    "Gordos" é o título do filme que o realizador espanhol Daniel Sánchez Arévalo leva, no próximo fim-de-semana, ao 66º Festival de Cinema de Veneza. A história gira em torno de um grupo de pessoas obesas que fazem terapia de grupo. Mas a terapia não é para emagrecer...É para que cada um encontre as causas que os levaram a engordar. O peso é o que menos conta e o corpo não é o mais importante. O importante é enfrentar os medos, os desejos, as obsessões, as necessidades, os sonhos, as fantasias, a família, o parceiro, o amor, o sexo, os erros, a culpa, etc. "Gordos" não fala apenas da ditadura do corpo, mas também e sobretudo da solidão e da falta de auto-estima de quem sofre com a obesidade.

    As filmagens foram longas e complicadas, sobretudo para os actores. Um engordou 30 quilos e outro emagreceu 25. Foi o caso da actriz Leticia Herrero, nas imagens.

    Arévalo ressaltou que o filme foi um projecto "extremamente ambicioso e muito arriscado". Estou muito curiosa por ver este filme. Os espanhóis vão poder vê-lo já a partir do dia 11 deste mês. E, pela minha parte, estarei atenta às reacções em Espanha e à sua estreia em Portugal.