quinta-feira, 28 de maio de 2009

2º Congresso Anual de Medicina Anti-Envelhecimento e Tecnologias Biomédicas - Vilamoura, 4 a 6 de Junho de 2009

Vai realizar-se em Vilamoura, Hotel Tivoli, nos dia 4, 5 e 6 de Junho a segunda edição do Congresso Anual de Medicina Anti-Envelhecimento e Tecnologias Biomédicas.
Para a Doutora Isabel Hoffman Milles, organizadora e presidente da secção ibérica do World Anti-Aging Academy of Medicine (A4M Iberia), neste nosso século XXI não teremos de aceitar que a diminuição das funções físicas e mentais sejam o resultado inevitável do envelhecimento. O fundamento da medicina anti-envelhecimento é a prevenção através de 5 pilares fundamentais: a estética, a nutrição, o exercício físico, a terapia hormonal e a genética.
O congresso é multidisciplinar e envolve especialistas de todo o mundo. Ver programa científico aqui.
Fonte de Imagem: http://www.dietsinreview.com/

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Viagem ao interior do corpo humano

Faça uma viagem fantástica no interior do corpo humano... Esta é a proposta do Museu de Ciência Corpus, na Holanda, situado em Oegstgeest, uma pequena cidade a sudeste de Amesterdão.

Viajando através do Corpus pode ver, sentir e ouvir como o corpo humano funciona e como é importante tratá-lo bem fazendo uma alimentação saudável e praticando exercício físico.
Perguntas como "Por que é que eu tenho que dormir?", "O que acontece quando eu espirro", "como é que o meu cabelo cresce?" são respondidas no Corpus, que utiliza a tecnologia mais avançada no domínio da imagem, som e efeitos 3D para apresentar e explicar a todos como funciona o corpo humano.
É sem dúvida um museu pedagógico muito interessante que eu gostaria de visitar. Veja uma pequena apresentação do museu em http://www.youtube.com/watch?v=mHvQ4lnjHGs .

Fonte de imagens: http://travel.spotcoolstuff.com/museums/unusual-museums/review-amsterdam-corpus-unusual-museum/

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Diabetes "mata" células do pénis

Notícia recebida da Universidade do Porto :

Cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) descobriram porque é que os homens diabéticos são mais susceptíveis a sofrer de disfunção eréctil. De acordo com a equipa de investigadores liderada pela Doutora Carla Costa, nos diabéticos há um número muito significativo de células endoteliais (constituintes dos vasos e das artérias) que entram em auto-destruição e “morrem”.

Para chegar a esta conclusão, foi essencial a cooperação com o cirurgião vascular Ronald Virag, director do Centre d’Explorations et Traitements de l’Impuissance de Paris, que disponibilizou 13 amostras de tecido humano recolhido de homens diabéticos (durante intervenções cirúrgicas para colocação de implantes penianos) e cinco amostras de homens saudáveis (que realizaram cirurgias para aumento/alargamento do pénis).

A equipa da FMUP avaliou a estrutura e a viabilidade das amostras cedidas pelo investigador francês. Os resultados mostraram que existe um padrão repetitivo de morte celular nas células endoteliais que revestem os vasos do pénis em todos os indivíduos diabéticos. A equipa contabilizou o número de células em auto-destruição nas amostras dos dois grupos de homens, tendo verificado que no tecido eréctil dos indivíduos diabéticos o número de células em processo de morte celular é quatro vezes maior do que nos não-diabéticos.

Esta descoberta explica porque é que os tradicionais fármacos para tratamento da disfunção eréctil, como o Viagra, falham para este grupo de pacientes. Estas drogas actuam sobre as células musculares e as células endoteliais do tecido peniano. Dado que, nos diabéticos, uma grande parte dessas células está afectada, não é produzido o efeito desejado.

O trabalho dos investigadores da FMUP foi publicado no Journal of Sexual Medicine. A linha de investigação conduzida pela equipa portuense pretende testar, no futuro, uma nova terapia para reabilitar os vasos do pénis, melhorando a função eréctil nos pacientes diabéticos.

Fonte: http://noticias.up.pt/catalogo_noticias.php?ID=2226

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Sexo, Drogas e Chocolate - A Ciência do Prazer


O livro "Sexo, Drogas e Chocolate - A Ciência do Prazer" (Bizâncio, 2009) que acaba de sair dá uma grande ajuda a quem queira perceber melhor os mecanismos cerebrais envolvidos na dependência de alimentos como o açúcar ou o chocolate e na perda do controlo voluntário durante as fases de compulsão alimentar e bulimia experimentadas por muitas pessoas com excesso de peso. Transcrevo dois excertos, do capítulo "Jogar e comer em excesso", que são esclarecedores:

"(...) Imensas provas científicas apontam para que o açúcar é uma substância viciante. Inúmeras experiências demonstraram que os animais podem ficar viciados em açúcar se lhes dermos, esporadicamente, acesso a quantidades ilimitadas de açúcar. Os ratos que têm a possibilidade de se empanturrar de bebidas e alimentos açucarados durante doze horas por dia, e são depois privados durante as outras doze horas, ficam agarrados. Após algumas semanas deste regime, o seu consumo diário de açúcar triplica.

Os ratos que, desta forma, ficaram viciados em açúcar evidenciam os sinais característicos de dependência, incluindo a activação persistente dos circuitos dopaminérgicos na região do nucleus accumbens do cérebro. O sabor doce, por si só, é suficiente para desencadear a libertação de dopamina. Quando estes ratos ingerem açúcar, os padrões de actividade no seu cérebro são semelhantes aos observados em grandes doses de drogas que criam dependência. Apresentam também alterações na expressividade dos genes, semelhantes às encontradas na toxicomania, em particular, nos genes que codificam para os receptores de dopamina no nucleus accumbens. Num outro paralelismo com a toxicomania, os ratos viciados em açúcar denotam sintomas de abstinência se forem privados de açúcar. Os sintomas apresentam semelhanças com os produzidos pela abstinência de drogas que criam uma forte dependência, como a morfina ou a nicotina. Os dentes dos pobres animais batem, as patas tremem, comportam-se com ansiedade e têm um ar profundamente infeliz."

Veja-se agora o exemplo de um jornalista inglês que relata os seus impulsos descontrolados com origem em alimentos processados, ricos em amido:

"Evidentemente que o açúcar é um hidrato de carbono, e muitos humanos que comem demais descobriram que os hidratos de carbono são o seu calcanhar de Aquiles. Uma dessas pessoas é o jornalista William Leith, que escreveu de forma jocosa sobre a sua disfunção alimentar. Leith, que já foi referido como o rosto da vida compulsiva, tem-na retratado como uma longa batalha com uma série de dependências, desde o álcool ao sexo, passando por diversas drogas recreativas. Porém, foi na comida - em particular, os alimentos transformados, ricos em amido - que ele encontrou os seus impulsos mais descontrolados. No seu livro, The Hungry Years, refere que a fome de alimentos o assusta. Quanto mais engorda, mais lhe apetece comer, e de mais conforto necessita. Infelizmente, esse conforto só pode advir dos hidratos de carbono - idealmente sob a forma de torradas grossas cheias de manteiga. Leith refere um episódio típico de «furor de torradas», em que está tão impaciente pela sua dose de hidratos de carbono, que não consegue sequer esperar que a manteiga fria acabada de sair do frigorífico amoleça ou que as torradas saltem. Está «desejoso» de uma torrada, como se num acesso de nicotina ou numa febre de inalar coca. Tal como um drogado com a agulha mesmo sobre a veia, precisa dela imediatamente. "

O autor, Paul Martin é licenciado em Ciências Naturais pela Universidade de Cambridge e doutorado em Biologia Comportamental pela Universidade de Stanford, na Califórnia, onde leccionou no Departamento de Psiquiatria e Ciências do Comportamento.

Ver sinopse do livro aqui.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Os Cépticos do Colesterol

Sabia que existe uma rede internacional de cépticos do colesterol ? A The International Network of Cholesterol Skeptics (THINCS) é constituída por um grupo de cientistas de vários países que são cépticos em relação ao papel que o colesterol e a gordura animal desempenham no desenvolvimento da aterosclerose e das doenças cardiovasculares. O actual presidente da THINCS é o médico dinamarquês Uffe Ravnskov (na imagem), que considera a hipótese lipídica científicamente inválida.

"Most researchers today consider that a high intake of saturated fat and elevated LDL cholesterol are the most important causes of atherosclerosis and coronary heart disease. The lipid hypothesis has dominated cardiovascular research and prevention for almost half a century although the number of contradictory studies may exceed those that are supportive. The harmful influence of a campaign that ignores much of the science extends to medical research, health care, food production and human life. There is an urgent need to draw attention to the most striking contradictions, many of which may be unknown to most doctors and researchers." (Uffe Ravnskov, Scandinavian Cardiovascular Journal, Vol. 42, Issue 4, Pgs. 236-9, August 2008).

Este grupo de cientistas defende que a alimentação será tanto melhor quanto menos processada for. Neste ponto, estou totalmente de acordo !

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Como parar a gripe mexicana

Embora a Organização Mundial de Saúde já tenha reconhecido que a progressão da gripe mexicana (ou gripe A) a nível mundial esteja a abrandar, não é demais saber quais as medidas que deve tomar para a prevenir. Informação recebida da Universidade do Porto. Clique aqui

Do ponto de vista da nutrição, aconselho o aumento da ingestão de todo o tipo de frutas, mas particularmente as que têm mais vitamina C, como é o caso do kiwi, da laranja e dos outros citrinos. A vitamina C fortalece o sistema imunitário mantendo-nos protegidos contra a gripe e contra a maioria das doenças.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Margarina ou Manteiga?

O que devo comer? Margarina ou manteiga? Esta dúvida assalta certamente a maioria dos consumidores na hora de comprar um produto para barrar o pão. A variedade de margarinas e manteigas que existem actualmente no mercado e a publicidade dos respectivos fabricantes deixa confuso o comum dos mortais. Um dos factores da escolha é, naturalmente, a preocupação de não aumentar ou, se possível, reduzir o colesterol.

A margarina foi inventada em 1869 por um químico francês, Hipollyte Mergé-Mouriès, que fez uma mistura à base de sebo, leite e úbere de vaca. Por ser uma gordura mais económica do que a manteiga depressa se tornou popular em toda a Europa. Mas o sebo das vacas europeias logo se tornou insuficiente para a expansão da indústria e, em 1907, fez-se a primeira experiência de hidrogenação dos óleos que consiste na saturação das duplas ligações dos ácidos gordos insaturados por átomos de hidrogénio, que faz a gordura solidificar. A primeira gordura utilizada neste processo foi o óleo de palma. Surgiram então as primeiras margarinas vegetais. A sua matéria prima são os óleos vegetais, ricos em ácidos gordos polinsaturados (como apregoa a indústria!), mas que se tornam saturados durante o processo de fabrico, por hidrogenação, formando as chamadas gorduras trans. Estas gorduras trans, ou gorduras hidrogenadas, comportam-se como gorduras saturadas no organismo, tendo efeitos ainda mais prejudiciais do que as gorduras saturadas naturais. Aumentam os níveis de colesterol total e diminuem o colesterol "bom" (ou HDL-colesterol) já que inibem a acção de enzimas específicas do fígado.

Outro ponto desfavorável às margarinas é o seu enorme conteúdo em aditivos químicos. De facto, durante o seu fabrico são-lhes adicionados emulsionantes, estabilizantes, aromatizantes, espessantes, corantes, conservantes e antioxidantes, entre outras substâncias.

Por seu lado, a manteiga é uma gordura natural de produção bastante antiga que se obtém batendo a nata do leite. Trata-se de um alimento bastante rico em vitamina A. Recentemente surgiu no mercado e tornou-se popular a "manteiga magra". Tem teores mais baixos de gordura do que a manteiga usual, mas, tal como a margarina, está impregnada de aditivos químicos (basta ler o rótulo...) e por isso, a meu ver, tem muito pouco interesse do ponto de vista nutricional e da saúde.

A aura de vilã que a manteiga tem ganho nas últimas décadas deve-se ao facto de ser uma gordura saturada (as gorduras saturadas são sólidas à temperatura ambiente) e por conter colesterol. Por seu lado, a margarina vegetal não contém nenhum colesterol, mas faz subir o colesterol por ser saturada artificialmente. Então a escolha é entre duas gorduras saturadas, uma natural e rica em vitamina A - a manteiga- , e a outra artificial e rica em aditivos químicos - a margarina.

Resumindo e concluindo: A manteiga consumida com moderação (não mais do que um pacote de 10 gramas por dia) por pessoas saudáveis, adultos ou crianças, é muito melhor do que a margarina. Ninguém resolve o problema do colesterol elevado ao trocar a manteiga por margarina. Antes pelo contrário... Seria bem melhor que a trocasse por azeite, mas sempre com muita moderação.

Paracelso, o famoso químico e médico do Renascimento, podia não saber muito nem de química,nem de medicina, mas escreveu uma frase muito acertada: "Todas as substâncias são venenos, é tudo uma questão de dose". E é por isso que devemos pensar duas vezes antes de comprar alimentos, como a a margarina ou a manteiga magra, que estão cheias de aditivos e são de consumo diário.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

O chá branco ajuda a emagrecer

Uma série de experiências tem vindo a demonstrar que o chá branco pode ser uma grande ajuda no processo de emagrecimento. Marc Winnefeld, investigador alemão da Beiersdorf AG , conseguiu provar que um extracto de chá branco inibe a formação de novos adipócitos (células do tecido gordo) e estimula a mobilização de gordura das células adiposas maduras.

Fonte: http://www.sciencedaily.com/releases/2009/04/090430194803.htm
Fonte da imagem: http://media.photobucket.com/image/white%20tea/AITAW/KashanganjSnowBud.jpg

terça-feira, 12 de maio de 2009

BOAS VIBRAÇÕES NOS ALIMENTOS?

Para mostrar que o disparate não conhece limites no domínio da alimentação, basta ler um artigo recente na revista Time que fala de alimentos "enriquecidos" com boas intenções. É o caso de uma água que foi "acrescentada" com desejos de saúde, paz e amor (claro que o acrescento é só no rótulo, a água é igualzinha a outras) ou de chocolates, como os da marca "Intentional Chocolate", que são produzidos sob o efeito das ondas electromagnéticas de monges tibetanos em meditação. Um pretenso cientista chegou a investigar o efeito deste chocolate, que seria assim uma espécie de chocolate "benzido com motivação". Mas a verdade, verdadinha foi revelada por um monge tibetano que colaborou no negócio e depois saiu: "Then [the product] may not be blessed in any way with motivation except maybe to make money."

Estas, tal como as terapias quânticas, são mentiras descaradas e, sabendo o suficiente, só acredita nelas quem quer. Mas há outras mentiras, mais subtis, no grande mercado da alimentação...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

"O Fim da Comida"

Se for à "Feira do Livro" de Lisboa ou do Porto dê uma espreitadela no livro intitulado "O Fim da Comida" que acaba de sair, do prelo da editora Estrela Polar. O autor, Paul Roberts, que já tinha escrito "O Fim do Petróleo", faz uma abordagem inquietante das consequências da nossa cada vez maior dependência da indústria alimentar, que produz alimentos em grandes quantidades.

Transcrevo alguns parágrafos do prólogo que reflectem a realidade (preocupante!) do mundo actual:
"Ano após ano, chegam às prateleiras dos supermercados ou aos bufetes dos restaurantes milhares de novos produtos alimentares, desde embalagens de saladas pré-lavadas, a bacon que pode ser aquecido no microondas - utilizando muitas vezes os mesmos canais de distribuição responsáveis pela reposição de DVD, lâminas de barbear descartáveis, desodorizantes, produtos de beleza, brinquedos e outros produtos de consumo. Em grande parte, o sucesso do moderno sector alimentar assentou na sua capacidade de fazer com que os produtos alimentares se comportassem como qualquer outro bem de consumo. "
"(...) Fisicamente, os alimentos são tão desadequados à produção em massa que foi necessário reformatar as explorações agrícolas e a produção de gado de
modo a permitir ceifas, colheitas e processamento mais rápidos (no entanto, mesmo recolhendo estes materiais em fresco, a sua perecibilidade pode exigir que sejam preservados através de conservantes, aromatizantes e outros aditivos)."
"Dito de uma forma mais chocante, apesar de toda a abundância global de alimentos, a moderna indústria alimentar não conseguiu aproximar-se sequer do
objectivo de acabar com a fome."
"(...) Cada vez mais, as companhias do sector alimentar que dependem da venda de alimentos embalados de preço alto estão a evitar países como a Etiópia
e o Bangladesh em favor dos mercados ricos da Europa e da América do Norte, ou a invadir regiões como a Ásia, onde os consumidores ricos manifestam uma enorme apetência por bifes, gelados, bebidas energéticas e outros produtos caros e calóricos, do tipo dieta ocidental. Assim, apesar do preço da comida ter diminuído para metade relativamente ao que custava cinquenta anos antes e, apesar de um suprimento alimentar global que excede actualmente em 20% as necessidades calóricas per capita, o mundo conta com um número idêntico de cidadãos subnutridos e de cidadãos sobrenutridos, uma simetria viciosa, emblemática dos maiores fracassos do sistema. "
Para conhecer melhor o autor, leia a entrevista que concedeu à revista Época: aqui.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Conferência 'NUTRIÇÃO E DOENÇAS DA CIVILIZAÇÃO" no dia 18 de Maio em Lisboa

Conferência "NUTRIÇÃO E DOENÇAS DA CIVILIZAÇÃO", pelo Prof. Loren Cordain, no Auditório da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, no dia 18 de Maio de 2009 às 19:00h.

PALESTRANTE:
Prof. Loren Cordain (http://www.thepaleodiet.com/):
Doutorado em Fisiologia (University of Utah, EUA), Mestre em Fisiologia do Exercício (University of Nevada-Reno), Licenciado em Ciências da Saúde (Pacific University), Professor catedrático e investigador no Departamento de Exercício e Saúde da Colorado State University, Galardoado pela Colorado State University com o prémio “Scholarly Excellence” pelas suas contribuições para as Ciências da Nutrição.

Mundialmente reconhecido como especialista nas bases evolucionistas e antropológicas da dieta, exercício e saúde em humanos.

Primeiro investigador a propor uma ligação endócrina entre acne e hiperinsulinemia induzida pela dieta. Tem investigado extensivamente o papel da nutrição na etiologia das doenças auto-imunes. Autor de mais de 100 artigos científicos e comunicações.

Programa:
19:00-20:00 - Origens e evolução da dieta ocidental: Breve introdução à teoria evolucionista. Prevalência de doenças degenerativas crónicas. Características nutricionais de dietas pré-agrícolas. Introdução de novos alimentos ao longo da história (lacticínios, cereais, açúcares isolados, óleos vegetais, álcool, sal, carne gorda de produção intensiva, alimentos processados). Grandes alterações nutricionais (carga glicémica, ácidos gordos, distribuição de macronutrientes, densidade de micronutrientes, equilíbrio ácido-base, rácio sódio/potássio, fibra alimentar). Repercussões na saúde humana (obesidade, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica, alguns carcinomas, osteoporose, entre outras patologias).

20:15-21:15 - Nutrição e doenças auto-imunes: Introdução à auto-imunidade. Prevalência de doenças auto-imunes. Factores ambientais suspeitos. O papel do intestino na auto-imunidade (mimetismo molecular e hiperpermeabilidade intestinal). Factores nutricionais (lectinas, saponinas, glicoalcalóides das solanáceas, lisozima da clara de ovo e do leite, antigénios dietéticos proteínas do leite bovino e prolaminas), zinco, vitamina D, ácidos gordos ómega 3, probióticos, prebióticos e glutamina).

21:15-21:30 - Perguntas e respostas

INSCRIÇÕES:
Através da NUTRISCIENCE – EDUCATION & CONSULTING, LDA
nscience.mail@gmail.com

Veja o programa aqui. Consulte também o blogue http://www.canibaisereis.com/ para saber mais sobre o palestrante.

domingo, 3 de maio de 2009

" Ir às compras e trazer mais saúde"

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas:

Programa do workshop “Ir às compras e trazer mais saúde” que vamos dinamizar na Exponor no próximo dia 8 de Maio de 2009. Esta actividade está inserida na Feira Normédica/Ajutec/ Salão de Saúde e Bem-Estar que decorrerá na Exponor de 7 a 10 de Maio.

"Ir às compras e trazer mais saúde". 8 de Maio de 2009
Moderador: Dr. Hugo de Sousa Lopes - Nutricionista

14h30 Por onde começar...quando vamos ao supermercado
Dra. Sílvia Cunha - Nutricionista

15h00 Cuidados a ter na compra de alimentos frescos e congelados – o que verificar?
Dra. Raquel Marinho - Nutricionista

15h30 A importância da leitura do rótulo nos alimentos pré-embalados
Dra. Bela Franchini - Nutricionista

16h00 Como escolher alimentos no âmbito de uma alimentação saudável?
Dra. Ana Martins - Nutricionista

16h30 Que alimentos devem ser guardados para ocasiões especiais?
Dra. Joana Maranhas - Nutricionista