Pular para o conteúdo principal

REGISTO NACIONAL DE CONTROLO DE PESO

A Faculdade de Motricidade Humana (FMH) lançou esta semana o Registo Nacional de Controlo do Peso (RNCP), que consiste no registo voluntário de pessoas com sucesso na redução estável do peso.
Pedro Teixeira, responsável científico pelo RNCP, acredita que os testemunhos, e as conclusões obtidas a partir da sua análise, “vão constituir uma riquíssima fonte de informação, que poderá contribuir para diminuir a crescente prevalência da obesidade e excesso de peso que, em Portugal, atinge números preocupantes.”

Através do site www.registodopeso.net, podem participar todos os indivíduos com idades entre os 18 e os 65 anos, que perderam no mínimo 5 quilogramas nos últimos 15 anos (já na idade adulta) de forma intencional e que conseguiram manter este peso durante um ano ou mais. Podem deixar os seus testemunhos, descrevendo “os programas, os métodos e as estratégias seguidas”.

A convicção do responsável científico do programa prende-se com o sucesso de uma experiência semelhante que foi lançada nos EUA em 1994, o National Weight Control Registry (NWCR), e que acabou por ser “o estudo mais citado, quer pela comunidade científica, quer pelos meios de comunicação social, no âmbito do sucesso no controlo do peso na sociedade norte-americana”.

No caso do programa norte-americano, os relatos das cinco mil testemunhas permitiram perceber que o sucesso pode ser alcançado através de acções pouco complexas e facilmente adoptáveis pela maioria da população: quase todas as pessoas alteraram hábitos alimentares (98 por cento), como por exemplo tomar o pequeno-almoço diariamente (78 por cento), e aumentaram a actividade física (94 por cento), essencialmente andar a pé.

Lançado o projecto fica o apelo: “que todos aqueles que se orgulham do seu sucesso na redução e estabilidade do peso respondam a este desafio e possam contribuir para clarificar as estratégias e comportamentos mais eficazes na perda e manutenção do peso. Só assim poderemos ter mais casos de sucesso em Portugal e contribuir para uma população mais saudável e mais feliz”.

Fonte: http://static.publico.clix.pt/pesoemedida/
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…