Mestrado em Alimentação - Fontes, Cultura e Sociedade


A Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra iniciou no ano lectivo de 2008/2009 o Curso de Mestrado em Alimentação - Fontes, Cultura e Sociedade, uma oferta formativa única no país, que permite uma especialização nesta área, mesmo aos que não possuam uma licenciatura mas tenham um currículo escolar, científico e profissional adequado.

Transcrevo informação sobre os objectivos do Mestrado:

"Através da criação do curso Alimentação – Fontes, Cultura e Sociedade, a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra procura responder às solicitações que pressente na pulsação de áreas prioritárias para a valorização profissional da população em geral, dos recém-licenciados ou de pessoas já no activo. Trata-se de oferecer, pela primeira vez, a nível universitário, uma formação especializada numa área de estudo até ao momento secundarizada a outras ou arredada da rede nacional do ensino superior público e privado. À formação teórica aliam-se de forma indelével aplicações práticas, como sejam visitas de estudo, conferências proferidas por especialistas das áreas da gastronomia e restauração e colóquios. Assim, a par desta componente formativa teórico-prática, o contacto directo com a produção, comercialização e promoção de alimentos constitui uma aposta forte do 2º ciclo de estudos em apreço.

Embora possam ser as pessoas ligadas aos sectores profissionais relacionados com a alimentação e a gastronomia os mais directos destinatários do curso Alimentação – Fontes, Cultura e Sociedade, o perfil do curso, os requisitos de admissão, o estatuto do trabalhador estudante e as novas regras para a atribuição de graus e diplomas, permitem dar cumprimento ao desígnio expresso na legislação em vigor de possibilitar “a criação de condições para que todos os cidadãos possam ter acesso à aprendizagem ao longo da vida, modificando as condições de acesso ao ensino superior (…) e criando condições para o reconhecimento da experiência profissional”. Ou seja, mesmo os indivíduos que não possuam uma licenciatura, mas detenham um currículo escolar, científico ou profissional reconhecido como atestando capacidade para realizar este 2º ciclo de estudos serão considerados candidatos admissíveis à sua frequência".

1 comentário

Postagens mais visitadas