Crianças com o gene da obesidade podem compensar o seu efeito com uma alimentação saudável

De acordo com uma nova pesquisa da University College of London (UCL) e da University of Bristol, as crianças que possuem o gene da obesidade podem compensar o seu efeito fazendo uma dieta de baixa densidade energética. Isto é possível com uma alimentação à base de legumes e frutas e limitando, ou eliminando totalmente, o consumo de alimentos com muita gordura e muito açúcar como é o caso das bolachas, bolicaos, croissants, folhados, biscoitos, cereais de pequeno-almoço, batatas fritas, snacks, sumos, chocolates, etc.
A densidade energética dos alimentos refere-se à quantidade de energia consumida por unidade de peso do alimento, ou o número de calorias por mordida.

O estudo envolveu 2275 crianças, com idades compreendidas entre os 10 e os 13 anos, que foram observados durante três anos para verificar o efeito da densidade energética da dieta na acumulação de gordura no corpo. As crianças que fizeram uma dieta com menos calorias por mordida, mas que possuíam o gene da obesidade, conseguiram compensar o seu efeito e ficar com um peso saudável.

Provou-se aqui que apesar da constituição genética ditar o risco para a obesidade, este pode ser contrariado com modificações conscientes do estilo de vida.

Os dados foram extraídos do Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC) e a análise foi realizada por investigadores da UCL, Universidade de Bristol, Península Medical School, e MRC Human Nutrition Research, em Cambridge.

Fonte:http://www.sciencedaily.com/releases/2009/03/090304091329.htm
Fonte Imagem:http://www.bristol.ac.uk/alspac/
1 comentário

Postagens mais visitadas