Alimentação e Psoríase


A psoríase é uma doença crónica de pele que atinge um a três por cento da população mundial (cerca de 190 milhões de pessoas), estimando-se que existam em Portugal 250 mil pessoas afectadas. A doença, cuja origem é desconhecida, manifesta-se igualmente em homens e mulheres com maior incidência na faixa etária entre 20 e 40 anos; no entanto, pode surgir em qualquer idade. Fenómenos emocionais estão frequentemente relacionados com o seu aparecimento ou agravamento, actuando provavelmente actuando como factores que desencadeiam uma predisposição genética para a doença. Cerca de 30 por cento das pessoas que têm psoríase têm uma história familiar da doença.

João Cunha, presidente da Associação Portuguesa da Psoríase (PSOPortugal), defende que a alimentação é fundamental no caso destes doentes, embora não existam dietas milagrosas. Afirma que "está provado que alguns alimentos, em especial peixes gordos e óleos de peixe, naturalmente ricos em ácidos gordos polinsaturados, ajudam no alívio dos sintomas".

Diversos estudos referem ainda que alimentos como salmão, sardinhas, cenouras e brócolos, ricos em antioxidantes, betacaroteno, ácido fólico, ómega-3 e zinco, reforçam o sistema imunitário e evitam a acumulação de toxinas, ajudando no controlo efectivo da doença. Pelo contrário, o consumo de gorduras saturadas (presentes nas carnes vermelhas) e a ingestão de álcool em excesso podem levar à acumulação de toxinas e, consequentemente, a crises.

Fonte: http://noticias.pt.msn.com/
Imagem: http://www.todaysseniorsnetwork.com/eat_fish,_keep_memory.htm
1 comentário

Postagens mais visitadas