Pular para o conteúdo principal

O GENE DA LONGA VIDA

Um dos encantos turísticos usado para publicitar Limone sul Garda é o facto de a sua população ter "o gene da longa vida". Limone sul Garda é uma comuna na província de Brescia, região da Lombardia, na Itália, com cerca de mil habitantes. O património genético de que tanto se orgulham baseia-se num gene identificado em 1979 pelo Dr. Cesare Sirtori, o ApoA-1 Milano, que resulta de uma mutação natural da apolipoproteína A1 existente na HDL humana (o "bom" colesterol, que está associado à protecção cardiovascular). A apolipoproteína ApoA-1 Milano presente no sangue dos habitantes de Limone sul Garda induz uma forma saudável de HDL que baixa o risco de arterosclerose e de outras doenças cardiovasculares.

Por esta razão Limone sul Garda não só atrai turistas como cientistas de todo o mundo, que pretendem estudar a origem do "tesouro" genético da população, que permaneceu isolada durante séculos. Só em 1930 se construiu a primeira estrada, pelo que o acesso se fazia de barco, atravessando o lago de Garda, ou a pé, após uma grande e árdua travessia das montanhas.

As populações isoladas despertam verdadeiras paixões entre os cientistas da vida uma vez que são laboratórios com grandes dimensões. Recebem poucos forasteiros, o que faz com que as famílias acasalem entre si ao longo de séculos. É esta a explicação da origem e conservação de um precioso património genético que permite estudar a hereditariedade de qualquer gene sem quaisquer interferências.

Segundo os investigadores que reconstruíram a árvore genealógica dos habitantes que possuem a referida mutação, a sua origem remonta a 1780. Os camponeses Cristoforo Pomaroli e Rosa Giovanelli foram os pais do primeiro bebé a nascer com ela. Este bebé deixou como herança a sua "semente" genética, que se perpetuou por casamentos entre "primos" mais ou menos próximos.

Isolar a ApoA-1 Milano, produzi-la sinteticamente e administrá-la de forma segura a doentes cardiovasculares é agora o objectivo de muitos investigadores. A ideia óbvia consiste em tornar-nos mais parecidos com aquela população favorecida. Com a ApoA-1 Milano poderemos talvez viver bem até aos cem...

Imagem: http://www.hotelilma.it/gardalake.php/p-itx4/Vacanze.htm
Vale a pena ver mais fotos: http://www.hotelilma.it/gardalake.php/p-itx4x59/Vacanze_Foto_gallery.htm
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…