Se pisar alguém, dói


Li recentemente na revista Tabu o interessante testemunho de Luís Santos, um ex-obeso, que passo a transcrever:
"Aos 13 anos já tinha 1,78 m e pesava mais de 90 quilos. Era a delícia dos meus pais e dos meus avós eu comer (a partir dos 12 anos) em bandejas - uma bandeja para a carne ou o peixe, outra para a batata e o arroz. Achavam que estava com falta de fome quando só comia três bifes... Na nossa casa, com quatro filhos entre os oito e os quinze anos, e quatro adultos, os meus pais e avós, consumiam-se 180 carcaças por dia. Para mim era normal comer assim. Só percebi que não era quando contactei mais com outros miúdos - notei as minhas limitações e sofri um pouco na escola. Fiz desporto, mas parei quando comecei a trabalhar por turnos. Resultado: em dois anos passei dos 95/100 para os 150 quilos... E não me custava porque tinha mais de 1,90 m e estrutura física para aguentar o aumento de peso. Até aos 30 anos não me preocupei com os 50 quilos que tinha a mais. A partir dos 34 comecei a ter sustos: tensão arterial de 270/220, prestes a fazer um AVC (acidente vascular cerebral), tonturas cansaço, dores articulares, vida sexual o mais reduzida possível porque a capacidade é pouca. Tinha de entrar de lado na casa de banho do serviço; no autocarro ia de pé porque não cabia nos bancos; não havia roupa que me servisse... Há três anos , aos 39, fiz um bypass gástrico. Pesava 156 quilos, mas antes tinha chegado aos 164. Em casa como a minha mulher pôs uma banda gástrica há quatro anos, eu e os meus dois filhos fomos solidários: alterámos os hábitos alimentares. Começamos sempre a refeição pela sopa, comemos mais vegetais e peixe, a televisão fica desligada e aproveitamos aquele bocadinho para conversar. A mercearia que antes dava para um mês agora dá para três. Foi um sucesso que envolveu a família - os miúdos e até os cães estão mais magros! Como tenho menos peso mexo-me melhor, vou à rua, jogo à bola com os miúdos, passeio os cães... O meu objectivo é manter os 100 quilos, assim sinto-me confortável e não me canso com facilidade. Mas neste momento peso 108 quilos. Se pisar alguém, dói."
O mais interessante deste relato e que gostaria de realçar para exemplo de todos é que a simples mudança de hábitos alimentares é suficiente para ver o peso diminuir. Iniciar o almoço e o jantar com um prato de sopa parece um acto sem efeito, mas, na realidade, faz emagrecer. A razão é simples: o valor calórico total da refeição diminui porque um prato de sopa de legumes (sem carne), normalmente baixo em calorias, deixa-nos meio saciados, pelo que já não comemos tanto do segundo prato, que tem maior densidade calórica. Esta redução energética de forma continuada permite perder massa gorda sem passar fome e sem pensar em dietas. Experimente!

Fonte: "Tabu" de 29/11/2008
Postar um comentário

Postagens mais visitadas