HDL SINTÉTICO - A Nanotecnologia ao Serviço da Saúde



Uma equipa de investigadores da Northwestern University, liderada por Chad A. Mirkin, director do Northwestern’s International Institute for Nanotechnology, conseguiu pela primeira vez sintetizar moléculas de HDL (Hight Density Lipoprotein) o chamado "bom" colesterol. Esta promissora "arma" de combate aos níveis elevados de colesterol poderá ajudar a reduzir a incidência de doenças cardíacas e vasculares que continuam a ser as que fazem mais vítimas em todo o mundo desenvolvido.


Baixar o colesterol vai sendo possível, em muitos casos, com estratégias de redução do peso corporal, diminuição do consumo de gorduras saturadas e carne vermelha e aumento da ingestão de hortícolas, frutas e peixe. Se mesmo assim o colesterol não vier para os níveis considerados saudáveis, existem sempre os fármacos (estatinas) para ajudar. Mas estas e outras estratégias, baseadas em alterações do estilo de vida, resultam muito menos quando queremos aumentar o "bom" colesterol. Daí o interesse desta molécula de HDL criada em laboratório.

O HDL sintético, formado por nanopartículas de ouro revestidas de proteínas e lípidos, é capaz de se ligar irreversivelmente ao colesterol, tal como o HDL natural o faz. O material escolhido, o ouro, é um material não-tóxico que permitirá mais facilmente desenvolver um fármaco e uma nova terapêutica que simultâneamente baixe o colesterol total e suba o colesterol protector, o HDL. É pelo menos esta a convicção e a esperança dos "pais" do HDL sintético.


O estudo está publicado online no Journal of the American Chemical Society (JACS)
2 comentários

Postagens mais visitadas