Voos Longo Curso Perigosos para Doentes Pulmonares e Cardíacos


Uma equipa de investigação do Serviço de Pneumologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) lança o alerta aos viajantes com doenças cardíacas ou pulmonares: as viagens de avião, sobretudo as de longo curso, diminuem significativamente os níveis de oxigénio na corrente sanguínea e podem ser perigosas se a doença não estiver devidamente controlada.

Os cientistas da FMUP avaliaram os níveis de oxigénio presentes na corrente sanguínea de 10 indivíduos saudáveis que fizeram vinte voos de longo curso e dez de curta distância. Os viajantes utilizaram um oxímetro de pulso que registou continuamente os níveis de hipoxemia (oxigénio no sangue), bem como os diferentes ‘acontecimentos’ da viagem (refeições, deslocações dentro do avião, etc.)

De acordo com o pneumologista e investigador da FMUP, João Carlos Winck líder desta investigação, os níveis de oxigénio no sangue dos passageiros analisados diminuiu significativamente, especialmente entre os que realizaram viagens de longo curso. Nestes, a variação do nível de oxigénio desceu, em média, mais de 10%.

Os efeitos das alterações da pressão do ar sobre a variação do oxigénio no sangue são há muito conhecidos e bem tolerados pelas pessoas saudáveis. No entanto, os cientistas temem que o aumento do número de viajantes que utiliza o avião como meio de transporte (actualmente cerca de um bilião por ano) e o inevitável envelhecimento da população, provoquem um aumento no número de ocorrências médicas a bordo dos aviões comerciais.

As conclusões desta investigação original da FMUP foram publicadas, em carta ao Editor, numa das mais reputadas revistas científicas deste ramo da Medicina – o European Respiratory Journal. OM/FMUP

Fonte: Newsletter da Universidade do Porto (11.Julho.2008)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas