terça-feira, 28 de abril de 2009

Filhos da Fome

Vale a pena ler aqui a entrevista ao Dr. Campillo Álvarez, catedrático de Fisiologia na Universidade da Estremadura, Espanha, que é o autor do livro "O Macaco Obeso" (Dom Quixote, 2008), porque aborda a obesidade numa perspectiva evolucionista. O autor prepara-se para editar um novo livro com o título "Hijos del Hambre". Transcrevo um excerto:
2) Antonio Damasio sugiere que nuestras emociones y nuestros más
elevados sentimientos se asientan sobre la información que recibe el cerebro del estado del cuerpo. En lo que se refiere a la importante función de alimentarse ¿en qué medida y de qué manera diría que afecta a nuestras emociones, nuestros pensamientos y nuestro comportamiento?

Las dos funciones fundamentales de cualquier ser vivo son la alimentación (de interés a nivel de individuo) y la reproducción (de interés a nivel de especie). Los genes, que son los que verdaderamente mandan, se han encargado de que cumplamos ambas y para ello han hecho que nutrirnos y reproducirnos sean actos placenteros. De hecho, uno de los problemas para perder peso es que comer es placer. Por ello en lo que preguntas hay una doble relación que complica las cosas: por una parte nuestras emociones, nuestros pensamientos influyen la forma en que nos nutrimos y, por otra, los alimentos que tomamos influyen en nuestro comportamiento. Muchos alimentos son los precursores de neurotransmisores importantes, por ejemplo el triptófano de la carne es precursor de la serotonina.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Primeiros resultados do estudo PORMETS de avaliação da prevalência da Síndrome Metabólica em Portugal

O estudo PORMETS de avaliação da prevalência da síndrome metabólica em Portugal é um projecto que nasceu em Outubro de 2006 e que resultou da parceria entre o Grupo de Estudo da Insulino-Resistência (GEIR) e a equipa chefiada pelo Prof. Dr. Henrique Barros, do Serviço de Higiene e Epidemiologia da Faculdade de Medicina do Porto, com o patrocínio da empresa Bayer Healthcare. Este estudo foi para o terreno em Fevereiro de 2007 e, até ao momento, já envolveu cerca de 3000 pessoas, o que corresponde a cerca de três quartos da amostra, que deverá totalizar 4320 participantes. O estudo terminará no primeiro semestre de 2009, mas já estão disponíveis resultados preliminares relativos a 2694 participantes de 24 Centros de Saúde de todo o país.

Conclusões preliminares:

A prevalência da síndrome metabólica é muito elevada em Portugal e semelhante à de alguns países europeus e dos E.U.A, de acordo com os critérios ATP III.Porém, de acordo com os critérios IDF, a prevalência da síndrome metabólica nesta amostra é maior do que em outros estudos europeus.

A prevalência de obesidade central estimada de acordo com os critérios ATP III, AHA/NHLBI e IDF é maior no sexo feminino. Destaca-se a elevada prevalência de obesidade central na mulher portuguesa (superior a 50 por cento qualquer que seja a classificação utilizada), sugerindo que os critérios utilizados para a classificação de obesidade central, nomeadamente os critérios IDF, podem não ser adequados à população portuguesa.

Valores tensionais elevados (T.A. 130/85) na população portuguesa (52,8 por cento)
Hipertrigliceridemia muito prevalente no sexo masculino (cerca de 30 por cento)
HDL baixo de acordo com 3 definições muito prevalente nesta amostra (cerca de 50 por cento)
Hiperglicemia em jejum (100 mg/dL) com prevalência elevada em particular no sexo masculino
Medidas práticas de insulino-resistência: insulinemia (P5 - 2,4 U/mL e P95 - 20,8 U/mL) e HOMA (P5 0,44 e P95 6,55)

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Amamentar beneficia as mães após a menopausa

É consensual que o leite materno é o melhor, o mais completo e o mais equilibrado alimento para o bebé durante os primeiros meses de vida. Para a mãe, dar de mamar, ajuda a recuperar o peso e faz com que o útero volte ao seu tamanho original de forma mais rápida devido às contracções uterinas que provoca.

Agora, um estudo que será publicado na edição de Maio da revista Obstetrics & Gynecology e que envolveu 139 681 mulheres inscritas no Women's Health Initiative sugere que as mulheres que amamentam estão mais protegidas das doenças que as afectam décadas mais tarde, após a menopausa. Os benefícios aumentam com o tempo de duração do aleitamento. Mulheres que amamentaram por períodos superiores a um ano têm 20 por cento menos probabilidade de ter diabetes, 12 por cento menos probabilidade de ter hipertensão, 19 por cento menos probabilidade de ter colesterol elevado e nove por cento menos probabilidade de ter enfarte ou acidente vascular cerebral.

Outros especialistas alertaram que, embora o estudo tenha demonstrado uma associação entre a amamentação e os benefícios para a saúde da mãe, não há necessariamente uma relação causal. Para estes peritos, as mulheres que amamentam podem simplesmente levar vidas mais saudáveis. O estudo carece de uma nova análise capaz de contabilizar todos estes factores entre os dois grupos.

Fonte: The New York Times

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Sexo e Comida

Uma "curta" do jornal Sol de 10 de Abril:

"Diz-se que a forma mais fácil de conquistar um homem é pelo estômago. Segundo um estudo do Instituto Max Planck, em Leipzig, o mesmo se aplica aos chimpanzés. Após três anos a observar 49 animais, a venezuelana Cristina Gomes concluiu que as fêmeas acasalam mais com machos que com elas partilham comida. A equipa acredita que estes resultados podem servir para analisar as relações entre homens e mulheres."

Prevenção do Cancro do Cólon

Sabemos que uma alimentação rica em fibras é a melhor forma de prevenir o cancro do cólon. Uma das razões é que as fibras aumentam o volume das fezes, favorecendo o trânsito intestinal e diminuindo o tempo de permanência das fezes no intestino. Outra razão, descoberta agora, é que o butirato, produto resultante das fermentações bacterianas, funciona como um supressor do tumor com potencial para eliminar as células cancerígenas.

Num estudo publicado na edição de Abril da revista Cancer Research cientistas explicam que as bactérias intestinais produzem butirato a partir das fibras, e este activa receptores GPR109A (G-protein–coupled receptor for nicotinate) os quais por sua vez causam apoptose (morte celular) e reduzem a inflamação.

Além do consumo adequado de fibras e da adequada colonização do intestino por bactérias benéficas, a niacina (vitamina do complexo B) é essencial para que o butirato consiga activar os receptores GPR109A. Boas fontes de fibras incluem cereais integrais, frutas e verduras. A niacina encontra-se nas carnes, leite, ovos, frutos secos e legumes.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Diabéticos transplantados vivem 31 meses sem receber insulina

Um grupo de 23 voluntários com diabetes tipo 1, cujo pâncreas não produz insulina, submeteram-se a um transplante de células-mãe hematopoiéticas e viveram sem necessidade de insulina durante mais de três anos, revelou um estudo publicado há dois dias no Journal of the American Medical Association. De acordo com Richard Hurt, médico que dirigiu os testes clínicos, todos os pacientes mantiveram níveis saudáveis de glicemia e de péptidos C. Existe uma relação inversa entre as células do pâncreas que produzem a insulina e os níveis de péptidos C no sangue.

O Dr.Hurt ficou satisfeito com os resultados do transplante, mas adverte que ainda não é possível falar-se em cura da diabetes. "São necessárias mais ensaios clínicos e outros trabalhos para se confirmar a influência deste tratamento numa mudança na história da diabetes tipo 1", afirmou.

Fonte: Elpaís.com

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Percurso de Conferências da Associação Portuguesa dos Nutricionistas

Informação recebida da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN):

A APN está a promover juntamente com a colaboração dos seus associados um percurso de conferências por todo o país, com o objectivo de chegar de forma consistente até junto da comunidade, incluindo a população em geral, profissionais de áreas técnicas e mesmo algumas áreas científicas. A inscrição nas conferências é gratuita.

Apresentamos aqui a lista das conferências já agendadas e os respectivos programas:

ABRIL
Dia 18 - Onde está a dieta mediterrânica?
Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa Programa

Dia 21 - 3ª sessão do Atelier de Culinária Saudável – Sopas, pratos e sobremesas
Centro Académico de Braga Programa

Dia 23 - Obesidade - De pequenino se torce o pepino!
Escola EB 2,3 S. Pedro de Alva - Penacova Programa

Dia 24 – 5 por dia – Coma mais (frutas e hortícolas)!
Pavilhão Multiusos de Pinhel Programa

Para mais informações consulte o sítio da APN: aqui.

terça-feira, 14 de abril de 2009

SIRTUINAS: o elixir da juventude

A ciência do envelhecimento tem tentado estabelecer a relação entre a dieta, a saúde e a longevidade.

Está provado que reduzir a ingestão calórica em 30% ou 40% prolonga a vida de leveduras, vermes, moscas, ratos e cães em laboratório. Mas também previne as doenças próprias da idade avançada em todas as espécies, como as doenças neurodegenerativas, o cancro e a diabetes, que por sua vez é a principal causa de lesões vasculares e de enfarte. A chave da questão parece residir nas sirtuinas, um conjunto de enzimas envolvidas em processos metabólicos que atrasam o processo de envelhecimento e que previnem doenças relacionadas com a idade. O resveratrol, conhecido anti-oxidante presente nas uvas e no vinho tinto, é um activador natural das sirtuinas e tem inspirado uma nova geração de moléculas até mil vezes mais potentes. Estas moléculas chamadas "activadores das sirtuinas" estão na mira de empresas como a Glaxo Smith Kline, que tem investido muitos milhões de dólares na pesquisa destes compostos com o objectivo de desenvolver fármacos que permitam combater as doenças associadas ao envelhecimento.

E nós, enquanto aguardamos os fármacos do futuro, que irão prevenir a diabetes, as doenças cardiovasculares, o cancro, o Alzheimer, as cataratas e até a osteoporose, podemos ir comendo umas uvas e bebendo um copo de vinho tinto às principais refeições...

Imagem: Gettyimages.com

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Jamie Oliver fez o jantar para os líderes do G20

O famoso chef inglês, Jamie Oliver foi a Downing Street, em Londres, fazer o jantar que Gordon Brown ofereceu aos líderes do G20. Um dos principais motivos da escolha de Gordon Brownm terá sido a fama de Jamie Oliver por fazer os melhores pratos aos preços mais económicos.

Na ementa constam cordeiro de Gales e salmão das ilhas Shetland - um cardápio que pretende mostrar a riqueza e a variedade da gastronomia do Reino Unido.
Oliver diz ter eliminado a carne de porco das várias receitas para não ofender os participantes muçulmanos.

Seguindo o protocolo, as esposas dos líderes irão saborear o mesmo cardápio que os respectivos maridos, mas num salão diferente da residência oficial de Brown.

Fonte da Notícia: http://noticias.pt.msn.com/Prazeres_Lazeres/article.aspx?cp-documentid=15626063

terça-feira, 7 de abril de 2009

Rebentos de brócolos contêm antibiótico natural contra o Helicobacter pylori

Um estudo piloto realizado no Japão mostrou que comer brócolos diariamente pode ajudar a combater o Helicobater Pylori, o agente causador de algumas das doenças mais comuns do estômago, como gastrites, úlceras e até o cancro gástrico. É que os rebentos dos brócolos contêm uma concentração mais elevada de sulforafano, considerado um antibiótico natural que combate o Helicobacter pylori.

Fonte: www.sciencedaily.com

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Vai um copinho de leite com isoflavonas ?

Transcrevo a "deliciosa" crónica do jornalista João Miguel Tavares (Notícias Magazine, 29 de Março de 2009) acerca do leite enriquecido:

"Ah, como eu tenho saudades do tempo em que o leite era apenas leite. Hoje em dia ir ao supermercado aviar duas embalagens de Mimosa é uma autêntica
aventura linguística e sociológica. Aqui há uns dez anos, ir comprar leite significava escolher entre pacotes de gordo, meio gordo ou magro. Nos dias que correm, implica um mergulho nos abismos das vitaminas, das fibras, do cálcio e do ómega 3. Tenho cá para mim que seria muito útil começar a transportar um farmacêutico no nosso carrinho das compras.

Uma pessoa entra no Continente e tem dois corredores de leite. Um, mixuruca, de pacotes pouco ambiciosos e acomodados à vida, que não desejam ser mais do que o resultado de uma vaca pobremente espremida e se deixam comprar por cinquenta e poucos cêntimos. Pacotes à antiga, digamos assim, que manifestamente não acompanharam o progresso da humanidade. E depois temos outro corredor, de pacotes reluzentes, muito classe média-alta, que além do líquido que jorra do bovino são vitaminados por uma miríade de quinquilharia química que promete deixar-nos a apenas dois dedos de distância do Super-Homem. Como tudo o que reluz, há o reverso da medalha: cheguei a ver um pacote que prometia afogar o colesterol a 360 paus, moeda antiga.

O problema, claro, é que tansos como eu são irresistivelmente atraídos pelos que prometem, qual poção mágica do druida Panoramix, revolucionar a nossa existência em troca de vinte centilitros ao pequeno-almoço. Para tudo o que nos acontece na vida, inventaram um tipo de leite que ajuda a enfrentar a situação. Em verdade vos digo: o tipo que viu no pacote de leite um psicanalista em potência merecia uma estátua nos prados verdejantes dos Açores.

Ele há o leite «especial mamãs» com ácido fólico. Ele há o leite «cardio» com vitaminas B6, B12 e B9. Ele há o «bem activo» com vitamina D (que ajuda «na fixação do cálcio», aparentemente um elemento químico que tem dificuldades em ficar quieto). Ele há o «efeito bífidus», que todos sabemos ser um efeito maravilhoso, à base de «fibras solúveis». Ele há o leite «sem lactose», que é a cerveja sem álcool e o chocolate sem açúcar dos leites. Ele há o «bem especial crescimento», muito apropriado para as criancinhas, que por sua vez se subdivide em «1-3 anos» e «a partir dos 3 anos», que os putos não são todos iguais. Ele há o novo e moderno leite de soja, claro que só por si é um mundo à parte. Ele há o ecologicamente sensível leite biológico, que promete uma ligação directa às tetas das vacas mais felizes do planeta.

E depois há os nomes finíssimos como o «leite fibresse», que ajuda «à regularidade intestinal», como se o uso do sotaque francês ajudasse nas idas à casa de banho. Além, claro, de maravilhosas novidades a cair mensalmente nas prateleiras, como o recentíssimo «especial» para mulheres maduras» (oh, maravilhoso eufemismo) com (agarrem-se) «isoflavonas de soja e vitamina D». Da próxima vez que vir a minha avó mais abatida, vou poder dizer-lhe: «Avozinha, isso parece-me falta de isoflavonas. Tome aqui este leitinho.» Obrigado, rapazes da Mimosa. Sem vocês, as minhas idas ao supermercado
seriam bastante mais rápidas - mas muito mais aborrecidas."
Para rever o meu artigo "A moda dos alimentos enriquecidos" clique aqui.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Descoberto o composto do azeite que mais protege contra as doenças cardiovasculares

Cientistas portugueses da Universidade do Porto descobriram o constituinte do azeite que dá maior protecção contra as doenças cardiovasculares. A equipa liderada por Fátima Paiva-Martins estudou os principais compostos anti-oxidantes do azeite e concluiu que o 3,4-DHPEA-EDA (forma dialdeídica do ácido elenólico ligada ao 3,4-dihidroxifeniletanol), mesmo em baixas concentrações, foi o mais eficaz a proteger os glóbulos vermelhos dos danos oxidativos.

Os investigadores dizem que este estudo fornece a primeira evidência de que este composto é a principal fonte de saúde do azeite virgem, que contém níveis elevados de DHPEA-EDA, quando comparado com outros óleos. Acreditam que estes resultados poderão levar à produção de um azeite "funcional" especificamente concebido para reduzir o risco de doença cardíaca. Fica a sugestão. Ver a notícia completa aqui.

Fonte da imagem: http://www.aleppogold.com/index1.html

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Alimentos Biológicos Crescem em Todo o Mundo

O consumo de alimentos biológicos, livres de pesticidas e cuja produção envolve práticas que garantem o respeito pelo ambiente e pela biodiversidade, tem crescido em todo o mundo desde 1990. Portugal não é excepção e as vendas confirmam crescimentos na ordem dos 25% ao ano. Uma autêntica oportunidade de negócio!

Do ponto de vista nutricional, optar por alimentos biológicos em detrimento dos convencionais tem, quanto a mim, vantagens para a saúde. Em primeiro lugar porque são livres de pesticidas (que são potencialmente cancerígenos) e depois porque são nutricionalmente mais ricos por serem colhidos já maduros. Os alimentos biológicos têm menos água (porque crescem mais lentamente sem "ajuda" de químicos), mas têm maior concentração de vitaminas e outros nutrientes, que retiram do solo durante mais tempo. Por isso são mais saborosos, sendo a fruta mais doce.

Em Coimbra, pode adquirir alimentos biológicos dos produtores regionais no "Mercadinho do Botânico". Veja mais informações aqui.

Fonte de Imagem: http://www.rs.gov.br/direciona.php