OBESIDADE INFANTIL AMEAÇA A ESPERANÇA DE VIDA DAS CRIANÇAS


A geração actual de crianças pode ser a primeira da história da humanidade que, em tempo de paz, vive menos do que a dos seus pais. A causa é a obesidade. O alerta foi dado pelo Control Desease Center (CDC) dos Estados Unidos, país com uma elevadíssima taxa de obesidade infantil, no entanto esta situação pode transpor-se para todos os países desenvolvidos.

Em Portugal a prevalência de obesidade infantil é muito preocupante. É importante alertar a comunidade em geral, mas principalmente pais, avós, professores, educadores, auxiliares, cozinheiras e todos quantos lidam de perto com as crianças.

O excesso de peso nas crianças é resultado, quase sempre, de um desequilibrio entre ingestão alimentar e os gastos energéticos. As nossas crianças estão mais gordas porque passam demasiado tempo em frente aos ecrãs, não brincam nem correm ao ar livre e deslocam-se de carro para todas as actividades. Consomem comida hipercalórica de baixo peso, pelo que nunca ficam saciadas e trocam refeições definidas, com horas próprias, por comiscar toda a tarde, desde que chegam da escola até à hora do jantar. Quando se sentam à mesa, não têm apetite e surge a dificuldade em comer a sopa, a carne ou o peixe, que são realmente importantes para quem tem que crescer saudável.

O tratamento da obesidade é muito complicado e com taxas de insucesso muito elevadas, por isso o melhor é prevenir. Os pais têm aqui um papel fundamental e tudo o que necessitam é estarem bem informados para poderem implementar hábitos saudáveis para toda a família: começar o dia com um bom pequeno-almoço à base de leite, pão e fruta; iniciar o almoço e o jantar sempre com um prato de sopa; beber água às refeições (os sumos devem ser completamente abolidos lá de casa); alternar carne e peixe todos os dias; preferir fruta para sobremesa; fazer os lanches da manhã e da tarde com alimentos práticos, mas saudáveis como leite ou iogurte líquido, fruta, pão ou bolachas sem creme tipo "maria" (no máximo 6 bolachas, que é o que equivale a um pão) e praticar desporto ou fazer actividade física diariamnete porque é a melhor forma de queimar as calorias em excesso.

As crianças em idade escolar, que aliás são as de maior risco, estão na fase em que o processo de aprendizagem é extraordinariamente activo, o que deve ser aproveitado por professores e educadores no sentido de lhes serem ministrados ensinamentos que possam influenciar o seu comportamento alimentar, agora e no futuro. De facto, são os melhores veículos de informação para os pais e para todos os familiares que mais de perto convivem com elas.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas