sexta-feira, 31 de julho de 2009

Polémica no novo filme de Harry Potter por causa do álcool


O novo filme de Harry Potter, baseado no sexto livro de J. K. Rowling, intitulado "Harry Potter and the Half-Blood Prince", está envolvido numa polémica devido ao consumo exagerado de bebidas alcoólicas pelos personagens interpretados por jovens de 16 anos. Ainda não vi o filme, mas, pelo que li, o álcool tem um papel de relevo durante todo o filme. Cena após cena, tanto os jovens feiticeiros como os seus professores vão bebendo vários tipos de bebidas alcoólicas para acalmar os nervos, fortalecer a sua coragem ou confortar as suas tristezas.

Sendo o alcoolismo um problema gravíssimo, que diz respeito a toda a sociedade, não sei onde é o realizador e os autores do filme tinham a cabeça quando decidiram promover bebidas álcoólicas num meio adolescente. Será que algum deles é sócio numa fábrica de bebidas alcoólicas?

Fonte: The New York Times

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Pepino: alimento recordista em baixas calorias


O pepino, cucumis sativus, originário da Índia, é cultivado desde a Antiguidade na Ásia, África e Europa. É um alimento composto principalmente por água (95%), fibras e minerais como o potássio, fósforo, cálcio, enxofre e magnésio. Cada 100 gramas de pepino fornecem em média 17 calorias, o que faz do pepino um alimento recordista em baixas calorias.

Se é uma das pessoa que não digere bem o pepino, saiba que, segundo uma revista francesa da especialidade, a parte indigesta do pepino são as sementes. Se assim for, o problema é muito fácil de resolver...

Fonte da imagem: http://49things.blogspot.com/2007/06/cucumis-sativus.html

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Emagrecer é...

Fazer uma actividade física de intensidade moderada, mas prolongada no tempo.

Se pretende emagrecer, isto é, perder massa gorda, deve não só fazer algumas restrições alimentares, mas também - e isso é muito importante - mexer-se. De facto, a redução do peso é muito mais rápida se fizer actividade física. Não é preciso realizar actividades que exijam muito esforço. Deve caminhar a um ritmo acelerado (cada um controlará o seu ritmo de modo a não esforçar demasiado o coração) ou andar de bicicleta pelo menos durante 60 minutos seguidos todos os dias. O organismo só começa a consumir as reservas de gordura depois de se estar a caminhar há meia hora. É por este motivo que, quando o objectivo é perder peso, caminhar apenas 30 minutos por dia não dá resultado. Marque uma hora do dia para caminhar e respeite-a, tal como respeita a hora do jantar ou a hora do almoço. Assim a caminhada entrará na sua rotina diária e tornar-se-á mais fácil cumprir.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Algas do Atlântico à Mesa

Apesar de sermos um país à beira-mar plantado temos pouca tradição no consumo de algas. Mas é pena! Fui à conferência que anunciei sobre algas na alimentação humana e fiquei rendida.

As algas são alimentos riquíssimos em micronutrientes (vitaminas, minerais e oligoelementos) mas também possuem proteínas com aminoácidos essenciais, hidratos de carbono e pouca gordura, mas boa.

São utilizadas na alimentação humana desde tempos remotos e foi no Extremo Oriente que mais cedo se generalizou o seu consumo entre a população. Existem documentos chineses com 4000 anos que atribuem às algas propriedades determinantes da saúde, da longevidade e da sorte. Segundo números apresentados pela FAO (Food and Agriculture Organization), das Nações Unidas, produzem-se anualmente cerca de sete milhões de toneladas de algas frescas, das quais metade se destina à alimentação humana directa. O restante destina-se à indústria alimentar, farmácia, cosmética, fertilizantes, etc. Nos últimos vinte anos o consumo mundial de algas duplicou e, estou certa, serão alimentos de referência obrigatória neste século.

Muito mais haverá para dizer acerca das propriedades tanto nutritivas como terapêuticas e preventivas das algas. Recomendo a consulta do livro "Algas do Atlântico, alimento e saúde" de Clemente Fernández Sáa (editora Algamar), o qual, além de fornecer dados científicos, ensina a preparar as algas da nossa costa em mais de 70 receitas, e o sítio da Algamar, a primeira empresa espanhola especializada em algas desidratadas para alimentação humana como verdura. Adquiri o livro e algumas espécies de algas numa das lojas Celeiro-Dieta. As algas estão desidratadas e o seu aspecto é pouco atractivo, mas asseguro-lhes que, pouco depois de estarem na panela, reidratam e o seu aspecto muda completamente. Experimentem!

Na imagem, "hijiki", um cozido japonês com algas marinhas ("esparguete do mar"), cenoura, ervilhas e frango.

Fonte da imagem: http://marcelokatsuki.folha.blog.uol.com.br/arch2008-04-06_2008-04-12.html

sexta-feira, 24 de julho de 2009

"Alimentação em tempos de gripe"

Docentes da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) elaboraram um e-book intitulado "Alimentação em tempos de gripe" que está on-line desde o dia 17 de Julho passado, data do seu lançamento. O objectivo é "disponibilizar à comunidade ferramentas para planear a sua alimentação de forma a fazer face a uma eventual situação de mudança de rotinas sem alarmismos".

Transcrevo parte da informação que acompanhou o seu lançamento:

"Febres altas, dores musculares, tosse, falta de apetite e um risco elevado de desidratação são alguns dos sintomas que caracterizam a doença. Para além de cuidados médicos, o tratamento da gripe exige muito repouso e uma alimentação adequada. O manual inclui sugestões sobre o aprovisionamento alimentar, a conservação à temperatura ambiente ou em condições de frio bem como o planeamento de refeições. A exigência de permanência no domicílio dá realce à utilidade deste e-Book pois é o formato mais adequado e ajustado para a divulgação desta mensagem, à distância de um clique."

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Emagrecer é...

Não esquecer as leguminosas.

(Aos leitores habituais da rubrica "Emagrecer é...", apresentada às quartas-feiras, o meu pedido de desculpas por só sair hoje. )

As leguminosas, produtos vegetais que nascem em vagens como as ervilhas, o feijão, o grão-de-bico, as lentilhas, as favas, os tremoços e o feijão de soja, estão a ser esquecidas pelos portugueses. Existe o conceito de que são alimentos que engordam porque são "pesados". Mas este conceito é errado. As leguminosas são alimentos que possuem proteínas, o que faz com que o tempo de permanência no estômago seja maior. Daí a sensação de serem "pesados". Por outro lado são constituídos por hidratos de carbono complexos e, por isso, o seu índice glicémico é baixo. Estas duas características das leguminosas tornam-nos alimentos muito saciantes e, por isso, óptimos para quem queira perder peso sem sentir fome. Devem ser consumidas, com alguma regularidade, em substituição das batatas ou do arroz. E, como têm proteínas, podem dispensar a carne ou o peixe na mesma refeição. Coma leguminosas!

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Conferência "Algas para que te quero"

No dia 23 de Julho (amanhã) às 18:30h terá lugar, no piso 2 do Centro Comercial Dolce Vita de Coimbra, uma conferência intitulada "Algas para que te quero" pelo Professor Leonel Pereira, doutorado em Biologia pela Universidade de Coimbra e Coordenador da equipa do Instituto do Mar (IMAR). O tema será abordado de modo a explicar a capacidade das algas prevenirem a obesidade, diabetes e outras doenças provocadas por uma alimentação desequilibrada. Será, certamente, muito interessante!

A conferência decorre no âmbito do protocolo estabelecido entre o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra e o Dolce Vita Coimbra. A entrada é gratuita e aberta a todos os visitantes do Dolce Vita Coimbra. Consulte o programa aqui.

Na imagem, algoteca. Fonte: http://www.uc.pt/fctuc/informacaopara/n20090720n01/

terça-feira, 21 de julho de 2009

Febras e salsichas estão a ganhar terreno nas sardinhadas. Que pena!


Através do blogue Canibais e Reis, que visito com regularidade, cheguei a um outro blogue de gastronomia, Chispes e Couratos, no qual está um post muito interessante sobre o modo como as febras e as salsichas estão a invadir o espaço, que era exclusivo, das sardinhas e dos pimentos nas sardinhadas. Como refere o autor, este fenómeno é particularmente relevante nos mais jovens: "...dói-me a alma de ver que são os mais jovens os que mais desdenham, aliás, não me recordo de ter visto algum abaixo dos 20 anos a comer sardinhas, o que me faz ficar muito preocupado em relação ao futuro da sardinha."

Ler o post completo aqui.

Se for adepto de uma alimentação para a saúde, nunca troque sardinhas por salsichas, febras, entremeada ou qualquer outro tipo de carne. A sardinha e o peixe em geral são muito melhores para a saúde. São alimentos de mais fácil digestão e são as melhores fontes naturais de ácidos gordos ómega-3 com provas dadas na saúde cardiovascular.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Centro de Nutrição Ramirez

A Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) assinou um protocolo de colaboração com a Conserveira Ramirez. Da parceria resultou a criação de um Centro de Nutrição – CENUTRA, o qual “visa a busca e a divulgação à comunidade de conhecimentos científicos indutores de uma alimentação saudável”.

Ler notícia completa em: notícias.up.pt

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Com peso e sem medida

Segundo um recente artigo do New York Times, muitos norte-americanos estão fartos de dietas, de contar calorias e de tentar alcançar o que consideram ser "peso impossível". Com algum apoio de figuras públicas como Oprah Winfrey, têm-se juntado em blogues como a Fatosphere para tentar acabar com o que chamam a "ditadura" das dietas.

O problema dos obesos e super-obesos, americanos ou de outros países, é não terem disciplina alimentar. Passam o dia a "matar a fome", mas não se alimentam devidamente. Comem todo o tipo de comidas hipercalóricas que a indústria lhes oferece, que estão disponíveis em todo o lado e mexem-se muito pouco. Assim torna-se difícil emagrecer!

Para diminuir o peso é necessária persistência. E garanto que não é necessário passar fome. Desistir é perder!

Outros blogues pro-obesidade (não acreditem em tudo o que lá vem):
http://www.fatshionista.com/cms/
http://bigfatblog.com/
http://fatnutritionist.com/

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Mestrado em Alimentação - Fontes, Cultura e Sociedade


A Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra iniciou no ano lectivo de 2008/2009 o Curso de Mestrado em Alimentação - Fontes, Cultura e Sociedade, uma oferta formativa única no país, que permite uma especialização nesta área, mesmo aos que não possuam uma licenciatura mas tenham um currículo escolar, científico e profissional adequado.

Transcrevo informação sobre os objectivos do Mestrado:

"Através da criação do curso Alimentação – Fontes, Cultura e Sociedade, a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra procura responder às solicitações que pressente na pulsação de áreas prioritárias para a valorização profissional da população em geral, dos recém-licenciados ou de pessoas já no activo. Trata-se de oferecer, pela primeira vez, a nível universitário, uma formação especializada numa área de estudo até ao momento secundarizada a outras ou arredada da rede nacional do ensino superior público e privado. À formação teórica aliam-se de forma indelével aplicações práticas, como sejam visitas de estudo, conferências proferidas por especialistas das áreas da gastronomia e restauração e colóquios. Assim, a par desta componente formativa teórico-prática, o contacto directo com a produção, comercialização e promoção de alimentos constitui uma aposta forte do 2º ciclo de estudos em apreço.

Embora possam ser as pessoas ligadas aos sectores profissionais relacionados com a alimentação e a gastronomia os mais directos destinatários do curso Alimentação – Fontes, Cultura e Sociedade, o perfil do curso, os requisitos de admissão, o estatuto do trabalhador estudante e as novas regras para a atribuição de graus e diplomas, permitem dar cumprimento ao desígnio expresso na legislação em vigor de possibilitar “a criação de condições para que todos os cidadãos possam ter acesso à aprendizagem ao longo da vida, modificando as condições de acesso ao ensino superior (…) e criando condições para o reconhecimento da experiência profissional”. Ou seja, mesmo os indivíduos que não possuam uma licenciatura, mas detenham um currículo escolar, científico ou profissional reconhecido como atestando capacidade para realizar este 2º ciclo de estudos serão considerados candidatos admissíveis à sua frequência".

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Emagrecer é...

Cozinhar peixe e carne sem adicionar gordura.

Podemos diminuir o valor calórico do almoço e do jantar se reduzirmos a quantidade de gordura que adicionamos normalmente na confecção dos alimentos. A carne e o peixe, por exemplo, são alimentos que se cozinham muito bem sem gordura porque esta faz parte da sua constituição, mesmo que sejam peixes magros ou carnes magras.

As sugestões são cozer ou grelhar o peixe ou a carne, ou então assar ou estufar sem gordura adicionada. Colocam-se os ingredientes habituais todos em cru, com excepção do azeite, e deixa-se cozinhar lentamente. A refeição fica óptima, com o sabor de sempre, e ninguém reclamará pela falta de gordura. O molho terá a gordura que se libertou do peixe ou da carne, e esta é mais do que suficiente.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Gripe A e Obesidade

Segundo um estudo do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), a obesidade mórbida é um factor de risco para as complicações clínicas da gripe A. A explicação fisiológica para este facto é que o excesso de gordura intra-abdominal comprime as bases pulmonares, o que resulta na dificuldade de inspirar profundamente e também de tossir de forma a eliminar as secreções brônquicas. Pelos mesmos motivos de compressão das bases pulmonares também as gestantes, no período final da gravidez, têm risco acrescido de complicações clínicas devidas à gripe A.

Se pertence a um destes dois grupos de risco, redobre os cuidados de prevenção da gripe A, porque o número de casos está a aumentar de dia para dia. Evite ambientes fechados cheios de gente (Pavilhões, Centros Comerciais, etc.), lave as mãos várias vezes ao dia, reforce o consumo de alimentos ricos em vitamina C e vá bebendo água ou chá durante o dia, para fluidificar as secreções. Veja aqui as medidas de prevenção da doença recomendadas pelo Ministério da Saúde.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Comprimidos e Chás, ajudam a emagrecer?


Transcrevo as respostas que a Dra. Isabel do Carmo deu a estas questões à jornalista Anabela Mota Ribeiro numa entrevista publicada no suplemento Weekend do Jornal de Negócios de sexta-feira, 10 de Julho de 2009:
IC - "O chá verde é um bocadinho diurético e faz perder alguns líquidos; pensa-se agora que tem uma substância que pode contribuir para o emagrecimento. Mas há que fazer atenção a isto: tem uma substância equivalente à cafeína, e beber todo o dia chá verde pode ter consequências (palpitações, excesso de estimulante cardíaco). "

AMR - "E os comprimidos naturais, são de fiar?"

IC - "Não. Acho mesmo que se deve rejeitar todos esses produtos. São classificados como suplementos alimentares e não têm nada de alimento! É uma falsa classificação. Eles são medicamentos, têm uma acção farmacológica. São autorizados pelo Ministério da Agricultura, não passam pelo Ministério da Saúde. Por isso, não se sabe o que lá está, que toxicidade têm, que características têm. Muitos desses produtos têm substâncias que têm efeitos secundários que podem ser prejudiciais - mesmo que sejam naturais. Por exemplo, uma coisa que entra muito nesses comprimidos: a ephedra. Deriva de uma planta chinesa e é prejudicial, apesar de ser uma planta."

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Diet ou Light ?

A variedade de alimentos diet e light cresce a cada ano que passa. Os consumidores procuram, cada vez mais, este tipo de alimentos em busca de ajuda na luta contra o excesso de peso. E a indústria alimentar acompanha bem o aumento desta procura. Mas, como está alguma confusão instalada, deixo aqui o meu contributo para esclarecer as diferenças entre os dois tipos de alimentos mais procurados: os diet e os light.

Os alimentos diet são aqueles em que um ou mais ingredientes ou nutrientes são eliminados da composição do alimento com o objectivo de atender a uma situação fisiológica específica. Por exemplo, podem ser alimentos sem açúcar para diabéticos, isentos de sal para hipertensos, sem lactose para os que são intolerantes à lactose ou isentos de glúten para os celíacos. Mas isto não significa que o alimento diet tenha necessariamente menos calorias do que o correspondente alimento comum.

Um produto light tem uma redução de, pelo menos, 25% do valor calórico em relação ao correspondente produto comum. Esta redução é feita, na maioria das vezes, através da substituição total ou parcial do açúcar por adoçante. E quem lê regularmente este blogue sabe que, na minha opinião, os adoçantes não são uma boa alternativa.

Querem saber a minha opinião? Sou pelos alimentos naturais. Nada, ou o menos possível, de alimentos manipulados. Diet ou light? Não obrigada!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Emagrecer é...

Desfrutar a fruta.

Todos nós deveríamos comer, pelo menos, três peças de fruta por dia. A fruta é muito importante para todas as pessoas que desejam emagrecer porque tem, de um modo geral, um valor calórico baixo. De facto, tratam-se, na sua maioria, de alimentos ricos em água e isentos de gordura (exceptuam-se os frutos secos). As suas propriedades nutricionais fazem de qualquer fruta um alimento muito valioso. São boa fonte de fibras, vitaminas, minerais e de outros compostos antioxidantes que fortalecem o sistema imunitário e previnem alguns danos associados com o envelhecimento.

Faça os lanches da manhã e da tarde com fruta, podendo ir até duas peças de cada vez. Não receie a quantidade de açúcar porque apesar da frutose ser um açúcar simples e, teoricamente, de assimilação fácil, ela não é consumida isoladamente, o que faz toda a diferença. O valor calórico dos frutos do Verão, como pêssegos, ameixas, nêsperas, melão, meloa, melancia, etc., é baixo, uma vez que eles são constituídos maioritariamente por água. Desfrute a fruta, perca peso e ganhe saúde!

terça-feira, 7 de julho de 2009

"Diário da Gripe A"

A gripe A, provocada pelo vírus H1N1, já está entre nós. O número de portugueses afectados vai aumentar e ninguém pode, neste momento, prever as consequências na saúde pública nem o número de mortes que ocorrerão devido à gripe até porque o vírus pode sofrer mutações. Torna-se, então, útil estarmos atentos ao que nos diz um virologista português bastante experiente, o Professor João Vasconcelos Costa, que tem um diário on-line sobre a nova gripe - Diário da gripe A - contendo informações cientificamente honestas. Do ponto de vista de nutrição, não é demais insistir que os alimentos ricos em vitamina C - como os kiwis - ajudam o organismo na defesa contra infecções como estas.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

NUTRIÇÃO E JORNALISMO

Afinal, não estava sozinha quando achava no post anterior inacreditável um artigo recente da revista "Sábado", que equipara uma salada a um Big Mac, com honras de chamada de capa. Madalena Muñoz, uma das nutricionistas consultadas pela revista "Sábado" e que "dá a cara" no referido artigo, conta aqui como se sente defraudada com o texto publicado. A troca de correspondência com a revista é bem elucidativa... De facto, e infelizmente, este não é o único exemplo em que jornalistas ignoram informação científica sobre nutrição, que lhes é fornecida ou que está disponível, e iludem os leitores mais incautos. Convém, em matéria de nutrição, não acreditar em tudo o que é publicado. Leitor prevenido vale por dois!

sábado, 4 de julho de 2009

"Salada = Big Mac" - Será Possível ?

A revista Sábado número 269 (da semana passada) publicou um artigo da autoria da jornalista Vera Moura, com nove páginas ilustradas, em que são comparados alimentos pelo seu valor calórico. Só por este critério é possível dizer que uma salada é igual a um Big Mac. Mas, para uma salada ter as mesmas calorias do que um Big Mac, é preciso que contenha alimentos com um alto teor de gordura e molho à base de maionese. A alimentação não são só calorias! A salada que está na capa da revista não é igual a um Big Mac. E nem é igual à da receita que vem no interior da revista.

Artigos deste tipo desinformam e baralham as pessoas, embora possam promover as vendas da revista. Mas bons artigos sobre nutrição também podem gerar boas vendas...

Se alguém argumentar que a Sábado contou, para elaborar este artigo, com a colaboração de cinco nutricionistas, eu respondo: Não acredito que tenham tido conhecimento do resultado final que foi publicado. Mas eles dirão (ou não) de sua justiça...

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Vale a pena consumir produtos diet ou light ?

Veja o que nos diz o saudoso Dr. Emílio Peres, em entrevista ao Jornal de Notícias de 21 de Junho de 2003, acerca dos produtos "diet" e "light" que têm aumentado tanto no mercado nos últimos anos:
" JN - O Verão está aí. Aumenta a pressão para se ter o peso ideal. Os produtos light e dietéticos são uma forma saudável de perder peso ou não servem para nada?"
EP - São uma forma de gastar mais dinheiro. De uma maneira geral, fornecem metade da gordura ou açúcar, ou bastante menos, do produto completo, mas é preciso conhecer bem os produtos. Eu dou-lhe um exemplo. Um sumo de fruta 100%, sem batota nenhuma, ou seja, sem açúcar ou quaisquer aditivos, corresponde, mais ou menos, a dois quilos e meio de fruta. Se eu juntar água, em partes iguais, ficam 1,250 gramas de fruta. Ora, se eu posso comer uma peça de fruta de 150 gramas, devo beber um copinho de 1,25 decilitros. Se bebo vários copos, estou a tomar uma quantidade danada de fruta, mesmo sendo light. Os produtos com menos gordura, além de serem horrorosos, o que são? Manteiga light, por exemplo. Qualquer pessoa pode fazer manteiga light em casa. É só pegar em manteiga, juntar igual quantidade de água e um bocadinho de clara de ovo, bater, durante um minuto, e obtém manteiga light, porque incorporou água e clara, para estabilizar. Ou seja, a manteiga light é metade da manteiga por um preço mais caro. E o grande outro problema que se coloca é que, como a pessoa não sente o gosto, vai pondo um pouco mais e mais... Então acontece como os cigarros light: consome-se mais.

JN - É uma estratégia para se comprar mais?
EP- Não sei se começou com esse objectivo, mas verifica-se que o consumo dos ligths é proporcionalmente mais elevado, por comprador, do que os produtos plenos. Voltando ao Verão, o melhor conselho é este: mal acabem as férias, comece, todos os dias, com uma actividade física durante aproximadamente uma hora. Quando chegar o ano seguinte, vai estar muito mais esbelto."
Jornal de Notícias, 21.06.2003

Brevemente neste blogue um artigo que esclarece as diferenças entre os produtos "diet" e os produtos "light". Não perca!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Emagrecer é...

Emagrecer é... fazer cinco refeições por dia a horas certas.

A disciplina alimentar é muito importante para o controlo da ingestão calórica. Quem come várias vezes ao longo do dia e sem qualquer regra, saltando refeições, chega à noite sem ter noção de tudo aquilo que comeu. Foi "matando" a fome, mas não se alimentou devidamente. E isso engorda!

O objectivo deve ser tomar cinco refeições por dia de modo a não estar mais do que três horas e meia sem comer. Evita-se assim ganhar muita fome para a refeição seguinte o que, invariavelmente, leva a que se coma demais. Se nos sentarmos à mesa cheios de fome, comeremos mais rápido e, quando o cérebro enviar o sinal de que estamos saciados, já teremos comido acima da conta...

Tomar um bom pequeno-almoço, merendar a meio da manhã e a meio da tarde, sempre a horas certas, ingerindo alimentos práticos e fáceis de transportar, tais como iogurtes e frutas, comer o almoço e o jantar (sempre com a sopa a inaugurar a refeição!) num ambiente calmo e descontraído e, ainda, evitar comer no intervalo das refeições são passos essenciais para obter grandes resultados no decréscimo de peso e no acréscimo de saúde.